Download
maria teresa maia gonzalez n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Maria Teresa Maia Gonzalez PowerPoint Presentation
Download Presentation
Maria Teresa Maia Gonzalez

Maria Teresa Maia Gonzalez

236 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Maria Teresa Maia Gonzalez

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Maria Teresa Maia Gonzalez 2010/2011 Sara Mendonça 9º4 nº20

  2. Recados da Mãe Maria Teresa Maia Gonzalez • Nascida no ano de 1958, em Coimbra, Maria Teresa. • Maia Gonzalez estudou na faculdade de Letras da Universidade Clássica, em Lisboa. Onde se licenciou em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Franceses e Ingleses. • Na sua carreira de autora conta já com inúmeros livros editados dos quais se destaca A Lua de Joana, sendo o seu maior sucesso editorial. Foi publicado em Lisboa, Outubro de 1994, conta já com 17 edições. • Os seus livros têm a particularidade de reflectir assuntos relacionados com a juventude. Na sua escrita são visíveis as situações com que nós, os jovens, defrontamos diariamente. Alguns exemplos de Obras:A lua de Joana; Recados da mãe ; O guarda da praia; Quase Adolescente ;Ser Invulgar ;Bicho em perigo; Voa comigo; A História dos brincos de penas; Boas férias, Miguel!;Histórias do céu etc.

  3. Recados da Mãe Clara e Leonor (mais conhecida por Nonô) já tinham saído do colégio há mais de meia hora. A Mãe nunca se tinha atrasado tanto tempo. Então, Clara, a irmã mais velha, já com 10 anos de idade, decidiu telefonar ao posto de trabalho da mãe onde regressou triste, pois informaram-na que a Mãe já tinha saído á hora de costumo. Clara voltou à escola para telefonar ao pai e, depois de uma longa hora à espera, finalmente ele chegou com uma cara estranha que nem parecia dele. Ficaram a viver temporariamente em casa do pai, que estava casado com Paula e tinha dois enteados. Entretanto, alguns dias após o funeral, tiveram uma visita surpresa da avó Matilde, que nunca tinham conhecido devido a briga entre ela e a Mãe. Foram viver durante as férias de Verão para a Quinta do Chorão, em Coimbra, propriedade da avó Matilde. Se a Mãe das meninas tinha morrido zangada com a avó, Clara estava decidida a continuar zangada com ela, o que não ajudou nada no desenvolvimento da relação entre ambas. Por outro lado, Nonô estava fascinada com a avó, tanto pelo aspecto físico (a avó e a Mãe tinham semelhanças incríveis, apesar da idade), como pelo aspecto psicológico (ela era muito querida e simpática). Nonô, com apenas 6 anos de idade, estava com muitas saudades da Mãe. Clara, para alegrar a irmã, inventava que durante a noite sonhava com a Mãe e que falava com ela para não ver a irmã sofrer. Esses sonhos punham Leonor radiante o resto do dia. Ambas se divertiram muito na Quinta do Chorão, durante o período de férias, embora com algumas crises de tristeza de Nonô, que continuava a querer a companhia da mãe e com alguns mal-entendidos entre a avó Matilde e Clara, que continuava a querer não gostar da avó.

  4. Recados da Mãe Para piorar a situação, a avó Matilde e o Pai decidiram que o melhor para as meninas seria ficarem a viver na Quinta do Chorão, pois o Pai não tinha espaço para elas no seu apartamento. Então, as duas irmãs frequentariam um colégio religioso, em Coimbra. O silêncio do colégio que reinava naquele lugar perturbava Leonor, sentindo-se por vezes oprimida. O mesmo não acontecia com Clara que, quase desde os primeiros momentos a capela passou a ser o centro das suas atenções e o seu refúgio. Clara mantendo-se sempre atenta e preocupada com o que pudesse entristecer ou afectar Leonor. Nas conversas de ambas, era sempre lembrada a mãe e a ambição do futuro era que nunca se separassem uma da outra e tivessem uma grande casa pintada de cor-de-rosa. Com o passar dos anos foram-se adaptando à sua nova vida e a maturidade de Leonor e especialmente de Clara foi aumentando. Clara aprendeu a gostar mais da sua avó e decidiu seguir o caminho de Deus onde foi para África(Moçambique) ajudar os meninos sem país. Leonor ficou na quinta do chorão, casou, e tinha uma menina adoptiva(Sara). Após a morte da avó fez mudanças na quinta ao qual mudou os móveis velhos e pintou o exterior de rosa como o sonho de infansia das duas. Clara, após a ida para Moçambique, veio a Portugal apenas uma vez, para ser madrinha da primeira filha adoptiva de Nonô. Regressou novamente passados vinte anos, para o casamento da afilhada.

  5. Recados da Mãe Fim Muito Obrigada Aconselho a ler esta obrar porque mostra os vários obstáculos na vida das duas irmãs onde elas mantiveram-se unidas e conseguiram ultrapassá tudo sem o amor dos pais.