html5-img
1 / 18

Refletindo sobre a viol ncia

VIOLNCIA. No existe uma definio consensual ou incontroversa de violncia. O termo potente demais para que isso seja possvel." Anthony Asblaster Dicionrio do Pensamento Social do Sculo XX . O QUE VIOLNCIA?. Dicionrio Houaiss: ao ou efeito de violentar, de empregar fora fsica (con

loyal
Télécharger la présentation

Refletindo sobre a viol ncia

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    1. Refletindo sobre a violncia

    2. VIOLNCIA No existe uma definio consensual ou incontroversa de violncia. O termo potente demais para que isso seja possvel. Anthony Asblaster Dicionrio do Pensamento Social do Sculo XX

    3. O QUE VIOLNCIA? Dicionrio Houaiss: ao ou efeito de violentar, de empregar fora fsica (contra algum ou algo) ou intimidao moral contra (algum); ato violento, crueldade, fora; constrangimento fsico ou moral exercido sobre algum, para obrig-lo a submeter-se vontade de outrem; coao. OMS: a imposio de um grau significativo de dor e sofrimento evitveis. Direitos Humanos - violncia a violao dos direitos: civis: vida, propriedade, liberdade de ir e vir, de conscincia e de culto; polticos: direito a votar e a ser votado, ter participao poltica; sociais: habitao, sade, educao, segurana; econmicos : emprego e salrio; culturais: direito de manter e manifestar sua prpria cultura.

    4. TIPOS DE VIOLNCIA Pelo espao onde ocorre: Violncia domstica, institucional etc. Por quem sofre a violncia: Violncia contra a mulher, contra o idoso, criana etc.

    5. TIPOS DE VIOLNCIA Pela forma de manifestao: Violncia fsica Violncia sexual Violncia psicolgica Violncia simblica

    6. VIOLNCIA FSICA Ao ou omisso que coloque em risco ou cause dano integridade fsica de uma pessoa

    7. VIOLNCIA SEXUAL Ao que obriga uma pessoa a manter contato sexual, fsico ou verbal, ou a participar de outras relaes sexuais com uso da fora, intimidao, coero, chantagem, suborno, manipulao, ameaa ou qualquer outro mecanismo que anule ou limite a vontade pessoal.

    8. VIOLNCIA PSICOLGICA Ao ou omisso destinada a degradar ou controlar as aes, comportamentos, crenas e decises de outra pessoa por meio de intimidao, manipulao, ameaa direta ou indireta, humilhao, isolamento ou qualquer outra conduta que implique prejuzo sade psicolgica, autodeterminao ou ao desenvolvimento pessoal.

    9. VIOLNCIA SIMBLICA Forma invisvel de coao que se apia, muitas vezes, em crenas e preconceitos coletivos. A violncia simblica se funda na fabricao contnua de crenas no processo de socializao, que induzem o indivduo a se enxergar e a avaliar o mundo seguindo critrios e padres do discurso dominante. A diferena entre regra e exceo est no fato de que a exceo deve ser justificada. Noberto Bobbio (Igualdade e Liberdade, 1995:10)

    10. VIOLNCIA DE GNERO Gnero: Construo social e histrica Valorizao diferenciada e hierarquizada do que se considera masculino e feminino Violncia de Gnero: baseia-se na desigualdade das relaes entre os gneros

    11. VIOLNCIA E RELIGIO A legitimidade que a religio tem dado subordinao da mulher no essencialmente divina. Temos o direito de questionar e no aceitar aqueles aprendizados teolgicos e religiosos que fomentam o poderio do homem e a subordinao da mulher, sustentando assim a violncia. As imagens religiosas so criaes humanas e, muitas vezes, podem legitimar e reforar relaes de violncia, de discriminao e desigualdade entre homens e mulheres.

    12. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (1) Catecismo catlico: 2357. A homossexualidade designa as relaes entre homens e mulheres que sentem atrao sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variveis ao longo dos sculos e das culturas. A sua gnese psquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravaes graves, a Tradio sempre declarou que 'os atos de homossexualidade so intrinsicamente desordenados'. So contrrios lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. No procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados.

    13. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (2) Catecismo catlico (cont.): 2358. Um nmero no negligencivel de homens e mulheres apresenta tendncias homossexuais inatas. No so eles que escolhem sua condio homossexual; para a maioria, pois, esta constitui uma provao. Devem ser acolhidos com respeito, compaixo e delicadeza. Evitar-se- para com eles todo sinal de discriminao injusta. Estas pessoas so chamadas a realizar a vontade de Deus na sua vida e, se forem crists, a unir ao sacrifcio da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa da sua condio.

    14. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (3) Catecismo catlico (cont.): 2359. As pessoas homossexuais so chamadas castidade. Pelas virtudes de autodomnio, educadoras da liberdade interior, s vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela orao e pela graa sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeio crist.

    15. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (4) Um exemplo de denominao evanglica: Uma denominao evanglica em Recife, a Igreja Cristo Vive, foi acusada de promover incitao ao dio contra homossexuais. H trs anos, o pastor comeou a fazer cultos externos com carro de som: Estamos afastados da palavra de Deus e por isso perdemos nosso uso natural e os homens esto ficando com jeito de mulher e as mulheres com jeito de homem... filhos do demnio....

    16. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (5) Outros exemplos de denominaes evanglicas: H denominaes evanglicas que acreditam que a expresso de afeto homossexual em pblico sinal do final dos tempos, ou seja, do fim do mundo; Enquanto uma nica pessoa no for convertida, ningum na face da Terra ser salvo.

    17. FUNDAMENTALISMOS RELIGIOSOS E DIVERSIDADE SEXUAL (6) Utilizam fortemente a mdia de massa, como rdio e TV; Ao em polticas pblicas, impedindo aprovao de leis; No criam novos preconceitos, mas do base social para os existentes; Legitimam a violncia contra LGBTTI; Disseminam preconceito e discriminao; Proselitismo agressivo pode incitar a crimes de dio.

More Related