curso de redes locais sem fio n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
CURSO DE REDES LOCAIS SEM FIO PowerPoint Presentation
Download Presentation
CURSO DE REDES LOCAIS SEM FIO

play fullscreen
1 / 127

CURSO DE REDES LOCAIS SEM FIO

142 Views Download Presentation
Download Presentation

CURSO DE REDES LOCAIS SEM FIO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. CURSO DE REDES LOCAIS SEM FIO PROF. MARCELO MARTINS DE OLIVEIRA

  2. REDE SEM FIO

  3. A SITUAÇÃO NO BRASIL • DAS 100 EMPRESAS MAIS INFORMATIZAS 45% USAM REDES 802.11g; • PESQUISA COM 500 EMPRESAS COM MAIS DE 100 FUNCIONÁRIOS APONTOU QUE 23% JÁ USAM WLANs; - 8% DELAS PRETENDEM INSTALAR WLANs EM SEIS MESES; - 5% DELAS PRETENDEM INSTALAR WLANs EM UM ANO.

  4. BENEFÍCIOS • MOBILIDADE • INSTALAÇÃO RÁPIDA, SIMPLES E FLEXÍVEL • INSTALAÇÃO EM ÁREAS DE DIFÍCIL ACESSO • NÃO VÃO SUBSTITUIR AS REDES CABEADAS • ESCALABILIDADE • CONFIABILIDADE

  5. TIPOS DE REDES SEM FIO • LUZ - LASER - INFRAVERMELHO • RADIOFREQUÊNCIA 1)BLUETOOTH 2) IEEE 802.11 - WLAN (WIRELESS LAN) 3) IEEE 802.16 - WIMAX

  6. LASER

  7. LASER

  8. LASER • CARACTERÍSTICAS - SIMILAR A TRANSMISSÃO EM FIBRA ÓTICA - CODIFICAÇÃO ATRAVÉS DE PULSOS LUMINOSOS • TOPOLOGIAS - PONTO A PONTO - ESTRELA

  9. LASER • CARACTERÍSTICAS - REQUER LINHA DE VISADA - VELOCIDADE – 100 MBPS ATÉ 1 GBPS - DISTÂNCIA MÁXIMA - 3 KM • PROBLEMAS - CHUVA, NEBLINA, PÁSSAROS, ETC... - CUSTO ALTO: 15.000$ O PAR

  10. INFRAVERMELHO

  11. INFRAVERMELHO • CARACTERÍSTICAS - CODIFICAÇÃO ATRAVÉS DE PULSOS LUMINOSOS INFRAVERMELHOS - REQUER LINHA DE VISADA - NÃO ATRAVESSA OBJETOS OPACOS - VELOCIDADE - 16 MBPS - DISTÂNCIA MÁXIMA - 10 m - AMBOS OS DISPOSITIVOS DEVEM ESTAR FIXOS

  12. INFRAVERMELHO • TOPOLOGIAS - PONTO A PONTO - ESTRELA

  13. RADIOFREQUÊNCIA

  14. PADRÕES IEEE

  15. PADRÕES IEEE • PAN (REDES PESSOAIS) - ATÉ 10m • WLAN (REDES WI-FI) - ATÉ 150m • WMAN (REDES METROPOLITANAS) - WIMAX • WWAN (GRANDES DISTÂNCIAS)

  16. PADRÕES IEEE • REDES PESSOAIS – PAN - DISTÂNCIAS ATÉ 10 m – VEL. 1 MBIT/S - 802.15.1 BLUETOOTH - 802.15.3 UWB - 802.15.4 ZIGBEE (SENSOR DE PRESENÇA)

  17. PAN - BLUETOOTH

  18. PAN - BLUETOOTH • O NOME BLUETOOTH É ORIUNDO DO CONQUISTADOR VIKING CHAMADO HARALD BLUETOOTH QUE UNIFICOU A DINAMARCA E A NORUEGA NO SÉCULO X.

  19. PAN - BLUETOOTH • PADRÃO 802.15.1 - PERMITE CRIAR VÁRIAS PANs - TECNOLOGIA DESENVOLVIDA PELA ERICSSON. - VELOCIDADE 1 MBPS (NOMINAL) 720 KBPS. - OPERA NA FREQUÊNCIA DE 2.4 GHZ. - SUPORTA COMUNICAÇÃO SÍNCRONA E ASSÍNCRONA. - ACESSO COMPARTILHADO AO MEIO (USA O AR).

  20. PAN – BLUETOOTH • UM CHIP BLUETOOTH CUSTA US$ 5,00

  21. BLUETOOTH • VANTAGENS - SOLUÇÃO VIÁVEL, BAIXO CUSTO, PARA REDES DE CURTO ALCANCE. - SUPORTA TRÁFEGO DE VOZ, DADOS, GRÁFICOS E VÍDEO. - FACILMENTE INTEGRADA AOS PROTOCOLOS DE COMUNICAÇÃO.

  22. BLUETOOTH • DESVANTAGENS - LIMITE DO NÚMERO MÁXIMO DE DISPOSITIVOS CONECTADOS. - ALCANCE BASTANTE RESTRITO.

  23. BLUETOOTH

  24. BLUETOOTH • REDES PICONET (REDE PEQUENA)

  25. BLUETOOTH • REDES PICONET (REDE PEQUENA) - POSSUI 1 DISPOSITIVO MESTRE E ATÉ 7 DISPOSITIVOS ESCRAVOS. - ELES COMPARTILHAM O MESMO CANAL OU SEQUÊNCIAS DE SALTOS DE FREQUÊNCIA. - OS DISPOSITIVOS ESCRAVOS SÓ SE COMUNICAM COM OS DISPOSITIVOS MESTRE. - MESTRE É QUEM É ALIMENTADO POR ENERGIA. - ESCRAVO É QUEM É ALIMENTADO POR BATERIA

  26. PICONET - BLUETOOTH • FUNÇÕES DO MESTRE - AJUDA NA SINCRONIZAÇÃO ENTRE OS ESCRAVOS. - A FREQUÊNCIA ATUAL. - DETERMINA O SALTO DE FREQUÊNCIA - RELÓGIO. - QUAL ESCRAVO IRÁ TRANSMITIR. OBS.: CADA PICONET PODERÁ TER SOMENTE UM DISPOSITIVO MESTRE

  27. SCATTERNET - BLUETOOTH

  28. SCATTERNET - BLUETOOTH • SIGNIFICA REDE ESPALHADA OU DIFUSA. • DUAS OU MAIS PICONETS FORMAM UMA SCATTERNET QUANDO AO MENOS UM DISPOSITIVO ESTÁ PRÓXIMO DOS MESTRES DAS DUAS REDES • VÁRIAS PICONETS PODEM OPERAR COM ÁREAS DE SOBREPOSIÇÃO

  29. PAN – ULTRA WIDEBAND (UWB)

  30. PAN – ULTRA WIDEBAND (UWB) • PADRÃO 802.15.3 a - DOIS PADRÕES PREPOSTOS: 1) MULTI-BAND OFDM – TEXAS INSTRUMENTS 2) DIRECT SEQUENCE SPREAD (DSS) – MOTOROLA - ESPERA-SE QUE MAIS DE 260 MILHÕES DE CHIPS UWB SERÃO VENDIDOS ATÉ 2009 - SEU PRINCIPAL CONCORRENTE É O BLUETOOTH

  31. PAN - ZIGBEE

  32. PAN - ZIGBEE • PADRÃO 802.15.4 - BAIXO CUSTO, BAIXO CONSUMO E BAIXA TAXA DE TRANSMISSÃO - ALCANCE 75 m - TAXA DE TRANSMISSÃO 20 A 250 KBPS - BATERIA COM DURAÇÃO DE ATÉ 3 ANOS - TOPOLOGIA ESTRELA - SUPORTA ATÉ 255 DISPOSITIVOS POR REDE

  33. WIMAX

  34. WIMAX • PADRÃO IEEE 802.16

  35. PADRÕES IEEE • REDES METROPOLITANAS – WIMAX - COBRE MÉDIAS DISTÂNCIAS – VELOCIDADE 70MBIT/S - 802.16 a - 802.16 e

  36. WIMAX • WORDWIDE INTEROPERABILITY FOR MICROWAVE ACCESS - A ESPECIFICAÇÃO IEEE 802.16 ATENDE AO OBJETIVO DE IMPLEMENTAR ACESSO DE BANDA LARGA SEM FIO: 1) IEEE 802.16 d – ACESSO FIXO (JÁ REGULAMENTADO) 2) IEEE 802.16 e – ACESSO MÓVEL (AINDA NÃO FOI REGULAMENTADO) - INÍCIO NO ANO DE 2001

  37. WIMAX • PADRÃO IEEE 802.16 - PRECISA DE LICENÇA DA ANATEL PARA OPERAR - ALCANCE DE ATÉ 50 KM (EXIGE VISADA) - ALCANCE DE 5 A 8 KM (SEM VISADA) - VELOCIDADE DE 75 MBPS - PERMITE A CONEXÃO DE MILHARES DE CLIENTES EM UMA ÚNICA CÉLULA - OPERA NA FAIXA DE 2 A 11 GHZ (POREM A ANATEL ATUALMENTE SÓ ESTÁ LIBERANDO A FAIXA DE 3.5 GHZ)

  38. REDES WI-FI - WLAN

  39. PADRÕES IEEE • REDES WI-FI - WLAN - DISTÂNCIA ATÉ 150 m - VELOCIDADES 11 MBIT/S A 54 MBIT/S - 802.11 a - 802.11 b - 802.11 g

  40. IEEE 802.11

  41. IEEE 802.11 (CRIADO EM 1990) • IEEE (INSTITUTE OF ELECTRICAL ANDELECTRONICS ENGINEERS). • 802.11 (FAMÍLIA DE PADRÕES QUE ESPECIFICAM O FUNCIONAMENTO DAS REDES SEM FIO). • EM 1997 O IEEE ESTABELECEU O PADRÃO WLAN DE 1 E 2 MBPS BASEADO NO WLAN DA EMPRESA LUCENT. • ESTA TECNOLOGIA FOI DESENVOLVIDA ORIGINAMENTE PARA RESOLVER O PROBLEMA DE CABEAMENTO DAS FÁBRICAS.

  42. IEEE 802.11 • PADRÕES E FREQUÊNCIAS - 802.11 a - 5 GHZ - 54 MBPS - 802.11 b - 2.4 GHZ - 11 MBPS - 802.11 G - 2.4 GHZ - 54 MBPS - FREQUÊNCIAS LIVRES - NÃO PRECISA DE SER AUTORIZADA PELA ANATEL

  43. IEEE 802.11 • VISADA

  44. IEEE 802.11 • VISADA - EM AMBIENTES EXTERNOS REQUER VISADA DIRETA. - EM AMBIENTES INTERNOS NÃO REQUER VISADA. - NA VISADA NÃO BASTA UMA ANTENA VER A OUTRA, É PRECISO TER UMA VISÃO AMPLA. - REQUER UMA ELIPSE LIVRE DE OBSTÁCULOS ENTRE AS ANTENAS. - DEVEMOS TER CUIDADOS COM A VEGETAÇÃO, QUE PODE CRESCER E BLOQUEAR A VISÃO.

  45. IEEE 802.11 • VISADA

  46. IEEE 802.11 • ZONA DE FRESNEL - É A ZONA DE PROPAGAÇÃO ADICIONAL QUE DEVE SER LEVADA EM CONSIDERAÇÃO ALÉM DA VISIBILIDADE DIRETA ENTRE AS ANTENAS. - A PROPAGAÇÃO PROVOCA REFLEXÕES E MUDANÇAS DE FASE NAS ONDAS ETROMAGNÉTICAS AO PASSAR SOBRE UM OBSTÁCULO. - RESULTA NO AUMENTO OU DIMINUIÇÃO DO NÍVEL DE SINAL RECEBIDO.

  47. IEEE 802.11 • ZONA DE FRESNEL - SE A DISTÂNCIA AUMENTA A ZONA DE FRESNEL SE ALARGA. - PARA GRANDES DISTÂNCIAS AS ANTENAS DEVEM FICAR EM PONTOS MAIS ALTOS.

  48. IEEE 802.11 • ZONA DE FRESNEL

  49. ZONA DE FRESNEL • CÁLCULO DA ZONA DE FRESNEL PONTO C PONTO B PONTO A D1 D2 D

  50. ZONA DE FRESNEL RM = RAIO DE FRESNEL D1 = DISTÂNCIA AC (KM) D2 = DISTÂNCIA DE ENLACE (KM) F = FREQUÊNCIA