html5-img
1 / 55

Intelig

Pat_Xavi
Télécharger la présentation

Intelig

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    3. Antigamente e at os dias de hoje... A associao entre o domnio da matemtica e a inteligncia pura acontece. Pessoas com elevado nvel de inteligncia lgico-matemtica so consideradas muito inteligentes e o contrrio so considerados fracassos escolares

    4. O que ser inteligente? T a capacidade de uma pessoa aprender com novas experincias e com experincias passadas a capacidade de uma pessoa solucionar problemas a capacidade de uma pessoa gerar novos problemas a capacidade de criar produtos que possam ser aceitos como valiosos em seu tempo.

    5. Inteligncia depende... Do contexto. Das tarefas. Das provaes que a vida nos apresenta. Contar a histria do mecnico e do cirurgio Do barqueiro, da advogada e da professora.Contar a histria do mecnico e do cirurgio Do barqueiro, da advogada e da professora.

    6. QI = Quociente de Inteligncia Os testes de inteligncia surgiram na China, no sc. V, e comearam a ser usados cientificamente na Frana, no sc. XX. Em 1905, Alfred Binet e seu colega Theodore Simon, criaram a escala Binet-Simon, para medir o coeficiente de estudantes.

    7. Em 1912 foi introduzido o conceito de idade cronolgica e idade mental por Stern. Stern props que o QI fosse determinado pela diviso da idade mental pela idade cronolgica. Assim uma criana com idade cronolgica de 10 anos e nvel mental de 8 anos teria QI 0,8, porque 8 / 10 = 0,8.

    8. A classificao proposta: QI acima de 140: Genialidade 120 - 140: Inteligncia muito acima da mdia 110 - 120: Inteligncia acima da mdia 90 - 110: Inteligncia normal (ou mdia) 80 - 90: Embotamento 70 - 80: Limtrofe 50 - 70: Cretino

    9. Diferenas entre QI e ser inteligente: Testes de QI medem o que deveria ser chamado: talento para o estudo escolar, enquanto a inteligncia real abarca um nmero bem maior de habilidades.

    10. Embora os testes de QI prevejam consistentemente o sucesso escolar, eles fracassam em indicar como ser o desempenho dos estudantes quando sarem para o mundo real e ingressarem no mercado de trabalho.

    11. Uma breve reflexo sobre ser inteligente e ter um QI alto... Os conceitos de QI e inteligncia exercem um grande fascnio sobre a imaginao de milhes de pessoas. Em nossa sociedade ter QI baixo ou carecer de inteligncia correr o risco de ser rotulado de retardado ou coisa pior.

    12. Trabalhar com a Teoria das Inteligncias Mltiplas, significa... ...pensar o ser humano de forma integral. ...olhar o aluno por suas adorveis competncias lingsticas e matemticas, mas tambm com o que ele pode realizar com suas outras muitas inteligncias.

    13. Origem da Pesquisa... Desenvolveu-se nos Estados Unidos a partir de 1983 aps longos estudos sobre a cognio e a aprendizagem humana pelo grupo do Dr. Howard Gardner da Universidade de Harvard atravs do Projeto Zero. Chegou ao Brasil em 1994 e incendiou o universo educacional

    14. Bases para a Teoria... Amplas pesquisas realizadas em uma ampla variedade de campos, incluindo: Antropologia Psicologia cognitiva Psicologia do desenvolvimento Neuroanatomia

    15. Critrios das Inteligncias Cada inteligncia capaz de ser simbolizada. Cada inteligncia tem a sua prpria histria de desenvolvimento.

    16. Cada inteligncia vulnervel e pode ser prejudicada por traumas ou ferimentos em reas especficas do crebro. Cada inteligncia tem o seu prprio valor cultural.

    17. Sugere que cada inteligncia possui seus prprios processos cognitivos individuais nas reas de memria, ateno, percepo e soluo de problemas.

    18. A morte no tristeza... paz. libertao. Tristeza continuar vivendo, Quando os sonhos se vo. Deraldo

    19. Essa trova, atribuda ao cego repentista Deraldo no muito significativa, extraordinariamente linda. Com poucas palavras, com a sntese glida dos cantadores do Nordeste, Deraldo transmite uma lio de vida, sintetiza uma filosofia repleta de contedo...

    20. Essa trova, tal qual muitas outras citaes e textos so exemplos da extrema capacidade de algumas pessoas em brincar com as palavras, colocar em ao a semntica e a beleza da construo da sintaxe.

    21. Inteligncia Verbal-Lingstica (Lado esquerdo) a mais universal das sete Inteligncias que estudaremos aqui. Em nossa cultura a habilidade lingstica se encontra entre as Inteligncias mais respeitadas.

    22. a inteligncia das palavras, do jornalista, do narrador, do poeta, do advogado, do professor, do comediante, entre outros tantos.

    23.

    24. Como se estrutura? Do nascimento aos 10 anos. Exibe suas razes no balbucio dos bebs j nos primeiros anos de vida, abre-se por volta do segundo ano de vida quando a criana descobre poder nomear o que lhe rodeia, e segue em elevado grau at a morte.

    25. O que acontece no crebro? Conexo dos circuitos que transformam os sons em palavras. As crianas precisam ouvir muitas palavras novas, participar de conversas estimulantes, construir com palavras imagens, aprender uma lngua estrangeira quando possvel.

    26. Testando a sua Inteligncia... Organizem a sentena... aps estdio, uma futebol pretendo, almoo de partida assistir, sbado.

    27. Inteligncia Visual-Espacial (Lado direito) Envolve pensar em imagens e cenas, a capacidade de perceber, transformar e recriar aspectos diferentes do mundo visual-espacial. Arquitetos, fotgrafos, artistas, pilotos

    28. . Pessoas que possuem uma sensitividade aguada para detalhes visuais e podem visualizar vividamente, desenhar ou esboar suas idias graficamente e se orientar facilmente tridimensionalmente.

    29. A pessoa com essa Inteligncia bem desenvolvida... Percebe rapidamente que algum cortou o cabelo ou mudou alguma coisa em uma sala cheia de objetos e/ou mveis. Adora quebra-cabeas. Mostra-se extremamente sonhador, refugia-se em imagens e distrai-se com facilidade. Gosta de desenhar e pintar

    30. Abertura da janela... Dos 5 aos 10 anos O crebro comea a regulao do sentido de lateralidade e direcionalidade . Aperfeioamento da coordenao motora e a percepo do corpo no espao.

    31. Que ginstica desenvolver? Exerccios fsicos, jogos operatrios que explorem a noo da direita e esquerda, em cima e em baixo. Natao, Jud e alfabetizao cartogrfica.

    32. Testando a sua Inteligncia... Quantos quadrados existem em um papel quadrado, dobrado ao meio e depois mais uma vez dobrado?

    33. Inteligncia Musical (Lado direito) Capacidade de perceber, apreciar, reconhecer (e/ou criticar), produzir ritmos e melodias. a inteligncia de um Bach, Chopin, Mozart ou Beethoven, de cantores, repentistas e msicos, tambm reside na mente de qualquer indivduo que tenha um bom ouvido.

    34. Como se estrutura? Floresce na tenra infncia, por volta dos primeiros anos de vida, 3 aos 10 anos. As reas do crebro ligadas aos movimentos dos dedos da mo esquerda so muito sensveis e facilitam a execuo de instrumentos de corda.

    35. . A primeira linguagem infantil dotada de uma qualidade musical nata. Cantar junto com a criana, brincar de aprender a ouvir a musicalidade dos sons,de qual a msica?.

    36. Inteligncia Sinestsico-Corporal (Lado esquerdo) Inteligncia do ser fsico; inclui o talento para controlar e corpo e falar atravs dele; possuem boa sensitividade ttil. Talento para lidar habilmente com objetos. Atletas, artesos, mecnicos, costureiras e cirurgies possuem uma grande dose dessa inteligncia.

    37. Enquanto todas as outras Inteligncias melhoram nosso desempenho artstico, social ou cultural, a Cinestsico-corporal a nica Inteligncia cujo aprimoramento implica em qualidade de vida melhor. Fora, equilbrio, flexibilidade, entre outros so os componentes dessa Inteligncia.

    38. Como se estrutura... Do nascimento aos 5 ou 6 anos. Associao entre olhar um objeto e agarr-lo, assim como passagem de um objeto de uma mo para outra. A criana tem seus primeiros estgios de desenvolvimento em um nvel apenas sensrio-motor (Piaget)

    39. Que ginsticadesenvolver? Desenvolver brincadeiras que estimulem o tato, o paladar e o olfato. Simular situaes de mmica e brincar com a interpretao dos movimentos. Jogos de habilidade motora diversos.

    40. Agora, respondam... Quem consegue trocar uma lmpada queimada? Quem se acha um bom danarino? Quem joga bola e no considerado perna de pau?

    41. Testando a sua Inteligncia... Levantem-se... Fiquem em um p s... Mos para cima... Abaixem-se... E pulem pra frente...

    42. Os grandes rivais dessa Inteligncia... Televiso e o vdeo game, pois afastam as crianas e os jovens do movimento, das atividades corporais.

    43. J em 1663 Galileu Galilei afirmava: O grande livro do Universo s pode ser lido quando tivermos aprendido a linguagem e nos tornado familiarizados com o jeito que ele est escrito. Est escrito em linguagem matemtica, e sem esse meio impossvel compreendermos uma nica palavra.

    44. Inteligncia Lgico-Matemtica (Lobos Parietais esquerdos) a inteligncia dos nmeros e da lgica, do cientista, do contador, do programador de computador... Capacidade de raciocinar, sequenciar, pensar em termos de causa e efeito, criar hipteses, procurar regularidades ou padres (numricos ou no)

    45. Como se estrutura? Floresce na infncia, entre 1 e 10 anos,terreno no qual a criana ainda pensa apenas no nvel fsico e tem o seu pice entre os primeiros anos da juventude, entrando em declnio a partir da. No se origina na esfera auditivo-oral e sim no confronto com o mundo dos objetos.

    46. Testando a sua Inteligncia... Um homem olhando um retrato dizia: No tenho irmos, nem irms, mas o pai deste homem filho do meu pai. DE QUEM O RETRATO?

    47. Inteligncia Interpessoal ( Lobo Frontal) Capacidade de compreender e trabalhar com outras pessoas,geralmente so lderes em suas reas de atuao. Em particular essa inteligncia requer a capacidade de perceber e ser responsvel em relao aos humores, temperamentos, intenes e desejos de outras pessoas.

    48. O que caracteriza essa Inteligncia? A capacidade central dessa inteligncia a capacidade de visualizar nuances nas intenes, motivaes, humores, pensamentos e sentimentos das outras pessoas, o que caracteriza os grandes comunicadores que conhecemos.

    49. Uso moral da Inteligncia Interpessoal Um indivduo dotado de I.Interpessoal pode ser amoroso e socialmente responsvel como Gandhi e Jesus Cristo ou manipulador e sem escrpulos como Hitler e Maquiavel.

    50. Como se estrutura... Do nascimento, terreno de desova de todas as Inteligncias, puberdade. Os circuitos do sistema Lmbico comeam a se conectar e se mostram muito sensveis a estmulos provocados por outras pessoas.

    51. Que ginstica praticar? Contato fsico de qualidade. Mimos e estmulos na dosagem e hora corretas so importantes.

    52. Inteligncia Intrapessoal Inteligncia do Eu interior. Consegue perceber facilmente seus prprios sentimentos, discriminar seus muito tipos de estados interiores e usar seu auto-entendimento para enriquecer e guiar sua vida.

    53. . Geralmente so pessoas introspectivas, gostam de meditar, contemplar ou desfrutar de outras formas de mergulhar em suas almas. A pessoa geralmente intitulada autnoma, aprende sozinha, sem muitas interaes exteriores

    54. Exemplos... Sigmund Freud (Pai da psicanlise) Marcel Proust ( Em busca do tempo perdido) Passou grande parte de sua vida em uma cama refletindo sobre sua vida em detalhes surpreendentes. Seu romance traz as primeiras 50 pginas sobre os sentimentos do protagonista quando criana, esperando por a me em seu quarto para dar-lhe um beijo de boa noite.

    55. Concluindo... Todas as pessoas possuem todas as Inteligncias. possvel aprender um mesmo conceito de diferentes formas inteligentes. preciso aprendermos a valorizar todas as nossas Inteligncias e as do outro.

More Related