Download
elton dos santos magro 12007837 jefferson aparecido rodrigues 12017513 yago angelo elias 12146007 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Elton dos Santos Magro 12007837 Jefferson Aparecido Rodrigues 12017513 PowerPoint Presentation
Download Presentation
Elton dos Santos Magro 12007837 Jefferson Aparecido Rodrigues 12017513

Elton dos Santos Magro 12007837 Jefferson Aparecido Rodrigues 12017513

131 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Elton dos Santos Magro 12007837 Jefferson Aparecido Rodrigues 12017513

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Pontifícia Universidade Católica de Campinas Faculdade de engenharia de computaçãoMetodologia da pesquisa em computaçãoIndução e Dedução Elton dos Santos Magro 12007837 Jefferson Aparecido Rodrigues 12017513 YagoAngelo Elias 12146007

  2. Indução Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  3. Definição • Indução: Refere-se ao método que, a partir de dados particulares, permite inferir uma generalização para o conhecimento que inclua a maior parte daqueles dados de partida, sendo necessário obtermos, antes uma relação entre os fatos particulares. (MAGALHÃES, 2005) Exemplo: • As dez mil baleias observadas têm pelos. • Logo todas as baleias têm pelos. Indução é o processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas (MARCONI;LAKATOS, 2000) Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  4. Fases do método indutivo • De acordo com Marconi e Lakatos (2000) existem três etapas da indução: • Observação de fenômenos • Descoberta da relação entre eles • Generalização da relação Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  5. Formas e tipos de indução • Há dois tipos de indução, de acordo com a obra de Marconi e Lakatos (2000): • Completa (Formal) • Não induz de alguns casos, mas de todos, sendo que cada um dos elementos da amostra são comprovados pela experiência. • Incompleta (Informal) • Fundamenta-se na causa ou na lei que rege o fenômeno ou fato, constatado em um número significativo de casos (um ou mais) mas não em todos. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  6. Exemplos • Completa Segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo têm 24 horas. Ora, segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo são dias da semana _____________________________________________________________ Logo, todos os dias da semana têm 24 horas. • Incompleta Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão não têm brilho próprio. Ora, Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão são planetas _____________________________________________________________ Logo, todos os planetas não têm brilho próprio. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  7. Principais tipos de indução De acordo com Marconi e Lakatos (2000) são esses os principais tipos de indução: • Da amostra para a população • Generalização indutiva • Generalizações universais • Generalizações estatísticas • Da população para a amostra • Estatística direta • Singular • De amostra para amostra • Preditiva-padrão • Preditiva estatística • Preditiva singular • De consequências verificáveis de uma hipótese para a própria hipótese. • Por analogia Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  8. Exemplos • Da amostra para a população • Generalização indutiva-> Todos os gêmeos univitelinos observados possuem padrão genético idêntico. Logo, todos os gêmeos univitelinos têm padrão genético idêntico. • Generalizações universais -> Todo sangue humano da amostra observado é composto de plasma. Logo, todo o sangue humano é composto de plasma • Generalizações estatísticas-> 85% das pessoas cujo sangue foi analisado são portadoras de fator Rh. Logo, 85% das pessoas são portadoras do fator Rh. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  9. Exemplos • Da população para a amostra • Estatística direta -> 90% dos jovens que frequentam o curso de bacharelado de economia à noite trabalham. Logo, 90% dos que irão matricular-se à noite no curso de economia serão pessoas que trabalham. • Singular -> A grande maioria dos assalariados têm renda mensal igual a um salário mínimo. José, sendo assalariado, têm renda mensal igual a um salário mínimo. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  10. Exemplos • De amostra para amostra • Preditiva-padrão -> Todas as barras metálicas até hoje observadas dilataram-se sobre a ação do calor. Logo, estas barras metálicas, escolhidas ao acaso, se dilatarão sobre a ação do calor. • Preditiva estatística -> Cerca de 87% dos estudantes de medicina que conhecem latim identificam os termos médicos mais facilmente. Logo, destes estudantes de medicina, escolhidos aleatoriamente se conhecerem latim, cerca de 87% reconhecerão mais facilmente termos médicos. • Preditiva singular -> Quase todos os estudantes de cinema apreciam os curtas-metragens. Logo, João, estudante de cinema, escolhido aleatoriamente, gosta de curtas-metragens. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  11. Exemplos • De consequências verificáveis de uma hipótese para a própria hipótese: Um navio que se afasta do observador parecerá afundar lentamente, assim a terra é redonda; • Por analogia: Realizando-se experiências com ratos, percebe-se que certa substância que lhes é ministrada traz certos efeitos secundários indesejáveis. Logo, por analogia, sendo ratos e homens fisiologicamente semelhantes pode se sustentar que a novasubstancia trará para o homem o aparecimento dos mesmos efeitos indesejáveis. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  12. Amostra para indução De acordo com Marconi e Lakatos (2000) existem dois tipos de amostras: • Amostra insuficiente • Ocorre a falácia (invalidez, mentira) da amostra insuficiente quando a generalização indutiva é feita a partir de dados insuficientes para sustentar essa generalização. • Amostra tendenciosa • A falácia da estatística tendenciosa ocorre quando uma generalização indutiva baseia-se em uma amostra não representativa da população. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  13. Dedução Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  14. Definições • Dedução O raciocínio dedutivo é um raciocínio cujo antecedente é constituído de princípios universais, plenamente inteligíveis; através dele se chega a um consequente menos universal. (SEVERINO, 2002) A dedução, num movimento contrário ao da indução, chega de forma lógica a resultados que ainda não tinham sido explicitados, a partir de argumentos verificados (ou definidos axiomaticamente) como corretos e gerais, aplicados a situações particulares. (MAGALHÃES, 2005) Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  15. Argumentos condicionais De acordo com Marconi e Lakatos (2000) existem apenas esses dois argumentos condicionais: • Afirmação do antecedente (modus ponens) Se p, então q. Ora, p. Então, q. • Negação do consequente (modus tollens) Se p, então q. Ora, não q. Então, não p. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  16. Exemplos • Modus ponens Se José tirar nota inferior a 5, será reprovado. José tirou nota inferior a 5. José foi reprovado. • Modus tollens Se a água ferver, então a temperatura alcança 100°C. A temperatura não alcançou 100°C. Então, a água não ferveu. Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  17. Indução x Dedução • Indução É possível que a premissa seja verdadeira e a conclusão falsa. A conclusão diz respeito a algo que ainda não foi observado. • Dedução: Para que a conclusão seja falsa, uma das ou as duas premissas teriam que ser falsas. A conclusão está dizendo alguma coisa que já tinha sido dita nas premissas De acordo com Marconi e Lakatos (2000): Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  18. Indução x Dedução De acordo com Marconi e Lakatos (2000): Dedução: Todo mamífero tem um coração Ora, todos cães são mamíferos Logo, todos os cães têm um coração Indução: Todos os cães que foram observados tinham um coração Logo, todos os cães têm um coração Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  19. Etapas do método científico • Observação • Problematização • Formulação de hipótese • Experimentação • Avaliação de resultados • Publicar resultados (Science Buddies, 2014) Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  20. Onde são usados a indução e dedução Como visto nas aulas, ambos métodos podem ser usados nas seguintes etapas do método científico: • Formulação de hipótese • Experimentação • Avaliação de resultados Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014

  21. Referências bibliográfica • MAGALHÃES, Gildo. Introdução à metodologia da pesquisa: caminhos da ciência e tecnologia. São Paulo, SP: Ática, 2005. 263 p.(Ática Universidade) ISBN 8508097786 • MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 3.ed. São Paulo, SP: Atlas, 2000 289 p. ISBN 85 224 2439 X • Science Buddies, Steps of the Scientific Method, Overview of the Scientific Method, Disponível em <http://www.sciencebuddies.org/science-fair-projects/project_scientific_method.shtml#overviewofthescientificmethod>. Acesso em 25 out. 2014. • SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22.ed. São Paulo, SP: Cortez, 2002. 335 p. ISBN 85 249 0050 4 Pontifícia Universidade Católica de Campinas - 30/10/2014