Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
EDUCA O INCLUSIVA PowerPoint Presentation
Download Presentation
EDUCA O INCLUSIVA

EDUCA O INCLUSIVA

170 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

EDUCA O INCLUSIVA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. EDUCAO INCLUSIVA Profa.: Jane Peruzo Iacono Projeto: UNIOESTE/MEC 2006

    2. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    3. Porque essa definio fruto da desinformao e da superficialidade de anlise e por que: A expresso necessidades educacionais especiais utilizada como sinnimo de deficincia, o que no corresponde verdade; Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    4. Somente os alunos com deficincia seriam alvos das polticas de incluso, como se apenas estes estivessem margem do sistema educacional, apresentando problemas na aprendizagem; Reduz-se a complexa problemtica social da incluso, que estende seus tentculos aos diferentes segmentos sociais, ao espao escolar como se, uma vez matriculados os alunos nas classes comuns, estaria garantida sua incluso educacional e social. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    5. Necessita-se assim, de uma reflexo conceitual sobre o que seja INCLUSO, a quem se destina e onde ela deve ocorrer. As concepes da SEED sobre este tema determinam as formas de organizao do sistema educacional, definem prioridade no programa de formao continuada de professores e estabelecem os critrios para a constituio de redes de apoio educacional aos alunos, aos professores e s famlias. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    6. As polticas e prticas de INCLUSO no tm um significado nico e consensual, mas so determinadas por mltiplos fatores. Eles incluem: uma ampla rede de significaes no entrecruzamento de diferentes olhares e formas de se efetivar esse processo; na inter-relao de como eu, os outros e as instituies sociais definem e praticam a incluso que ela pode ou no, tornar-se realidade. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    7. A SEED prope trs recortes conceituais: A INCLUSO PARA TODOS A sociedade capitalista produz uma massa de excludos e assim a preocupao com a INCLUSO, no se refere mais a um nico grupo no espao escolar: o das pessoas com deficincia, pois as escolas inclusivas so escolas para todos, implicando num sistema educacional que reconhea e atenda s diferenas individuais, respeitando as necessidades de qualquer aluno (EDLER CARVALHO, 2004, p.26). Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    8. Deficincias so inerentes aos sujeitos, constituem sua subjetividade; no definem sua essncia, mas determinam modos de ser e estar no mundo que podem gerar ou no impedimentos ou colocar os sujeitos que as apresentam em situao de desvantagem, a depender dos resultados da interao das caractersticas diferenciadas das pessoas com deficincia, com as representaes em torno dela e das tecnologias disponveis no meio social a seu servio. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    9. A noo de deficincia , pois, uma questo contingencial e decorre de normas e expectativas da sociedade (...) uma situao que surge como produto da interao daqueles que apresentam determinados atributos com o meio social, que interpreta e considera tais aspectos como desvantagens (FERREIRA E GUIMARES, 2003, p. 32). Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    10. A expresso NECESSIDADES ESPECIAIS no deve ser tomada como sinnimo de deficincias (mentais, sensoriais, fsicas ou mltiplas), pois abrange uma srie de situaes e/ou condies pela qual qualquer pessoa pode estar submetida em decorrncia de uma limitao, temporria ou permanente, oferecendo obstculos em nossa vida em sociedade, considerando-se a idade, o sexo, os fatores culturais, as condies de sade, os quadros afetivo-emocionais, entre outros fatores (FERREIRA E GUIMARES, 2003, p. 32). Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    11. Assim, a fratura de uma perna, a senilidade a depresso profunda ocasionada pela perda de um ente querido, a obesidade mrbida, a necessidade de uso permanente de medicamentos, rteses ou prteses, entre tantas outras adversidades a que estamos sujeitos, caracteriza uma situao de necessidades especiais e no se referem, necessariamente, a uma situao de deficincia. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    12. Ento, as necessidades especiais no se referem s limitaes apresentadas pelas pessoas, mas s exigncias de ampla acessibilidade que oportunize as condies necessrias independncia e autonomia dos sujeitos. Evidencia-se a responsabilidade social de prever e prover meios de satisfazer essas necessidade, ao invs de destacar o sujeito que a apresenta. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    13. 2 A INCLUSO EDUCACIONAL TRILHADA POR DIFERENTES CAMINHOS A SEED considera a existncia de trs tendncias sobre o modo de se pensar e praticar o processo de incluso; elas diferem em natureza, princpios e formas de concretizao, em sala de aula. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    14. O primeiro denominado de INCLUSO CONDICIONAL e considerado a forma mais conservadora de todos. Condiciona a efetivao da incluso a: se todos os professores forem capacitados antes, quando todas as escolas estiverem adaptadas, apenas se diminurem o nmero de alunos por turma, se eu tiver um especialista como auxiliar.... So afirmaes que remetem a um futuro incerto que, pela impossibilidade de concretizao a curto prazo, inviabiliza o direito de acesso e permanncia desses alunos escola, no momento atual, descumprindo o preceito assegurado na Constituio Federal. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    15. O segundo um movimento que vem sendo denominado de INCLUSO TOTAL OU RADICAL e radicalmente oposto ao primeiro. A professora Maria Teresa Egler Mantoan uma das defensoras desse movimento e afirma que encaminhar para as classes e escolas especiais os alunos que tm dificuldades de aprendizagem, sendo ou no deficientes, funciona como vlvula de escape do professor, que repassa os problemas para outros colegas, os especializados, e, assim, tira de seus ombros o peso de suas limitaes profissionais (Mantoan, 2004, p. 28). Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PRM

    16. A terceira posio denominada pela SEED de INCLUSO RESPONSVEL e fundamentada nos seguintes princpios: O desafio da incluso escolar enfrentado como uma nova forma de repensar e reestruturar polticas e estratgias educativas, de maneira a no apenas criar oportunidades efetivas de acesso para crianas e adolescentes com necessidades educacionais especiais, mas, sobretudo, garantir condies indispensveis para que possam manter-se na escola e aprender. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    17. Nesse momento de transio de paradigmas, as conquistas j consolidadas pelas pessoas com necessidades educacionais especiais e seus familiares, historicamente, no podem ser descartadas e as estruturas desmanteladas, como se no tivessem um valor histrico indiscutvel na complexa rede de relaes que constituem o sujeito social. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    18. ... um movimento que no pode abrir mo de uma rede de ajuda e apoio aos educadores, alunos e familiares. Assim, a SEED afirma que h uma parcela de crianas e adolescentes que, em funo de seus graves comprometimentos ou necessidades de comunicao diferenciada, requerem ateno individualizada e adaptaes curriculares significativas, as quais necessitam que seu atendimento seja, atualmente, realizado em classes ou escolas especiais. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    19. A SEED afirma tambm que o processo de incluso desestabilizou velhas certezas, uma vez que trouxe inmeros questionamentos sobre concepes e prticas arraigadas na educao. Se os professores especialistas dominam estratgias metodolgicas especficas que beneficiam os alunos especiais, desconhecem, muitas vezes, princpios terico-metodolgicos subjacentes s diferentes reas de conhecimento, j que seu fazer pedaggico esteve por anos relacionado a prticas de reabilitao. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    20. Mesmo com todas as garantias legais que asseguram o direito de acesso escola, na prtica, no se garante o ensino de qualidade, ou seja, a escola de todos no a escola para todos (FACION, 2005, p. 49), almejada nos princpios das polticas educacionais. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    21. Isso se deve a um complexo conjunto de fatores que envolvem desde a ineficaz gesto de rgos governamentais, consideradas barreiras poltico-administrativas, at as que so consideradas as formas mais perversas de excluso, aquelas com baixa visibilidade, que se manifestam simbolicamente por meio de (pr)conceitos e discriminao que constroem esteretipos e mitos sobre as pessoas, consideradas barreiras atitudinais, presentes na sociedade como um todo. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    22. Um instrumento que a escola pode dispor para concretizar o processo de incluso o Projeto Poltico-Pedaggico como veculo que sintetiza as aspiraes e princpios que refletem a ao da escola, oferecendo possibilidades de legitimar as diretrizes e linhas de ao pelas quais sero construdas propostas para a aprendizagem e participao de todos os alunos na escola. Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    23. No PPP devem ser contempladas trs dimenses de ao que competem a segmentos distintos: comunidade escolar e sociedade em geral a quem cabe a construo de culturas inclusivas (envolve propostas para a construo de uma comunidade escolar segura, receptiva, colaboradora e estimulante em que todos so considerados importantes para a remoo de barreiras para a aprendizagem e para a participao); Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR

    24. s secretarias municipais e estaduais de educao s quais cabe a elaborao de polticas inclusivas (organizao de apoios e a formao continuada dos professores e demais profissionais da educao); Aos professores e equipe tcnico-pedaggica a quem cabe a dimenso das prticas inclusivas (a organizao do processo de aprendizagem por meio da flexibilizao e adaptaes curriculares (de contedos, metodologias e avaliao). Discusso do Texto: INCLUSO E DIVERSIDADE: REFLEXES PARA A CONSTRUO DO PROJETO POLTICO-PEDAGGICO SEED - PR