Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
24 de Maio de 2001 PowerPoint Presentation
Download Presentation
24 de Maio de 2001

24 de Maio de 2001

102 Views Download Presentation
Download Presentation

24 de Maio de 2001

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. 24 de Maio de 2001 Roberto Setubal

  2. A Visão Itaú Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes.

  3. A Visão Itaú Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes.

  4. Líder em Performance O objetivo fundamental das estratégias quepresidem a gestão doItaútem sido direcionado de modo a balancear crescimento com rentabilidade, visando Criar Valor para os Acionistas no longo prazo.

  5. Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes. Líder em Performance Lucro Líquido por Ação Margem Financeira x Capital Receita de Serviços Seguros, Previdência e Capitalização Total de Receitas

  6. Evolução do Lucro Líquido R$ Milhões CAGR = 39,9% CAGR(1) = 41,1% 1.841 1.869 Lucro Extraordinário (1) Utilizando o lucro recorrente em 2000

  7. Evolução do Lucro Líquido R$ Milhões CAGR = 39,9% CAGR(1) = 41,1% 1.841 1.869 Lucro Extraordinário Lucro Recorrente 1º Trimestre 651 365 226 202 165 143 88 (1) Utilizando o lucro recorrente em 2000

  8. Evolução do Lucro por 1000 Ações R$ / lote de mil ações 15,99 15,85 Lucro Extraordinário (1) Utilizando o lucro recorrente em 2000

  9. Evolução do Lucro por 1000 Ações R$ / lote de mil ações 15,99 15,85 Lucro Extraordinário Lucro Recorrente 1º Trimestre 5,73 3,10 1,92 1,69 1,38 1,20 0,74 (1) Utilizando o lucro recorrente em 2000

  10. Crescimento Médio Anual do Lucro (%): 39,9% Crescimento Médio Anual do LPA (%): 40,9% Decréscimo do Número de Ações (%): -1,0% Evolução do Lucro por 1000 Ações R$ / lote de mil ações 15,99 15,85 Lucro Extraordinário Lucro Recorrente 1º Trimestre 5,73 3,10 1,92 1,69 1,38 1,20 0,74 (1) Utilizando o lucro recorrente em 2000

  11. Comparativo de Mercado – LPABase: 1995 = 100 (*) Em 1999 e 2000 foi utilizado o lucro líquido recorrente. Fonte: Economática (quantidades de ações ajustadas por proventos, excluindo tesouraria).

  12. Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes. Líder em Performance Lucro Líquido por Ação Margem Financeira x Capital Receita de Serviços Seguros, Previdência e Capitalização Total de Receitas

  13. Evolução de Ativos R$ Milhões CAGR = 23,7%

  14. 74.563 69.555 51.911 48.995 46.357 32.068 24.445 Evolução de Operações de Crédito R$ Milhões CAGR = 18,6%

  15. Evolução do Índice de Solvabilidade Consolidado Econômico-Financeiro Consolidado Financeiro 8,0%

  16. Evolução do Patrimônio Líquido R$ Milhões Março, 2001 Capitaliz. de Mercado R$ 19.323 Milhões Jan/95 a Mar/01 Dividendos R$ 2,2 Bilhões Aumento de Capital 0 * 31 de Março de 2001

  17. Evolução da Margem Financeira Resultado Bruto da Intermediação Financeira R$ Milhões

  18. Índice de Inadimplência = vencidos de 11 a 30 dias/vencimentos no período de 11 a 30 dias. Índice de Inadimplência com a exclusão dos valores baixados contra a Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa das parcelas vencidas e não pagas e do total de vencimentos do período. Operações de crédito vencidas há mais de 60 dias e que não geram receitas no regime de competência / total de operações de crédito do conglomerado. Passou-se a incluir o efeito das operações de crédito do Banestado. Índice de Inadimplência (%) 4,45 4,21 3,74 3,55 3,77 3,66

  19. Qualidade da Carteira de Crédito - Consolidado Março de 2001 Dezembro de 2000

  20. Despesa Líquida de PDD/Empréstimos1º Trimestre de 2001 R$ Milhões Despesa de PDD (A) Recuperação de Créditos (B) Saldo Médio de Empréstimos no período (C) (207)* 70 24.591 { (A + B) / C } 0,58% (*) Não inclui o montante de R$ 27 milhões referente à provisão excedente

  21. Movimentação da Despesa de PDD no Período1º Trimestre de 2001 R$ Milhões Despesa de PDD (a) Operações de Crédito (b) (a) / (b) % Novas Operações Amortiz./Movimentação Liquidação (151) (159) 103 (207) 7.591 (546) (4.981) 2.064 2,0% - 2,1%

  22. Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes. Líder em Performance Lucro Líquido por Ação Margem Financeira x Capital Receita de Serviços Seguros, Previdência e Capitalização Total de Receitas

  23. 982 104 74 173 246 210 175 1º Tri. 2001 Evolução das Receitas de Prestação de Serviços R$ Milhões 3.465 CAGR = 27,8%

  24. Evolução da Quantidade de Clientes Ativos 10,0 CAGR = 15,3% 9,0 Em Milhões 8,0 7,0 7,6 7,5 6,9 6,7 6,0 5,7 5,0 4,0 3,8 3,0 3,6 2,0 1,0 0,0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001* * 31 de Março de 2001

  25. Evolução da Quantidade de Clientes Ativos 10,0 CAGR = 15,3% 9,0 Em Milhões 8,0 7,0 7,6 7,5 6,9 6,7 6,0 5,7 5,0 31 de Março de 2001 Índice de Relacionamento Pessoa Física 5,0 Pessoa Jurídica 4,6 4,0 3,8 3,0 3,6 2,0 1,0 0,0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001* * 31 de Março de 2001

  26. 1.831 1.749 1.443 1.288 1.216 1.157 Evolução da Quantidade de Clientes Ativos 10,0 2.000 2.000 9,0 1.800 Transações em milhões Em Milhões 8,0 1.600 7,0 1.400 7,6 7,5 6,9 6,7 6,0 1.200 5,7 5,0 1.000 31 de Março de 2001 Índice de Relacionamento Pessoa Física 5,0 Pessoa Jurídica 4,6 4,0 800 3,8 3,0 600 3,6 2,0 400 1,0 200 0,0 0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001* * 31 de Março de 2001

  27. 2.000 1.831 1.749 1.800 1.443 1.600 1.288 1.400 1.216 1.157 1.200 1.000 800 593 570 474 600 348 400 174 105 200 0 Evolução da Quantidade de Clientes Ativos 10,0 9,0 Transações em milhões Em Milhões 8,0 7,0 7,6 7,5 6,9 6,7 6,0 5,7 5,0 4,0 3,8 3,0 3,6 2,0 Receita de Tarifas de Conta Corrente (R$ Milhões) 1,0 0,0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001* * 31 de Março de 2001

  28. 5.000 Em Milhares 4.000 3.521 3.321 3.000 2.279 2.000 1.829 1.799 1.000 1.104 1.000 0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001* Evolução da Quantidade de Cartões de Crédito CAGR = 27,1% * 31 de Março de 2001

  29. Receita de Serviços de Cartões de Crédito (R$ Milhões) Evolução da Quantidade de Cartões de Crédito CAGR = 27,1% CAGR = 39,8% * 31 de Março de 2001

  30. R$ Bilhões 70,0 60,0 50,0 44,3 42,0 Fundos de Investimentos 5,6 40,0 5,6 Carteiras Administradas 32,0 30,0 6,2 21,1 17,7 20,0 38,7 4,1 36,4 14,2 3,9 10,3 2,7 25,8 10,0 2,1 17,0 13,8 11,5 8,2 0,0 Dez/95 Dez/96 Dez/97 Dez/98 Dez/99 Dez/00 Mar/01 Recursos Administrados CAGR = 32,0%

  31. R$ Bilhões 70,0 60,0 50,0 44,3 42,0 Fundos de Investimentos 5,6 40,0 5,6 Carteiras Administradas 32,0 30,0 6,2 21,1 17,7 20,0 38,7 4,1 36,4 14,2 3,9 10,3 2,7 25,8 10,0 2,1 17,0 13,8 11,5 8,2 0,0 Dez/95 Dez/96 Dez/97 Dez/98 Dez/99 Dez/00 Mar/01 Receita de Administração de Fundos (R$ Milhões) Recursos Administrados R$ Milhões CAGR = 32,0% 1.000 903 831 900 800 CAGR = 22,1% 700 592 600 507 500 399 400 306 300 200 100 0

  32. R$ Bilhões 70,0 60,0 50,0 44,3 42,0 Fundos de Investimentos 5,6 40,0 5,6 Carteiras Administradas 32,0 30,0 6,2 21,1 17,7 20,0 38,7 4,1 36,4 14,2 3,9 10,3 2,7 25,8 10,0 2,1 17,0 13,8 11,5 8,2 0,0 Dez/95 Dez/96 Dez/97 Dez/98 Dez/99 Dez/00 Mar/01 Receita de Administração de Fundos (R$ Milhões) Recursos Administrados R$ Milhões CAGR = 32,0% 1.000 903 Março de 2001 Varejo R$ 17,4 Bilhões (40%) Personnalité R$ 2,1 Bilhões (5%) Corporate + Middle Market R$ 6,8 Bilhões (15%) Investidores Institucionais R$ 13,4 Bilhões (30%) Private R$ 4,6 Bilhões (10%) 831 900 800 CAGR = 22,1% 700 592 600 507 500 399 400 306 300 200 100 0

  33. Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes. Líder em Performance Lucro Líquido por Ação Margem Financeira x Capital Receita de Serviços Seguros, Previdência e Capitalização Total de Receitas

  34. 1os trimestres 136 132 131 140 109 98 96 Margens Operacionais R$ Milhões (*) Até março de 2001

  35. Automóvel Vida e Acidentes Pessoais 40,4% 66,7% 1997 1997 1997 1997 1998 1998 1998 1998 1999 1999 1999 1999 2000 2000 2000 2000 M01 M01 M01 M01 Total Riscos Patrimoniais 48,2% 58,6% Evolução da Sinistralidade Itaú Seguros Mercado

  36. 1os trimestres 136 132 131 140 109 98 96 52 51 45 42 41 38 20 Margens Operacionais R$ Milhões (*) Até março de 2001

  37. 1os trimestres 136 132 131 140 109 98 96 52 51 45 42 41 38 22 20 17 12 9 2 2 2 Margens Operacionais R$ Milhões (*) Até março de 2001

  38. 136 132 131 140 109 98 96 52 51 45 42 41 38 22 20 17 12 9 2 2 2 Margens Operacionais R$ Milhões Prêmio ANSP 2001Academia Nacional de Seguros e PrevidênciaPremiação : Empresa com o maior índice de crescimento em 2.000 Critério : Receita de Planos Previdenciários (*) Até março de 2001

  39. Ser um banco líder em performance, reconhecidamente sólido e confiável, destacando-se pelo uso agressivo do marketing, tecnologia avançada e por equipes capacitadas, comprometidas com a qualidade total e a satisfação dos clientes. Líder em Performance Lucro Líquido por Ação Margem Financeira x Capital Receita de Serviços Seguros, Previdência e Capitalização Total de Receitas

  40. Evolução do Total de Receitas (*) R$ Milhões CAGR = 20,2% 2.588 CAGR = 23,3% 737,4 (*) Receitas: Resultado Bruto da Intermediação Financeira (não inclui despesas de PDD) + Receitas de Prestação de Serviços + Receitas de Seguros, Prev. e Cap. e Res. de Eq. Patrim.

  41. Comparativo do Total de Receitas (*)Anual desde 1995 R$ Milhões (*) Receitas: Resultado Bruto da Intermediação Financeira (não inclui despesas de PDD) + Receitas de Prestação de Serviços + Receitas de Seguros, Prev. e Cap. e REP.

  42. Comparativo do Total de Receitas / Ação (*) Base: 1995 = 100 (*) Quantidade de Ações ajustada por proventos e excluindo-se as ações em tesouraria

  43. Banestado Evolução das Despesas R$ Milhões 2.820 2.199

  44. Banestado Evolução das Despesas R$ Milhões 2.820 2.199

  45. Inclui Banestado Índice de Eficiência (*) 1º Trimestre de 2001

  46. Produtividade Transações por Funcionário Em Milhares de Funcionários Dispêndios em Tecnologia No 1º Trimestre de 2001 – R$ 217 milhões Acumulado de Jan/95 a Mar/01: R$ 3,9 bilhões 9.516 88,9 Número de Funcionários 46,7 1.523 Transações por Funcionário

  47. Dispêndios em Tecnologia * R$ Milhões Total no Período (1995 – Mar/2001): R$ 3,9 bilhões Contempla: Investimento em software e hardware, Aluguel e Manutenção de Equip., Despesa de Pessoal e Infra-estrutura, Treinamento, Desenvolvim. de Sistemas (*) 1º Trimestre de 2001 anualizado

  48. 31.03.2001 31.12.2000 Imobilizado Imóveis Móveis, Utensílios e Equipamentos Processamento de Dados e Comunicações Segurança e Transporte Diferido Investimento 2.350 1.677 268 378 27 176 692 2.335 1.689 246 375 25 181 681 Subtotal 3.219 3.197 Ativo Permanente R$ Milhões Depreciação em anos 378 25.0 6.5 3.2 5.0 Depreciação Acelerada

  49. Agências PABs Evolução dos Pontos de Venda Caixas Eletrônicos * 31 de Março de 2001

  50. Rede de DistribuiçãoItaú x Sistema Financeiro Nacional – Dez. 2000 Agências Forte Presença Itaú Consolidado Rank.(1) Estados % do PIB(2) % Itaú / Sistema % Rede Itaú % Sistema 1 São Paulo Capital Interior 35,5% 6% 5% 17% 12% 15% 17% Líder 2 3 4 5 6 Rio de Janeiro Minas Gerais Rio Grande do Sul Paraná Outros 11,0% 9,8% 7,7% 6,2% 28,8% 19% 27% 5% 32% 4% 15% 24% 3% 20% 9% 10% 11% 8% 8% 31% Líder Líder Total 100,0% 12% 100% 100% (1) Estados classificados por participação no PIB (2) Fonte: IBGE (95-98)