Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Protecção das Invenções na Empresa Hovione Peter Villax PowerPoint Presentation
Download Presentation
Protecção das Invenções na Empresa Hovione Peter Villax

Protecção das Invenções na Empresa Hovione Peter Villax

84 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Protecção das Invenções na Empresa Hovione Peter Villax

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Protecção das Invençõesna Empresa Hovione Peter Villax Seminário “A Inovação e a Propriedade Industrial” – U. Aveiro 7 de Junho de 2002

  2. Agenda • Introdução da empresa • Patentes – Conceitos básicos • A Hovione e as patentes • Orientações • Conclusões

  3. 1. IntroduçãoUma empresa portuguesa • Fundada em 1959, em Lisboa • Investigação, desenvolvimento e industrialização de princípios activos para a indústria farmacêutica. • Antibióticos • Cortico-esteróides (dermatologia, asma) • Anti-virais (HIV) • Meios de contraste radiológico • Vendas de €61 m. • Exportação 100% • Em 2001, três mercados receberam 92% das vendas: Estados Unidos (48%), União Europeia (28%), Japão (16%).

  4. 1. IntroduçãoUma empresa portuguesa • 3 Fábricas, 600 pessoas • Loures • Macau • New Jersey

  5. 2. Conceitos BásicosDefinição • Uma patente é um direito exclusivo de duração limitadaque o Estado dá a um inventor pela divulgação da sua invenção. • Sistema de contrapartidas. • O Inventor vê a divulgação da patente protegida e recompensada. O Estado impede que outros explorem o invento (protecção) o que permite ao inventor obter uma recompensa. • Sistema de financiamento. • A protecção e a recompensa permitem rendimentos mais elevados. • Para recuperar o investimento em I&D • Para recompensar o investidor do risco • Para financiar I&D futuro • Direito monopolista: 20 anos a partir da data de depósito. O Direito de Excluir os Outros

  6. 2. Conceitos básicosVantagens • Objectivo social • Progresso do conhecimento prático • Preservação do conhecimento prático • Disseminação do conhecimento prático • Benefício social da exploração da invenção • Outras consequências • Motor essencial de I&D. • Certas indústrias dependem das patentes • Lucros elevados (enquanto dura a patente)

  7. 2. Conceitos básicosTipos de patentes • Tipos de patente na indústria química/farmacêutica • Produto • A molécula é protegida: a mais forte protecção. Anteriormente, só países de língua inglesa autorizavam patentes de produto na área farmacêutica. • Processo • O processo é protegido. Não se sobrepõe à patente de produto. A forma mais usual de se prolongar uma protecção depois da expiração da patente de produto, seja pelo originador, seja por um terceiro. • Composição • Protege uma composição específica que contém um composto activo para que, eventualmente, se possa reivindicar alguma vantagem. • Uso • Protege um novo uso, não previsto anteriormente.

  8. 2. Conceitos básicosO ciclo de vida • Depósito • A data + hh:mm são registadas pelo organismo de patentes. • A patente é submetida a exame prévio, em alguns países (US, EU, AU ...). • Avaliação da novidade. • A rejeição é incentivada salarialmente (US). • O processo fortalece patentes concedidas nesses países.

  9. 2. Conceitos básicosO ciclo de vida • Aprovação • Na maioria dos casos, a concessão da patente leva 2-4 anos. • Validade • A patente produz os seus efeitos do momento em que é concedida, até 20 anos depois da data do seu depósito. • A validade é finalmente testada em tribunal, em casos de infracção.

  10. 2. Conceitos básicosRazões da patente • Utilidade • Da invenção tem que resultar um benefício para a Sociedade. • Novidade • Se não há novidade, não há qualquer razão para o Estado dar qualquer tipo de protecção. • É também origem frequente de impugnações. • Evidência • Não é patenteavel aquilo que, à luz do estado da arte, é evidente para o perito. • Ponto de partida para a maioria das objecções e das invalidações.

  11. 3. A Hovione e as patentesCiclos de Investigação • Anos 60 • Pantofenicol: PT 33.310 (1956), etc. • Clortetraciclina, tetraciclina e isolação das mesmas: PT 37.424 (1960) e Adição (1964), etc. • Betametasona: PT 52.923 (1969) e seus derivados: PT 61.636 (1974 • Anos 70-80 • Halogenação das tetraciclinas: PT 36.099 (1959), concedida em 1981. • DMSC: PT 55.009 (1970) e 72.107 (1980). • Catalisador de ródio estereo-específico: 74.303 (1982) e 76.061 (1982), etc. • Anos 90: • FlowCaps: PT 101.450 (1994) • Iopamidol: PT 101.720 (1995) • Iohexol: PT 101.919 (1996) • Roxitromicina: PT 102.202 (1998) • Mometasona e furoato: PT 102.343 (1999) e 102.405 (2000)

  12. 3. A Hovione e as patentesNúmeros • Situação de patentes em 2001: • Portugal pedidas 3 • Portugal concedidas 19 • Estrangeiro pedidas 144 • Estrangeiro concedidas 208 • Orçamento anual I&D: €2,5 m. • Despesa anual com patentes: € 120.000

  13. 3. A Hovione e as patentesPorquê ? • Retorno sobre o investimento • Margens de 50% • Concorrência mais reduzida • Cartão de visita numa indústria que dá muita importância à credibilidade. • Preciosa fonte de informações.

  14. 4. OrientaçõesInforme-se ! • Saiba ir buscar informações • Outras patentes • http://ww.uspto.gov • http://register.epoline.org/espacenet/ep/en/srch-reg.htm • Artigos • Revistas da especialidade • Conferências e feiras.

  15. 4. Orientações O que pode patentear * • Que processos pode patentear ? • Tudo o que constitua um benefício, uma vantagem: • Industrial – mais simples, menos passos. • Económico – melhor rendimento, outras matérias primas mais baratas. • Ambiental – Redução da carga poluente directa, facilidade de tratamento downstream. • Qualidade – Melhor pureza, menos impurezas, melhor perfil toxicológico. • Terapêutico – Melhor absorpção, melhor biodisponibilidade (esp. patentes de formulação). • A avaliação do rácio custo/benefício é fundamental. • Se um novo processo resultar mais caro que a concorrência, não trará vantagem.

  16. 4. Orientações O que pode patentear * • Certo, mas o que é que posso patentear ? • Coisas simples ! • Pequenos truques podem ser patenteados. • Não há conhecimento de uma patente ter dado um prémio Nobel, mas se quiser, pode publicar a sua invenção num “Journal” depois de fazer a patente. Não precisa de ser um génio para ser um inventor.Mas precisa de perceber o seu mundo e ser prático e imaginativo

  17. 4. Orientações O que vale a pena patentear* • O que vale a pena patentear ? • Só vale a pena patentear quando a patente pode ser policiada (“enforced”). • Só vale a pena patentear quando no produto se podem encontrar provas da utilização da invenção patenteada. • Só vale a pena patentear se conseguir convencer o Marketing e Vendas que a patente vai trazer mais e melhores vendas !

  18. 5. Conclusões • Importância estratégica para a empresa. • Contribuição significativa nos lucros. • A Hovione decidiu incentivar os seus cientistas na produção de patentes.

  19. Obrigado pela vossa atenção Peter Villax 21 982 9361 pvillax@hovione.com

  20. Ivan Villax 1948 Lic. Engenharia Quimica 1992 Ph.D.

  21. Loures Construida em 1968-69 Expansão contínuada.

  22. Loures Investimentos em automação industrial rondam os €4 m.

  23. Loures A nova face da indústria química:Salas limpas para fabricos de injectáveis

  24. I & D A maior investidoraem I&D químico-farmacêutico nacional. A maior depositante de patentes portuguesa.

  25. Macau Inaugurada em 1986. Abastece todos os mercados.

  26. New Jersey Início de laboração em Setembro de 2002. Mercado americano.