Download
vanguardas europ ias n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
VANGUARDAS EUROPÉIAS PowerPoint Presentation
Download Presentation
VANGUARDAS EUROPÉIAS

VANGUARDAS EUROPÉIAS

250 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

VANGUARDAS EUROPÉIAS

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. VANGUARDAS EUROPÉIAS Ruptura com o padrão de arte e sociedade do século XIX

  2. INÍCIO DE SÉCULO NA EUROPA As transformações tecnológicas por que o mundo passou na virada do século modificaram as maneiras de o homem perceber a realidade. O automóvel, o avião, o cinema deslocaram e aceleraram o olhar do homem moderno. Em meio a essas transformações surgem várias manifestações artísticas – impressionismo, Expressionismo, Futurismo, Cubismo, Dadaísmo, Surrealismo -, que ficariam conhecidas como “correntes de vanguarda”, que, conjugadas, dariam origem ao Modernismo.

  3. FUTURISMO Lançado por Marinetti no manifesto “Le Futurisme”, 1909. Surge entre o Simbolismo e a 1ª Guerra Mundial. Exalta a vida moderna. Culto da máquina e da velocidade. Destruição do passado e do academicismo Liberdade de expressão.

  4. Umberto BOCCIONI, Giacomo BALLA e Carlo CARRÀ Recusavam a representação realista (evitavam qualquer relação com a imobilidade). Além de linhas retas e curvas, as cores sugeriam movimento. Giacomo Balla: Velocità d?automobile, 1913,Olio su cartone, cm. 66x94, RaccoltaGrassi,Galleria d'Arte Moderna di Milano,Dono Carlo Grassi 1958

  5. Poema futurista Ode triunfal       Álvaro de Campos       À dolorosa luz das grandes lâmpadas eléctricas da fábrica       Tenho febre e escrevo.       Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto,       Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos.       Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno!       Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria!       Em fúria fora e dentro de mim,       Por todos os meus nervos dissecados fora,       Por todas as papilas fora de tudo com que eu [sinto!       Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos [modernos,       De vos ouvir demasiadamente de perto,       E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso       De expressão de todas as minhas sensações,       Com um excesso contemporâneo de vós, ó máquinas!

  6. EXPRESSIONISMO Paralelo ao Futurismo e Cubismo. Surge em 1910 pela revista “Der Sturn”. A arte brota da vida interior; do íntimo do ser. A obscuridade do ser é transportada para a expressão. As telas retratam o patético, os vícios, os horrores, a guerra. Protesta contra a violência e usa cores explosivas. Reflete a crise de consciência gerada pela guerra.

  7. POEMA EXPRESSIONISTA Vento Quente-Georg Trakl Amento cego no vento, dias lunares de inverno,Infância, os passos se perdem discretos em negra sebe,Longo toque noturno.Discreta vem a noite branca, Transforma em sonhos purpúreos tormento e dorDa vida pedregosa,Para que nunca o espinho deixe o corpo em decomposição. Profunda em sono suspira a alma angustiada, Profundo o vento em árvores destruídas,E a figura de lamento da mãeVagueia pela floresta solitária Desse luto silente; noitesRepletas de lágrimas, de anjos de fogo.Prateado, espatifa-se contra a parede nua um esqueleto de criança.

  8. CUBISMO Decomposição da realidade em figuras geométricas. Manifesta-se a partir de 1917, na literatura. Seu divulgador foi Appolinaire. Decomposição da imagem em diferentes planos. Desintegração da realidade gerando uma poesia ausente de lógica. Linguagem caótica.

  9. Poema Cubista Poema de Sete Faces Carlos Drummond de Andrade       Quando nasci, um anjo torto       desses que vivem na sombra       disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida. As casas espiam os homens       que correm atrás de mulheres.       A tarde talvez fosse azul,       não houvesse tantos desejos. O bonde passa cheio de pernas:       pernas brancas pretas amarelas.       Para que tanta perna, meu Deus, pergunta meu coração.

  10. DADAÍSMO Surge em 1916, em Zurique. Promove um certo terrorismo cultural. Contraria todos os valores vigentes até então. Valoriza o niilismo (descrença absoluta) Mundo ilógico. Cultua a realidade mágica da infância. Seu principal divulgador foi Tristan Tzara.

  11. FONTE - MARCEL DUCHAMP1917, porcelana. 33,5 cm. Indiana University Arte Museum, Bloomington

  12. Roda de bicicleta

  13. Poema dadaísta Pegue um jornal.       Pegue a tesoura.       Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema.       Recorte o artigo.       Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco.       Agite suavemente.       Tire em seguida cada pedaço um após o outro.       Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco.       O poema se parecerá com você.       E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público. Tristan Tzara

  14. SURREALISMO Surge em 1924 com o Manifesto Surrealista de André Breton. Propõe que o homem se liberte da razão, da crítica, da lógica. Adere a filosofia de Sigmund Freud. Expressa o interior humano investigando o inconsciente.

  15. Poema surrealista Mamãe vestida de rendasTocava piano no caos.Uma noite abriu as asasCansada de tanto som,Equilibrou-se no azul,De tonta não mais olhouPara mim, para ninguém!Cai no álbum de retratos. In: MENDES, Murilo.. Poesia Completa e Prosa. Organização, preparação do texto e notas, por Luciana Stegagno Picchio. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.