Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
GEOGRAFIA DO TURISMO PowerPoint Presentation
Download Presentation
GEOGRAFIA DO TURISMO

GEOGRAFIA DO TURISMO

1884 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

GEOGRAFIA DO TURISMO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. GEOGRAFIA DO TURISMO Profa. Dra. Rosângela C. Cortez Thomaz Rocortez@rosana.unesp.br 20/03/2014

  2. GEOGRAFIA E TURISMO: CONCEITOS, DEFINIÇÕES E REFLEXÕES

  3. A GEOGRAFIA A geografia é uma ciência que tem por objetivo o estudo da superfície terrestre e a distribuição espacial de fenômenos significativos na paisagem; Também estuda a relação recíproca entre o homem e o meio ambiente; Para alguns a Geografia também pode ser uma prática humana de conhecer, para compreender e planejar o espaço onde se vive. Um dos temas centrais da geografia é a relação homem-natureza;

  4. A natureza é entendida aqui como as forças que geraram ou contribuem para moldar o espaço geográfico, isto é, a dinâmica e interações que existem entre a atmosfera, litosfera, hidrosfera e biosfera; • O homem é entendido como um organismo capaz de modificar consideravelmente as forças da natureza através da tecnologia.

  5. Desde os tempos mais remotos, o homem vem moldando e transformando o espaço à sua volta de acordo com suas necessidades básicas – alimentação, higiene pessoal, moradia, etc – e vontades. Essa forma de ocupação e transformação do espaço terrestre nem sempre tem sido uma intervenção sadia e ainda tem gerado muitas preocupações e discussões; • Dentre as conseqüências dessa interação desequilibrada do homem com o ambiente estão: o esgotamento dos recursos, poluição, desaparecimento de espécies animais e vegetais e o desequilíbrio dos ecossistemas.

  6. Diante deste contexto, a geografia tem contribuído muito para que o homem realize intervenções no espaço geográfico de forma consciente por meio das discussões e reflexões sobre as atividades turísticas, uma vez que essas ocorrem, na sua maioria, em parcelas significativas da superfície terrestre, influenciando e modificando os habitats.

  7. Para o turismo, assim como para a geografia, o espaço é produzido numa dinâmica constante; • Na análise do espaço geográfico pretendida, a atividade turística foi apenas um elemento na grande teia de inter-relações de vários outros elementos em diferentes tempos históricos, com grupos sociais diferentes; • Para atender ao turista, outros agentes também participam na produção do espaço, como o setor imobiliário, a segurança do local e do viajante, o marketing responsável por uma produção visual intensa, no intuito de aguçar os sonhos, considerados como importante objeto de desejo quando se pensa em turismo;

  8. A Geografia é uma ciência que estuda um espaço específico – o espaço geográfico. Para estudá-lo, desenvolveu, ao longo de sua história, um conjunto de teorias e conceitos que permitem compreender o mundo em que vivemos em diferentes escalas, tanto no tempo quanto no espaço, ou seja, servindo-se de mapas. Podemos dizer que a Geografia possui uma linguagem própria.

  9. E esta linguagem própria, são os conceitos mais estudados e mais utilizados pela geografia, tidos como importantes também para o turismo, que são classificados como categorias da geografia, a saber: Lugar: podemos dizer que se trata do espaço familiar ao indivíduo, denominado espaço vivido, onde experienciamos a vida. É, portanto, fruto da construção de um elo afetivo entre o sujeito e o ambiente em que vive.

  10. Paisagem: esse conceito permite a observação de aspectos visíveis dos fatos, fenômenos e acontecimentos geográficos. O geógrafo Milton Santos a definia não só como tudo aquilo que a visão abarca do ponto de vista da forma e do volume das formas concretas, mas também por cores, sons, movimentos, odores e outros atributos sensoriais. É um conceito relacionado ao campo da percepção, sendo esta uma habilidade do processo seletivo de apreensão da realidade. Pode ser classificada em: natural ou artificial e cultural ou humanizada;

  11. Região: trata-se de um espaço concreto, dotado de características espaciais capazes de torná-lo homogêneo internamente, mas distinto de outros espaços. Está associado à localização e à extensão de um fato ou fenômeno. Em outro sentido, pode ser atribuída à região a característica de unidade administrativa, cuja hierarquização se dá pela divisão regional. Um exemplo seria a divisão do território brasileiro em cinco regiões, proposta do IBGE (regiões sul, sudeste, norte, nordeste e centro-oeste);

  12. Território: constituem parcelas do espaço que são apropriadas pelos seres humanos de forma concreta ou abstrata (por interesses políticos, econômicos ou por representações, por exemplo). Um território é delimitado por fronteiras, redes e nós, limites, continuidades e descontinuidades, domínios material e não-material. Esses limites estão associados às áreas de influência (de poder ou política) de grupos humanos, sendo entendido como um campo de forças que envolve relações de poder.

  13. Espaço Geográfico: para ALVES (1999), o espaço “é produto das relações entre homens e dos homens com a natureza, e ao mesmo tempo é fator que interfere nas mesmas relações que o constituíram. O espaço é, então, a materialização das relações existentes entre os homens na sociedade.”.

  14. HOMEM NATUREZA

  15. O TURISMO NESTE CONTEXTO: TURISMO = é considerado uma prática social, envolve o deslocamento de pessoas pelo território e que tem no espaço geográfico seu principal objeto de consumo.

  16. Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), o turismo é uma modalidade de deslocamento espacial, que envolve a utilização de algum meio de transporte e ao menos um pernoite no destino; esse deslocamento pode ser motivado pelas mais diversas razões, como lazer, negócios, congressos, saúde e outros motivos, desde que não correspondam a formas de remuneração direta.

  17. ALGUMAS DEFINIÇÕES DO TURISMO COM BASE NAS CATEGORIAS DA GEOGRAFIA LUGAR TURÍTICO É uma expressão utilizada tanto para se referir a lugares que já foram apropriados pela prática social do turismo como também a lugares considerados potencialmente turísticos. • O que diferencia o lugar turístico na atualidade de outros lugares é a presença do turista e não simplismente, a existência de infra-estruturas de um uso turístico (CRUZ, 2000).

  18. ATRATIVO TURÍSTICO O que é considerado atrativo hoje pelo turismo não era no passado e talvez não seja no futuro. Como a cultura varia no tempo e no espaço, o que é atrativo para alguns grupos de pessoas pode não ser para outros.

  19. É todo lugar, objeto ou acontecimento de interesse para o turismo (EMBRATUR, 1992); • "... todo elemento material que tem a capacidade própria, ou em combinação com outros, para atrair visitantes de um determinada localidade ou zona" (CERRO, 1992); • 3.Os atrativos turísticos podem ser naturais, culturais, manifestações e usos tradicionais e populares, realizações técnicas e científicas contemporâneas e acontecimentos programados.

  20. PAISAGEM TURÍSTICA De modo geral, compreende a porção do espaço geográfico e, por isso, desempenham importante papel na constituição dos lugares turísticos e no direcionamento dos fluxos turísticos (CRUZ, 2000). • As paisagens turísticas não existem a priori, como um dado da natureza são uma invenção cultural (LUCKIARI, 1998).

  21. Ex. Visitas que turistas têm feito à favela da Rocinha – RJ.

  22. CONSIDERAÇÕESA GEOGRAFIA COM O TURISMO • As primeiras relações da Geografia com o Turismo se respaldam nas práticas das viagens e no interesse pelo conhecimento de novos lugares; • um dos elos entre a Geografia e o Turismo era, e continua sendo, a busca pelo conhecimento de novos espaços;

  23. A Geografia considera a atividade turística para além da questão econômica; • As preocupações espaciais com a expansão da função turística derivam, principalmente, das análises da distribuição dos equipamentos e das suas incidências na organização sócio-espacial.

  24. Segundo Cazes (1987 apud CASTILHO, 1999, p.95), tradicionalmente ligados à apaixonante problemática da localização, os geógrafos arrolam os fatores geográficos convencionais tais como: • a atração da paisagem e do clima; • a disponibilidade de infra-estrutura e de equipamentos turísticos; e • a sedução sócio-cultural e espacial dos lugares observados.

  25. No Turismo, academicamente, a preocupação é recente, onde os diversos enfoques já resultam em algumas divergências conceituais-metodológicas; • No âmbito da Geografia, não é diferente. Devido à intrínseca polissemia da definição do espaço e dos recortes entre si, também existem dificuldades para se definir turismo ou espaço turístico.

  26. Neste sentido, podemos conceber que, no campo geográfico, o turismo é muito mais que o simples deslocamento de pessoas com fins de lazer; é uma prática sócio-espacial complexa e multifacetada e têm seus rebatimentos nas diferentes esferas da organização sócio-espacial: • Econômica: requalifica os espaços através da diversificação, do crescimento e/ou decréscimo das atividades, provocando alterações nos perfis de emprego, na renda e na base produtiva;

  27. Cultural:modifica os sistemas de valores, o estilo de vida e os padrões de consumo das populações receptoras; • Política: (re)define o papel do Estado como gerenciador da infra-estrutura turística e da ordem; • Ideológica: articula estratégias e táticas que permeiam o imaginário do turismo como via de “salvação do mundo” e como mecanismo de manutenção da ordem; e • Espacial: refere-se ao espaço como meio de produção, como produto de consumo e como o locus das práticas sócio-espaciais.

  28. BIBLIOGRAFIA BÁSICA • ALMEIDA, M. G. Turismo e Geografia. São Paulo. Hucitec, 1996. • ALVAREZ, J. R. D. Geografia del Turismo. Madrid: Síntesis, 1999. • BARROS, Nilson Cortez Crocia de. Manual de Geografia do turismo: meio ambiente, cultura e paisagens. Recife: UFPE, [s.d.] • BENI, Mário. Análise estrutural do turismo. 2.ed. São Paulo: SENAC São Paulo, 2000. • CORRÊA, Roberto Lobato. Região e organização espacial. São Paulo: Ática, 1986. • CRUZ, R. de C. A. de. Introdução à Geografia do Turismo. São Paulo: Roca, 2003. • DE MASSI, Domenico. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. • FARAH NETO, M; SILVA, Neise, F. da.; CAPELLA, Márcia. Turismo: espaço e tempo. Rio de Janeiro: SENAC Nacional, 2000. • LEMOS, Amália Inês G. (org.). Turismo: impactos socioambientais. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 2000. • LIMA, Luiz Cruz (org.). Da cidade ao campo: a diversidade do saber-fazer turístico. Fortaleza:UECE, 1998. • MENDONÇA, Francisco de Assis. Geografia e meio ambiente. 4.ed. São Paulo: Contexto, 2001 (Caminhos da Geografia). • MESPLIER, A. e BLOC-DURAFFOUR, P. Geografía del turismo en el Mundo. Madrid: Síntesis, 2000.

  29. Entrega do fichamento; Atividade para as próximas aulas – SEMINÁRIO Obrigada!