Download
doen as sexualmente transmiss veis n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Doenças sexualmente transmissíveis PowerPoint Presentation
Download Presentation
Doenças sexualmente transmissíveis

Doenças sexualmente transmissíveis

463 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Doenças sexualmente transmissíveis

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Doenças sexualmente transmissíveis Agnaldo Lopes da Silva Filho Professor adjunto DGO FM UFMG

  2. DST - Importância Grupo de doenças com traço comum a transmissão durante a atividade sexual • AIDS: maior importância às DST´s • facilitadoras infecção HIV • Complicações graves – óbito • Gestantes: transmissão ao feto • Impacto social e pscicológico

  3. DST • Sintomatologia: • Úlceras • Vesículas • Linfonodomegalia • Corrimento • Vegetações Atentar a queixa principal da pcte Exame físico

  4. Herpes genital • Virose transmitida predominantemente pelo contato sexual (inclusive oro-genital). • Caracteriza-se pelo aparecimento de lesões vesiculosas que em poucos dias transformam-se em pequenas úlceras. Herpes simples vírus tipos 1 e 2

  5. Herpes genital primário Período de incubação: 3 a 30 dias (média 7 dias) Formigamento Edema Ardor Prurido Dor Pápulas eritematosas Adenopatia inguinal dolorosa bilateral Vesículas agrupadas Úlceras Lábios genitais / clitóris / fúrcula / colo uterino

  6. Herpes genital recorrente Febre – Radiação – Traumatismos – Menstruação Estresse – Antibioticoterapia - Imunodeficiência Sinais e sintomas são menos intensos que o da primo-infecção

  7. Herpes genital - Diagnóstico • Clínico • Laboratorial • Citologia: células de Tzanck • Biópsia: corpúsculo de inclusão • Cultura: sensibilidade varia com o estágio da lesão • Tipagem viral (anticorpos monoclonais)

  8. Herpes genital - Tratamento • Sintomáticos • Analgésico e anti-inflamatório • Anti-sépticos tópicos • Imunomoduladores: levamisole e BCG • Vacinas

  9. Herpes genital - Tratamento Primoinfecção • Aciclovir 200 mg, VO, 5 x dia 400 mg, VO, 3 x dia • Fanciclovir 250mg, VO, 3 x dia • Valaciclovir 1g, VO, 2 x dia } GUIDELINE } M. SAÚDE GUIDELINE 7 a 10 dias

  10. Herpes genital - Tratamento Infecção recorrente • Aciclovir 400 mg, VO, 3 x dia, 5 dias 800 mg, VO, 2 x dia, 5 dias 800 mg, VO, 3 x dia, 3 dias • Fanciclovir 125 mg, VO, 3 x dia, 5 dias 1000 mg, VO, 2 x dia, 1 dia • Valaciclovir 500 mg, VO, 2 x dia, 3 dias 1g, VO, 1 x dia, 5 dias 1 a 5 dias

  11. Herpes genital - Tratamento Infecção recorrente muito frequente • Aciclovir 400 mg, VO, 2 x dia • Fanciclovir 250 mg, VO, 2 x dia • Valaciclovir 500 mg, VO, 2 x dia 1,0 g, VO, 1 x dia Tempo indeterminado

  12. PRIMOINFECÇÃO OU LESÕES HERPÉTICAS ATIVAS NO FINAL DA GESTAÇÃO (últimas 12 semanas) Prevenir infecção neonatal Cesariana Primo-infecção Aciclovir 400 mg, VO, 3 x dia, 7 a 10 dias EV nos casos de infecção severa

  13. Sífilis • É uma doença infecciosa, sistêmica, de evolução crônica, sujeita a surtos de agudização e períodos de latência. Agente eitiológico: Treponema pallidum

  14. Treponema pallidum (espiroqueta) Sexual Materno-fetal Adquirida Congênita • Recente • primária • secundária • latente recente • Tardia • latente tardia • terciária Recente Tardia Até 2° ano de vida Após 2° ano de vida Até 1 ano de evolução Mais de 1 ano de evolução

  15. Sífilis primária CANCRO DURO • adenopatia regional • não supurativa • móvel • indolor • múltipla • sem sinais flogísticos rosada ulcerada única endurecida fundo liso brilhante Período de incubação: 10 a 90 dias (média 21 dias) 10 a 20 dias (2 m)  colo / vulva / períneo

  16. Sífilis secundária 4 a 6 semanas após o cancro duro • Lesões cutâneo-mucosas, não ulceradas • Manchas eritematosas (roséolas) • Pápulas eritemato-acastanhada (sifílides papulosas), palmo-plantares • Alopécia • Lesões pápulo-hipertróficas

  17. Sífilis latente • Ausência de sinais e sintomas clínicos • Diagnóstico: testes sorológicos • Duração variável

  18. Sífilis terciária • Lesões cutâneo-mucosas • Tubérculos e gomas • Lesões neurológicas • Tabes dorsalis e demência • Lesões cardiovasculares • Aneurisma aórtico • Lesões articulares • Artropatia de Charcot 3 a 12 anos de infecção

  19. Sífilis congênita • Taxa de transmissão vertical: • Fases 1ª e 2ª : 70 a 100% • Fase latente e 3ª: 30% • Morte perinatal: 40% das crianças infectadas A transmissão materna pode ocorrer em qualquer fase da gestação. MINISTÉRIO DA SAÚDE

  20. Sífilis – Diagnóstico laboratorial • Pesquisa direta (campo escuro) • Técnica específica / Material de lesão ulcerada • Reações não-treponêmicas – VDRL • Detecta antígenos cardiolipínicos / Alta sensibilidade / Baixa especificidade / Diagnóstico / Controle de cura • Reação treponêmica – FTA-Abs • Cepas de Treponemas / Qualitativa / Confirmação da infecção / Reativa após 15° dia da infecção / FTA-Abs Ig M

  21. Sífilis - Diagnóstico laboratorial

  22. Sífilis – Tratamento Recente (Primária ou Secundária) • Penicilina G Benzativa 2,4 milhões UI, IM, dose única Latente recente MINISTÉRIO DA SAÚDE Sífilis recente secundária e latente Repetir a dose após 1 semana (4,8 milhões UI)

  23. Sífilis – Tratamento Recente (Primária ou Secundária) ALTERNATIVAS • Eritromicina 500 mg, VO, 6/6 horas, 15 dias / 30 dias • Doxiciclina 100 mg, VO, 12/12 horas, 14 dias / 30 dias • Tetraciclina 500 mg, VO, 6/6 horas, 14 dias / 30 dias • Ceftriaxone 1g/dia, IM ou IV, 8 – 10 dias • Azitromicina 2g, VO, dose única } Estudos preliminares

  24. Sífilis – Tratamento Latente tardia Latente de duração desconhecida Terciária (latente tardia com LCR não reativo) • Penicilina G Benzatina (7,2 milhões UI) 2,4 milhões UI, 1 x semana, IM, 3 semanas • ALTERNATIVAS • Doxiciclina 100 mg, 12/12 h, VO, 28 dias • Tetraciclina 500 mg, 6/6 h, VO, 28 dias

  25. Sífilis – Tratamento Neurossífilis • Penicilina G cristalina 3 a 4 milhões, IV, 4/4 h ou infusão contínua, 10 – 14 dias(18 a 24 milhões UI/dia) ALTERNATIVAS • Penicilina procaína 2,4 milhões UI/dia, IM + Probenecid 500 mg, VO, 6/6 h (ambos por 10 – 14 dias) • Ceftriaxone 2 g/dia, IM ou IV, 10 –14 dias

  26. Sífilis – Tratamento Gravidez • Penicilina • Alérgicas: dessensibilização

  27. Cancro mole É uma afecção de transmissão exclusivamente sexual, causada por um cocobacilo gram-negativo, o Haemophilus ducreyi. cancróide, cancro venéreo, cavalo

  28. Cancro mole Período de incubação: 3 a 5 dias (média 2 semanas) ÚLCERAS Múltiplas Dolorosas Irregular Eritemato-edematosas Fundo sujo Bubão unilateral Supurar / fistulizar Único orifício Lábios genitais / intróito / períneo

  29. Cancro mole – Diagnóstico laboratorial • Exame direto • Coloração pelo GRAM • Secreção base da úlcera • Aspiração do bubão • Cultura e biópsia • Não recomendados Identificação do H. ducrey esfregaço

  30. Cancro mole - Tratamento • Azitromicina 1,0 g, VO, dose única • Ceftriaxona 250 mg, IM, dose única • Ciprofloxacina 500mg, VO, 12/12 h, 3 dias • Eritromicina (estearato) 500mg, VO, 6/6 h, 7 dias GUIDELINE M. SAÚDE

  31. Cancro mole - Tratamento • Gestantes • Ceftriaxona 250 mg, IM, dose única • Eritromicina (estearato) 500mg, VO, 6/6 h, 7 dias • HIV + • Maior tempo de TTO

  32. Donavanose • Doença crônica progressiva que acomete preferencialmente pele e mucosas das regiões genitais, peri-anais e inguinais. • Freqüentemente associa-se à transmissão sexual. • Baixa contagiosidade. Callymmatobacterium granulomatis (Donovania granulomatis)

  33. Donovanose Calymmatobacterium granulomatis Período de incubação: 3 a 6 dias Úlcera plana hipertrófica Delimitada Granulosa Vermelho vivo Sangramento fácil Úlcero-vegetante Deforma a genitália Regiões de dobras e peri-anal

  34. Donovanose - Diagnóstico • Clínico • Laboratorial • Exame histopatológico • corpúsculos de Donovan

  35. Donovanose - Tratamento • Doxiciclina 100 mg, VO, 12/12 h • SMZ + TMP (160/800 mg), VO, 12/12 h Mínimo 3 semanas

  36. Donovanose - Tratamento • ALTERNATIVAS • Ciprofloxacino 750 mg, VO, 12/12 h • Eritromicina (estearato) 500 mg, VO, 6/6 h • Azitromicina 1,0 g, VO, dose única • Depois 500 mg/dia • Azitromicina 1,0 g, VO, 7/7 dias M. Saúde 2006 Guideline 2006 ( Mínimo de 3 semanas )

  37. Donovanose - Tratamento Se não houver resposta na aparência da lesão nos primeiros dias de tratamento: Gentamicina 1 mg/kg/dia, EV, 8/8 h

  38. Donovanose - Tratamento • Gestantes • Eritromicina (estearato) 500mg, VO, 6/6 h, pelo menos 3 semanas • Gentamicina 1mg/kg/dia • HIV + • Idêntico HIV -

  39. Linfogranuloma venéreo Doença infecciosa de transmissão exclusivamente sexual. Caracteriza-se pela presença de linfadenopatia inguinal ou femoral. Chlamydia trachomatis – sorotipos L1, L2 e L3 “mula”, doença de Nicolas-Favre, bubão climático ou linfogranuloma inguinal

  40. Linfogranuloma venéreo Lesão de inoculação Disseminação linfática regional Sequelas

  41. Linfogranuloma venéreo Período de incubação: 4 a 21 dias Linfonodo inguinal unilateral Erosão Pápula Úlcera indolor Abscessos / fistulizam Desaparece sem seqüela Múltiplos orifícios Vagina posterior / colo uterino / fúrcula / genitália externa

  42. Linfogranuloma venéreo - Diagnóstico • Clínico • Laboratorial • Teste de fixação do complemento (Títulos > 1:64 sugere infecção atual) • Teste de microimunofluorescência • Cultura • Teste de Frei • Exame histopatológico

  43. Linfogranuloma venéreo - Tratamento • Doxiciclina 100 mg, VO, 12/12 h, 21 dias ALTERNATIVAS • Eritromicina (estearato) 500 mg, VO, 6/6 h • SMZ + TMP (160/800 mg), VO, 12/12h • Tianfenicol 500 mg, VO, 8/8 h (21 dias) M. SAÚDE GUIDELINE 2006 M. Saúde

  44. Linfogranuloma venéreo - Tratamento • Gestantes • Eritromicina (estearato) • HIV + • Idêntico HIV – • Terapia mais prolongada

  45. Infecção por clamídia Chlamydia trachomatisé uma bactéria gram-negativa, anaeróbia, intracelular obrigatória e os tipos D a K estão relacionados à transmissão sexual.

  46. Infecção por clamídia Infecção assintomática Cervicite Úlceras Sangramento fácil Corrimento purulento Muco opacificado Uretrite Descarga mucopurulenta Disúria Prurido uretral Endometrite DIP Síndrome oculogenital Peri-hepatite

  47. Infecção por clamídia - Diagnóstico • Clínico • Laboratorial • Cultura em células vivas (McCoy) • Biologia molecular (PCR)

  48. Infecção por clamídia - Tratamento • Azitromicina 1 g, VO, dose única • Doxiciclina 100 mg, VO, 12/12 h, 7 dias MINISTÉRIO DA SAÚDE GUIDELINE

  49. Infecção por clamídia - Tratamento ALTERNATIVAS • Ofloxacina 400 mg, VO, 12/12 h, 7 dias • Levofloxacina 500 mg, VO, 1 x d, 7 dias • Eritromicina (estearato) 500 mg, VO, 6/6 h, 7 dias • Tetraciclina 500 mg, VO, 6/6 horas, 7 dias } GUIDELINE MINISTÉRIO DA SAÚDE

  50. Infecção por clamídia - Tratamento GESTANTES • Azitromicina 1g, VO, dose única • Amoxacilina 500 mg, VO, 8/8 h, 7 dias • Eritromicina (base / estearato) 500 mg, VO, 6/6 h, 7 dias • Eritromicina (base / estearato) 250 mg, VO, 6/6 h, 14 dias Repetir PCR após 3 semanas