1 / 21

Pol tica Nacional de Humaniza o da Aten o e da Gest o do SUS

alec
Télécharger la présentation

Pol tica Nacional de Humaniza o da Aten o e da Gest o do SUS

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    1. Poltica Nacional de Humanizao da Ateno e da Gesto do SUS Secretaria Executiva Ministrio da Sade

    2. Por que uma PNH? Para enfrentar as graves lacunas quanto ao acesso universal e equnime Para modificar o quadro de desvalorizao dos trabalhadores da sade, de precarizao das relaes de trabalho Para romper com a fragmentao e a desarticulao das aes e programas de humanizao.

    4. SE/Departamento de Apoio Descentralizao Participao de consultores da PNH nos grupos de apoio gesto descentralizada A PNH uma poltica cuja coordenao est locada na Diretoria de Programas da SE mas transversal a todas as Secretarias

    5. SAS/Departamento de Ateno Bsica Os parmetros da PNH esto sendo includos no Prmio Fernandes Figueira que objetiva conhecer as experincias de humanizao no cuidado com a criana; no Pacto da Ateno Bsica; e no Pacto para Reduo da Mortalidade Materna e Neonatal. SAS/Departamento de Regulao, Avaliao e Controle de Sistemas O Programa Nacional de Avaliao dos Servios de Sade (PNASS, antigo PNASH) sero includos os critrios da Poltica de Humanizao para os hospitais.

    6. SAS/Coordenao-Geral de Alta Complexidade A PNH est inserida no documento da Poltica Nacional de Alta Complexidade especialmente no tocante s aes destinadas aos portadores de doenas renais, para a as polticas de ortopedia e cardiologia. SAS/Coordenao-Geral de Urgncia e Emergncia Os critrios da Poltica de Nacional de Humanizao foram considerados na Programao Pactuada Integrada (PPI) da Poltica Nacional de Ateno s Urgncias. A PNH uma poltica transversal a todas as Secretarias

    7. SEGETES /Departamento de Gesto e da Educao em Sade Nos plos de educao permanente os preceitos que envolvem a PNH esto sendo includos na formao dos profissionais, assim como na avaliao das propostas apresentadas de capacitao em todas as regies do Brasil.

    8. O que HumanizaSUS? a proposta de uma nova relao entre os usurios, os profissionais que o atendem e a comunidade a proposta de um trabalho coletivo para que o SUS seja mais acolhedor, mais gil, com locais mais confortveis. a defesa de um SUS que reconhece e respeita a diversidade do povo brasileiro e a todos oferece o mesmo tratamento, sem distino de raa, cor, origem ou orientao sexual.

    9. Quais os princpios da HumanizaSUS? Valorizao da dimenso subjetiva e social em todas as prticas de ateno e gesto no SUS. Fortalecimento do compromisso com os direitos do cidado. Trabalho em equipe multiprofissional, fomentando a transversalidade e a grupalidade. Apoio construo de redes cooperativas, solidrias e comprometidas com a produo de sade e com a produo de sujeitos.

    10. Quais os princpios da HumanizaSUS? Construo de autonomia e protagonismo dos sujeitos e coletivos implicados na rede do SUS. Fortalecimento do controle social com carter participativo em todas as instncias gestoras do SUS. Compromisso com a democratizao das relaes de trabalho e valorizao dos profissionais de sade, estimulando processos de educao permanente.

    11. Quais suas marcas? Sero reduzidas as filas e o tempo de espera com ampliao do acesso e atendimento acolhedor e resolutivo baseados em critrios de risco. Todo usurio do SUS saber quem so os profissionais que cuidam de sua sade e os servios de sade se responsabilizaro por sua referncia territorial.

    12. Quais suas marcas? As unidades de sade garantiro as informaes ao usurio, o acompanhamento de pessoas de sua rede social (de livre escolha) e os direitos do cdigo dos usurios do SUS. As unidades de sade garantiro gesto participativa aos seus trabalhadores e usurios assim como educao permanente aos trabalhadores.

    13. Como implantar? Contemplando em planos estaduais e municipais as estratgias da PNH. Consolidando e expandindo Grupos de Trabalho de Humanizao nas trs esferas de governo e nos servios de sade. Selecionando, apoiando e publicizando experincias humanizadas na rede SUS.

    14. Como implantar? Instituindo sistemtica de acompanhamento e avaliao da PNH. Articulando programas e projetos do MS PNH. Construindo e revisando contratos/convnios, protocolos e fluxos assistenciais incorporando a PNH.

    15. Como implantar? Ampliando o dilogo entre os sujeitos implicados no processo de produo da sade, promovendo a gesto participativa. Implantando, estimulando e fortalecendo GTHs com plano de trabalho definido. Estimulando prticas resolutivas, racionalizando e adequando o uso de medicamentos.

    16. Como implantar? Reforando o conceito de clnica ampliada. Sensibilizando as equipes de sade ao problema da violncia intrafamiliar e questo dos preconceitos. Incentivando e valorizando a jornada integral no SUS, o trabalho em equipe e a participao em processos de educao permanente.

    17. Como implantar? Adequando os servios ao ambiente e cultura local, respeitando a privacidade e promovendo a ambincia acolhedora e confortvel. Implementando sistema de comunicao e informao que promova o autodesenvolvimento e amplie o compromisso social dos trabalhadores de sade;

    18. Parmetros para acompanhamento da implementao Ateno Bsica; Urgncia e Emergncia, Pronto-socorros, Pronto-Atendimentos, Assistncia Pr-hospitalar; Ateno Especializada; e Ateno Hospitalar.

    19. Gesto da PNH

    20. -Mas qual a pedra que sustenta a ponte? - pergunta Kublai Khan - A ponte no sustentada por esta ou aquela pedra - responde Marco -, mas pela curva do arco que estas forman. Kublai Khan permanece em silncio, refletindo. Depois acrescenta: -Por que falar das pedras? S o arco me interessa. Polo responde: - Sem as pedras o arco no existe. Italo Calvino - As Cidades Invisveis

More Related