1 / 27

Adolesc ncia

Carta

adamdaniel
Télécharger la présentation

Adolesc ncia

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    1. Adolescncia Uma Viso Esprita Murilo Machado Set/2003

    2. - Ser que sua me j se recuperou do choque? - Ser que j resolveu ampara-la? - O que seria a loucura que estava a ponto de fazer? - Ser que ela o fez?- Ser que sua me j se recuperou do choque? - Ser que j resolveu ampara-la? - O que seria a loucura que estava a ponto de fazer? - Ser que ela o fez?

    3. Adolescncia Aproximadamente entre 14 e 20 anos para os rapazes e dos 12 aos 18 para as moas nos pases frios, e com uma variao para mais cedo nos trpicos. Alteraes fsicas (a voz nos rapazes, o desenvolvimento dos ossos da bacia e dos seios nas moas). Surgimento do interesse sexual . Surgimento de conflitos como insegurana, ansiedade, timidez, instabilidade, angustia. A infncia e a juventude do ser humano so os mais longos existentes entre os animais. Porque? Tem como meta preparar o ser para toda a existncia. O esprito traz as matrizes das existncias passadas. A educao deve corrigir erros e aprimorar acertos.

    4. -Essa a resposta que muitos pais do a si prprios... -At o problema venha a bater sua porta! - Comeam as indagaes: Onde foi que eu errei? Porque em minha casa? Por que com meu filho(a)? -Essa a resposta que muitos pais do a si prprios... -At o problema venha a bater sua porta! - Comeam as indagaes: Onde foi que eu errei? Porque em minha casa? Por que com meu filho(a)?

    5. Senhores pais, perdoem-me a dureza da revelao, mas ela necessria: -Parece ridculo? Mas como boa parte dos pais age. -Recusam-se a ver seus filhos como seres sexuados, e querem que eles tambm o faam. -Tapam o sol com a peneira, fugindo do assunto ou tratando de forma repressora. -Um dia o assunto lhe cai no colo, chorando e molhando fraudas! -Parece ridculo? Mas como boa parte dos pais age. -Recusam-se a ver seus filhos como seres sexuados, e querem que eles tambm o faam. -Tapam o sol com a peneira, fugindo do assunto ou tratando de forma repressora. -Um dia o assunto lhe cai no colo, chorando e molhando fraudas!

    6. Sexo no pecado ! Diferente das drogas, do fumo, do lcool, que so criaes humanas. O sexo criao de Deus. Portanto divino, puro e bom. No nos cabe mais a viso medieval do sexo-pecado. Ou a moral farisaica, hipcrita, que vem vigorando at hoje. Sexo a nica forma de preservao da raa humana e de todas as outras. Alm da preservao da espcie, fator de unio entre um homem e uma mulher, fonte de prazer e um dos suportes da unio entre casais. E a comea a controvrsia... De que casais falamos? -Sexo no pecado, no feio, no sujo. No algo inferior que existe para atormentar as pessoas. -Ns espritos imperfeitos que usamos mal esta energia, e depois por vergonha e hipocrisia, criamos uma srie de mitos, fantasmas e preconceitos em torno do assunto. -Sexo no pecado, no feio, no sujo. No algo inferior que existe para atormentar as pessoas. -Ns espritos imperfeitos que usamos mal esta energia, e depois por vergonha e hipocrisia, criamos uma srie de mitos, fantasmas e preconceitos em torno do assunto.

    7. Sexo no pecado ! S para os casados? Solteiros no podem? Namorados tambm no? Quando a hora certa para a iniciao sexual? Casamento conveno humana (LE - 695) No h idade estabelecida para a iniciao sexual. Mas h fatores a analisar sob pena de dissabores futuros... Potencialmente, toda relao sexual pode resultar em gravidez. No h mtodo 100% eficaz. Muitos no imaginam a fora dos vnculos criados na comunho sexual.

    8. O cdigo do ficar O ficar tem suas prprias regras. (Enqute realizada pela revista Capricho) A maioria acha normal ficar com mais de uma pessoa numa noite. Mas h limites. Trs ficantes por balada j est de bom tamanho. Nem pense em ficadas em festa de famlia. Isto no coisa para ser presenciada pelo pai e pela me. Uma em cada duas meninas diz que a ousadia o beijo. Uma em cada trs no v problemas se houver carcias. A expectativa de quatro em cada dez meninos que a ficada acabe em transa. A maioria dos jovens no v problemas se encontrar o ficante da balada com outro par no dia seguinte. A ficada s vira namoro se houver conversa formalizando a situao. Ficar com a mesma pessoa vrias vezes no sinal de compromisso. Seu filho fica?Seu filho fica?

    9. Namoro Ns conhecemos uma srie de pessoas interessantes. Paqueramos... Escolhemos uma que faz o corao bater mais forte. Passamos a conviver com ela mais intimamente. Vamos a um monte de lugares. Fazemos um monte de coisas juntos e a...a? E a nada. assim mesmo. Namoro bom, sadio e necessrio. Qual a idade correta? No existe regra. Cada um amadurece de forma diferente. A idade no precisa ser fator para determinar o inicio do namoro, mas para a adoo de regras para ele. E quanto ao sexo? permitida a comunho sexual entre namorados? Respondamos de forma diferente: Ela no obrigatria. Voc no obrigado a transar, s porque todo mundo transa. FAZER COCHICHO COM AS PERGUNTASFAZER COCHICHO COM AS PERGUNTAS

    10. Namoro e Sexo Encarar o assunto de frente com os filhos. Responder as dvidas com a maior transparncia possvel, na medida que surjam. O que importa que a resposta venha de casa, seno a rua ser a professora... Devolva a responsabilidade: Voc est preparado para assumir as responsabilidades de ordem fsica e emocional? Os filhos no precisam de informao, mas de formao. Este deve ser o tom das conversas a respeito. A lei de causa e efeito, devidamente colocada, funciona como busca ao equilbrio. Sexo sem amor agresso brutal na busca do prazer de efmera durao e de resultado desastroso, por no satisfazer nem acalmar. Joana de ngelis, Adolescncia e Vida, pg 22.

    11. Namoro e Sexo No proibio, mas educao. No abstinncia imposta, mas emprego digno, com o devido respeito aos outros e a si mesmo. No indisciplina, mas controle. No impulso livre, mas responsabilidade. Fora disto, teorizar simplesmente, para depois aprender ou reaprender com a experincia. Emmanuel, Vida e Sexo, introduo. Em nenhum caso, ser-nos- lcito subestimar a importncia da energia sexual... criatura alguma, no plano da razo, se utilizar dela, nas relaes com outra criatura, sem conseqncias felizes ou infelizes, construtivas ou destrutivas, conforme a orientao que se lhe d. Emmanuel, Vida e Sexo, pg 27.

    13. Aborto Crime capitulado no artigo 124 do Cdigo Penal Brasileiro. Se isto fosse suficiente ningum faria. Chegam anualmente a rede pblica de sade 300.000 casos de atendimento em conseqncia do aborto (Folha de So Paulo, 29/09/1996). Salvo raras excees, ningum aborta porque quer (h pessoas que se dizem donas do corpo...) Alternativa desesperada, conseqncia mxima do preconceito e da solido. Pais que fecham as portas aos filhos diante de uma gravidez indesejada, so mais frios e inconseqentes do que as mos que empunham a cureta. No que a gravidez precipitada seja momento de comemorao, mas com certeza hora de profunda reflexo. Espiritismo: Esclarece causas e conseqncias, ampara, conforta.

    15. Drogas Definio: Segundo o dicionrio Aurlio, droga qualquer substncia alucingena, entorpecente ou excitante, utilizada com a finalidade de alterar transitoriamente a personalidade. As proibidas por lei, e desaprovadas pela moral social: Maconha, crack, cocana...

    16. Drogas - lcool Alcolatra: todo sujeito que bebe freqentemente qualquer espcie de bebida alcolica, e que com a mesma freqncia, afirma que pra quando quiser. 38% dos jovens universitrios brasileiros j usaram drogas ao menos uma vez. Includo o lcool o nmero sobre para 90,1% (Fonte: Grupo Interdisciplinar de Estudos de lcool e Drogas - Hospital das Clinicas SP) Pais que bebem, tem boas chances de serem seguidos por seus filhos, restando apenas torcer para que eles saibam o momento de parar. A vinculao alcolica escraviza a mente desarmonizando-a e envenena o corpo deteriorando-o. Joana de ngelis, S.O.S. Famlia

    17. Qual a idade do primeiro contato com as drogas?

    18. Drogas X Educao e Amor Na origem de toda viciao estar algum desequilbrio, tentando ingenuamente ser esquecido, superado, ou at mesmo castigado, envolvendo na maioria das vezes, os membros da famlia. Pais que se amam, se respeitam, do exemplos de conduta digna, do a devida ateno aos filhos, dificilmente incorrero em problemas desta ordem. Pais que buscam a fuga da realidade... Estabelecer limites aos jovens imprescindvel para uma formao sadia. Pais que buscam a fuga da realidade mergulhando em calmantes indiscriminadamente, ou acelerando seu ritmo com anfetaminas, estaro mostrando um atalho extremamente perigoso para os filhos. Diante se qualquer dificuldade podero seguir o mesmo caminho, optando por outras marcas, como maconha e cocana... LIMITES: Faa com amor e equilbrio, mas faa. Ele espera isto de voc e lhe agradecer um dia. Dica: Procure um drogado feliz para ver se voc acha. Tente encontrar alguma histria de sucesso envolvendo drogados, principalmente no finalzinho dela. Tudo na vida deles vai mal, a famlia, os estudos, o trabalho, o relacionamento afetivo, etc. No adianta apenas falar que as drogas so coisas ruins. necessrio que se mostre que atrs deste prazer (sim, as drogas so prazerosas), existe um preo extremamente caro, que no vale a pena pagar. Pais que buscam a fuga da realidade mergulhando em calmantes indiscriminadamente, ou acelerando seu ritmo com anfetaminas, estaro mostrando um atalho extremamente perigoso para os filhos. Diante se qualquer dificuldade podero seguir o mesmo caminho, optando por outras marcas, como maconha e cocana... LIMITES: Faa com amor e equilbrio, mas faa. Ele espera isto de voc e lhe agradecer um dia. Dica: Procure um drogado feliz para ver se voc acha. Tente encontrar alguma histria de sucesso envolvendo drogados, principalmente no finalzinho dela. Tudo na vida deles vai mal, a famlia, os estudos, o trabalho, o relacionamento afetivo, etc. No adianta apenas falar que as drogas so coisas ruins. necessrio que se mostre que atrs deste prazer (sim, as drogas so prazerosas), existe um preo extremamente caro, que no vale a pena pagar.

    19. Drogas Cuidado com o Ecstasy. No se deixe iludir: No existe felicidade qumica. Voc feliz ou no conforme sua maneira de encarar a vida. A juventude quadra primaveril dos sonhos e das ambies, das sensaes e paixes desordenadas, que devem ser canalizadas pela educao objetivando a felicidade. Quando isto no ocorre, se transforma em vero de desespero ou inverno de angstias perturbadoras. Joana de ngelis, Adolescer, introduo. Alerta: Sempre surge uma droga nova tentando parecer inofensiva, como foi o LSD um dia e hoje o Ecstasy. O Ecstasy induz a ataques de pnico e ansiedade, provoca danos nas clulas nervosas, o que leva depresso crnica. Alerta: Sempre surge uma droga nova tentando parecer inofensiva, como foi o LSD um dia e hoje o Ecstasy. O Ecstasy induz a ataques de pnico e ansiedade, provoca danos nas clulas nervosas, o que leva depresso crnica.

    21. AIDS 20% dos atendidos pela Casa da AIDS, mantida pelo Hospital das Clinicas da Universidade de So Paulo, foram infectados entre 15 e 18 anos. Principais formas de contgio: Sexo promscuo e uso compartilhado de drogas injetveis. A AIDS nasceu do desrespeito do ser humano por si prprio e pelo semelhante. O HIV pode at atravessar o ltex da camisinha ! A ignorncia responde por males incontveis que afligem a criatura humana e confundem a sociedade. Igualmente perversa a informao equivocada, destituda de fundamentos ticos e carente de estrutura lgica. Joana de ngelis, Adolescncia e Vida, pg 18. Deixei para tratar sobre AIDS depois de tratar de drogas e sexo. Porque? Drogas injetveis: No h muito que falar. So o ltimo estgio da degradao humana nesta rea. Sexo promscuo no a nica forma de sexo arriscado, mas sem dvida aumenta muito a probabilidade. Seria castigo de Deus? Deus deve ter muito mais o que fazer! Tem havido muitos casos em que o espermatozide atravessa o ltex, por ser menor que os poros do mesmo, causando a fertilizao. Um espermatozide mede 3 mcrons. J o vrus HIV 10 vezes menor que ou seja, 0,3 mcrons. As possibilidades de atravessarem os poros do ltex so incontveis. Deixei para tratar sobre AIDS depois de tratar de drogas e sexo. Porque? Drogas injetveis: No h muito que falar. So o ltimo estgio da degradao humana nesta rea. Sexo promscuo no a nica forma de sexo arriscado, mas sem dvida aumenta muito a probabilidade. Seria castigo de Deus? Deus deve ter muito mais o que fazer! Tem havido muitos casos em que o espermatozide atravessa o ltex, por ser menor que os poros do mesmo, causando a fertilizao. Um espermatozide mede 3 mcrons. J o vrus HIV 10 vezes menor que ou seja, 0,3 mcrons. As possibilidades de atravessarem os poros do ltex so incontveis.

    22. Informao X Emoo O jovem atual tem a disposio muita informao: TV, cinema, revistas, internet, etc. H muito esclarecimento sobre drogas e sexo. Mas nem sempre usa esta informao. Por que? As respostas se voltam ao mundo pantanoso das emoes. Sexo: Medo de falhar; Angustia de no saber fazer; Vergonha; Timidez; Sensao de que a paixo imuniza contra tudo e todos; Tentativa de um pacto de fidelidade. Droga: Presso dos amigos; Desejo de experimentar sensaes diferentes; O desafio; A transgresso das regras; O alvio de uma angstia; O prazer; A falta de opo para o lazer; O vcuo emocional nas famlias. Inseguro, quanto aos rumos do futuro, o jovem enfrenta o mundo que lhe parece hostil, refugiando-se na timidez ou expandindo o temperamento Joana de ngelis, Adolescncia e vida, pg 14. Recentemente em So Paulo um acidente de trnsito chamou a ateno de especialistas. Um grupo de jovens morreu. No bolso e na carteira de todos, camisinhas foram encontradas. Por que de um lado a preveno estava ao alcance das mos, e, de outro a imprudncia de dirigir embriagados acabou com a vida deles? Recentemente em So Paulo um acidente de trnsito chamou a ateno de especialistas. Um grupo de jovens morreu. No bolso e na carteira de todos, camisinhas foram encontradas. Por que de um lado a preveno estava ao alcance das mos, e, de outro a imprudncia de dirigir embriagados acabou com a vida deles?

    23. O jovem e o Espiritismo Matemtica: Qual o melhor dia da vida? Espiritismo racional. Nada de porque , goela abaixo (ao to criticada pelo jovem). Lei de causa e efeito (legal e fisiolgico, mas tambm espiritual). Diz que vlido se divertir, ambicionar uma posio social e econmica, realizar-se sexualmente, etc. VER FOLHA ANEXA SOBRE MATEMATICAVER FOLHA ANEXA SOBRE MATEMATICA

    24. O jovem e o espiritismo Muitos pais sentem-se como que trados ao descobrirem envolvimento de seus filhos com problemas relacionados com drogas, sexo ou violncias. Eu dei de tudo para a boa educao dele... Escola, roupas, clube, viagens... O psiquiatra Robert Coles, da faculdade de Medicina de Harvard, sugere desenvolvermos a inteligncia moral das crianas . O aspecto material da educao sempre o primeiro a ser observado pelos pais. A est o engano. O aspecto material da educao sempre o primeiro a ser observado pelos pais. A est o engano.

    26. Os pais espritas O que fez de errado a menina da carta? Nada certamente! Faltaram-lhe segurana, maturidade e orientao para distinguir um aproveitador de um rapaz responsvel. Poder at caber-lhe algum sofrimento (em funo da precipitao). Mas nada se igualar dor da me, quando ela acordar e conscientizar-se da gravidade de seu gesto. O exemplo das portas das casas de deteno! A me que virou as costas para o desespero da filha, certamente no o faz por falta de amor. O fez por falta de preparo, por submisso ao atavismo hipcrita da moral sexual que lhe foi imposta. O equivoco deve ser banido, mas o equivocado precisa de amor e compreenso. PRISES: - Quem tiver coragem, veja as cenas dos dias de visita as casas de deteno... - Observe a fila de mes, esposas, filhos, pais, irmos e amigos dos encarcerados. - No vo l para cobrar pelo erro de seus entes queridos. - Eles vo ali para manifestar seu amor, sem se preocupar com que o vizinho ir dizer. A me que virou as costas para o desespero da filha, certamente no o faz por falta de amor. O fez por falta de preparo, por submisso ao atavismo hipcrita da moral sexual que lhe foi imposta. O equivoco deve ser banido, mas o equivocado precisa de amor e compreenso. PRISES: - Quem tiver coragem, veja as cenas dos dias de visita as casas de deteno... - Observe a fila de mes, esposas, filhos, pais, irmos e amigos dos encarcerados. - No vo l para cobrar pelo erro de seus entes queridos. - Eles vo ali para manifestar seu amor, sem se preocupar com que o vizinho ir dizer.

    27. Os pais espritas

More Related