html5-img
1 / 32

Análise SWOT Matriz BCG

Análise SWOT Matriz BCG. Prof ª. : Betina Backes betinabackes@linhalivre.net. Análise SWOT: Análise de Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças. Análise SWOT.

cormac
Télécharger la présentation

Análise SWOT Matriz BCG

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


  1. Análise SWOTMatriz BCG Profª.: Betina Backes betinabackes@linhalivre.net

  2. Análise SWOT: Análise de Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças

  3. Análise SWOT • As organizações necessitam monitorar importantes Forças Macroambientais – Macroambiente (econômicas, demográficas, tecnológicas, político-legais e socioculturais). • Também, é preciso monitorar ao significativos Agentes Microambientais - Microambiente(clientes, concorrentes,distribuidores, fornecedores). (KOTLER, 2000, p. 98)

  4. Análise SWOT • Para analisar as estratégias adequadas a serem adotadas, os gerentes precisam analisar os ambientes interno e externo. • Um objetivo importante da avaliação ambiental é o reconhecimento de novas oportunidades de marketing. • Uma ferramenta utilizada para esta análise é a Análise SWOT – Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

  5. Análise SWOT • É conhecida também como Análise PFOA. • Análise SWOT: consiste numa avaliação sistemática das forças e deficiências internas da organização e de oportunidades e ameaças externas. • A Análise SWOT ajuda os gerentes a encontrar os pontos fortes da empresa e combiná-los com as oportunidades do ambiente.

  6. Análise SWOT:(Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças)

  7. Análise SWOT Oportunidades e Ameaças: Trata-se da análise daquilo que está fora do controle da empresa, mas que é importante conhecer e monitorar.

  8. Análise SWOT OPORTUNIDADE: existe quando a empresa pode lucrar ao atender às necessidades dos consumidores de um determinado segmento. As oportunidades podem ser classificadas de acordo com a atratividade e com sua probabilidade de sucesso.

  9. Análise SWOT- Matriz de Oportunidades - Probabilidade de Sucesso Baixa Alta Alta Atratividade Baixa

  10. Análise SWOT AMEAÇA: é um desafio imposto por uma tendência ou desenvolvimento desfavorável que levaria, na ausência de uma ação de marketing defensiva, a deterioração das vendas ou dos lucros. As ameaças podem ser classificadas de acordo com sua gravidade e probabilidade de ocorrência.

  11. Análise SWOT - Matriz de Ameaças - Probabilidade de Ocorrência Baixa Alta Alta Gravidade Baixa

  12. Análise SWOT Forças e Fraquezas: Trata-se da análise interna da empresa. Deve-se ressaltar, valorizar, investir nos pontos fortes e corrigir os pontos fracos, buscando minimizar seus efeitos.

  13. Análise SWOT • Ao analisar as forças e fraquezas, há num confronto das qualidades e limitações de uma empresa em relação às outras do seu setor. • A empresa precisa avaliar periodicamente suas forças e fraquezas internas. • O primeiro passo é criar uma relação de variáveis que devem ser monitoradas.

  14. Análise SWOT Exemplos de variáveis:reputação da empresa, participação de mercado, qualidade do produto, qualidade do serviço, inovação tecnológica, poder de venda, estabilidade financeira, força de trabalho, produtividade, pontualidade, etc. • A lista é infinita, mas deve-se centrar as atenções nas fraquezas e forças realmente relevantes para a empresa. • Após, deve-se criar uma escala onde cada uma destas variáveis é avaliada em relação aos objetivos da organização.

  15. Análise SWOT • O objetivo da Análise SWOT é definir estratégias para manter pontos fortes, reduzir a intensidade de pontos fracos, aproveitando oportunidades e protegendo-se de ameaças. • Diante da constatação de pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças, pode-se adotar estratégias que busquem asobrevivência, manutenção, crescimento ou desenvolvimento da organização.

  16. Matriz BCG:Matriz de Crescimento / Participação de Mercado

  17. Matriz BCG • A Matriz BCG foi criado pelo Boston Consulting Group. Essa Matriz classifica UENs (Unidades Estratégicas de Negócios), Produtos ou Marcas de acordo com 2 medidas: taxa de crescimento do mercado (baixa ou alta) e participação relativa de mercado (baixa ou alta). • É apresentado como um gráfico de quadrantes. Coloca-se no eixo vertical a taxa de crescimento anual do mercado em que o negócio opera. • No eixo horizontal está a participação relativa de mercado da UENs, Produto ou Marca no mercado em relação a seu maior concorrente no segmento.

  18. Matriz BCG • A participação relativa de mercado é definida como a razão entre o valor das vendas da empresa e o valor das vendas do produto concorrente de maior venda e/ou participação no segmento de mercado analisado. • A Matriz BCG é dividida em 4 células, cada uma indicando um tipo diferente de negócio: • Pontos de Interrogação • Estrelas • Vacas leiteiras • Animais de estimação ou Abacaxi

  19. Matriz BCGMatriz de Crescimento / Participação de Mercado Participação Relativa de Mercado Baixa Alta ? Alta Taxa de Crescimento de Mercado Baixa

  20. Matriz BCG:Matriz de Crescimento / Participação de Mercado Ponto de Interrogação: são negócios que operam em mercado de alto crescimento, mas têm baixas participações relativas. • A maioria dos negócios inicia como Ponto de Interrogação (mercado de alto crescimento; já existe um líder). • Exige alto investimento (fábricas, equipamentos, pessoal..). • Se os Pontos de interrogação tiverem potencial de longo prazo para tornarem-se estrelas ou vacas leiteiras, vale à pena investir. ?

  21. Matriz BCG:Matriz de Crescimento / Participação de Mercado Estrela: uma Estrela é líder em um mercado de alto crescimento. • Se o negócio do tipo- Ponto de Interrogação – for bem sucedido, ele se torna uma estrela. • Porém não produz necessariamente um fluxo de caixa positivo. O ideal é que se transforme em Vaca leiteira.

  22. Matriz BCG:Matriz de Crescimento / Participação de Mercado Vacas leiteiras: a taxa de crescimento do mercado cai para menos de 10%, a Estrela se torna uma Vaca Leiteira. • A Vaca Leiteira gera muito caixa. • As empresas utilizam seus negócios do tipo “Vaca Leiteira” para custear P&D, pagar as “contas” e apoiar seus outros negócios.

  23. Matriz BCG:Matriz de Crescimento / Participação de Mercado Animais de estimação: são negócios com pequenas participações em mercados de baixo crescimento. • Geram baixos lucros e até mesmo prejuízos. • Também chamados de “Abacaxis”. Servem na maioria das vezes a um pequeno grupo de clientes. (CHURCHILL, 2000, p. 94)

  24. Matriz BCG • Após incluir e analisar os vários negócios da empresa na Matriz BCG, ela deve determinar se sua carteira de negócios / produtos é “saudável”. Muito: Pouco: ? Carteira de =Negócios Desequilibrada

  25. Matriz BCG Após a análise da Matriz BCG, a empresa deve determinar que Objetivo, Estratégia e Orçamento atribuir a cada UEN (Unidade Estratégica de Negócio). Para isso, pode utilizar 4 estratégias: • Construir: aumentar a participação de mercado. • Manter: preservar a participação de mercado. • Colher: aumentar o fluxo de caixa. • Abandonar: vender ou liquidar o negócio. ?

  26. Matriz BCG • Com o tempo, as UENs mudam de posição na Matriz BCG. As UENs tem um ciclo de vida típico: Iniciam como , tornam-se , depois e por fim . ?

  27. Matriz BCG e Ciclo de Vida 20% Estrela Ponto de Interrogação ? Desenvolvimento Introdução Taxa de Crescimento de Mercado 10% Maturidade Declínio 0% Vaca Leiteira Abacaxi 10x 1,0x 0,1x Participação Relativa de Mercado

  28. Matriz BCG • As empresas não devem apenas examinar as posições de seus negócios na Matriz BCG (como uma fotografia), mas também suas mudanças de posição (como em um filme). • Cada negócio deve ser analisado em relação à posição que ocupou nos últimos anos e àquela em que provavelmente estará nos próximos. (KOTLER, 2000, p. 92)

  29. Matriz BCG • A matriz BCG é criticada por suas categorias e estratégias centrarem-se na participação de mercado, que, de acordo com seus idealizadores, gera grandes lucros. • Pode não haver uma relação forte entre participação de mercado e lucros, pois o sucesso potencial de um negócio depende também de outros fatores tais como reputação da empresa, regulamentações governamentais, patentes, etc. (CHURCHILL, 2000, p. 95)

  30. Considerações: • Tratando-se de análise estratégica e competitiva das organizações, inserida no processo de Planejamento Estratégico, as matrizes BCG e SWOT são ferramentas indispensáveis. • A utilização da Matriz BCG permite que a empresa identifique e avalie suas UENs, através da análise do crescimento e participação de mercado.

  31. Considerações: • A utilização da Análise SWOT, permite que a empresa avalie suas oportunidades e ameaças, forças e fraquezas, e a partir dessa análise, defina suas metas e estratégias. • É importante que as empresas realizem uma análise periódica e sistemática da empresa e suas Unidades Estratégicas de Negócio, Produtos, Marcas.... • Também, que monitorem constantemente o Ambiente, que está em constante mudança, o que afeta a competitividade e sobrevivência das organizações.

  32. Bibliografia CHURCHILL JR., Gilbert A., PETER, J. Paul. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, 2000. COBRA, Marcos Henrique. Plano estratégico de marketing. São Paulo: Atlas, 1986. KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Prentice Hall, 2000. KOTLER, Philip, ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing.7a. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1999. OLIVEIRA, D. P. Rebouças de. Planejamento estratégico: conceitos, metodologias e práticas. 8. ed. São Paulo: Atlas, 1994. PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para a análise de indústria e da concorrência. 5. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1986. RICHERS, Raimar. Marketing: uma visão brasileira. São Paulo: Elsevier, 2000.

More Related