Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Abordagem cl ssica da Administra o administra o cient fica PowerPoint Presentation
Download Presentation
Abordagem cl ssica da Administra o administra o cient fica

Abordagem cl ssica da Administra o administra o cient fica

373 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Abordagem cl ssica da Administra o administra o cient fica

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. Abordagem clssica da Administrao administrao cientfica Frederick Winslow Taylor, (1856-1915) foi um marco indispensvel e crucial na evoluo das idias sobre produo, riqueza e relaes harmnicas entre empregadores e empregados. Taylor foi o indicador da eficincia industrial sendo chamado de Pai da organizao cientfica do trabalho. Contribuiu de forma eficaz para o desenvolvimento industrial do sec. XX. Apesar de criticados, seus princpios seguem at hoje como referncia para o treinamento da superviso.

    2. Origens da abordagem clssica Revoluo Industrial crescimento acelerado e desordenado das empresas (necessidade da substituio do empirismo e a improvisao por uma abordagem cientfica mais apurada). Necessidade de aumentar a eficincia e a competncia nas organizaes melhor rendimento dos recursos e ateno concorrncia e competio; 1880/1890 - produo em massa aumenta o nmero de assalariados nas indstrias evitar o desperdcio e economizar mo de obra; Surge a diviso de trabalho entre os que pensam e os que executam. (Taylorismo) padres de produo, cargos, funes, mtodos e normas de trabalho.

    3. Objetivos da Teoria de Taylor Fim do desperdcio e das perdas da indstria americana; Aumento da produtividade essa teoria representa o marco do estudo terico da administrao e provocou revoluo no mundo industrial e no pensamento administrativo - administrao de tarefas baseada na organizao racional do trabalho operrio (ORT) emitindo a especializao do trabalhador, mediante simplificao das tarefas e busca da padronizao. (grande preocupao com o mtodo de trabalho , para os movimentos necessrios execuo de uma tarefa, para o tempo padro determinado para sua execuo. nfase nas tarefas)

    4. Organizao racional do trabalho Criao de mtodos e instrumentos por meio de anlise cientfica e acurado estudo de tempos e movimentos x critrio pessoal de cada operrio, ou seja, substituio de mtodos empricos e rudimentares pelos mtodos cientficos. Na ADM cientfica a administrao (gerncia) fica com o planejamento (estudo do trabalho do operrio e estabelecimento do mtodo de trabalho) e a superviso (assistncia contnua ao trabalhador durante a produo); com o trabalhador apenas a execuo do trabalho.

    5. Fundamentos da ORT 1 - Anlise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos - Taylor viu a possibilidade de decompor a tarefa e cada operao da tarefa em uma srie ordenada de movimentos simples. Os movimentos inteis eram eliminados e os teis simplificados - criao do tempo padro. Permite: racionalizar a seleo e treinamento de pessoal; Melhorar a eficincia do operrio e rendimento da produo; Distribuir uniformemente o trabalho; Oferecer base uniforme para salrios equitativos. Estabelecer normas detalhadas para a execuo do trabalho.

    6. Fundamentos da ORT 2 Estudo da fadiga humana - A fadiga um redutor da eficincia - Princpios de economia de movimentos: uso do corpo humano, arranjo material e local de trabalho; desempenho das tarefas e do equipamento. 3 Diviso do trabalho e especializao do operrio cada operrio passou a ser especializado na execuo de uma nica tarefa de maneira contnua e repetitiva (linha de produo). Operrio perde a iniciativa de sua maneira de trabalhar. (aumento da eficincia e produtividade)

    7. Fundamentos da ORT 4 Desenho de cargos e tarefas maneira pela qual um cargo criado e projetado e combinado com outros cargos para a execuo das tarefas. Desenhar um cargo especificar seu contedo (tarefas). Execuo automatizada por parte do operrio (este faz, no pensa nem decide). Vantagens: Admisso de empregados com qualificaes mnimas e salrios menores reduzindo os custos e a produo; Minimizao dos custos de treinamento Reduo de erros na execuo, diminuindo os refugos e rejeies Facilidade de superviso (maior controle de subordinados) Aumento de eficincia do trabalhador maior produtividade

    8. Fundamentos da ort 5 Incentivos salariais e prmios de produo fazer com que o operrio colabore com a empresa e trabalhe dentro dos padres de tempo previstos o operrio que produz pouco ganha pouco e que o produz mais, ganha na proporo de sua produo. O estmulo salarial adicional para que os operrios ultrapassem o tempo padro o prmio de produo. Eficincia superior a 100%! Esse operrio de bom salrio suportou durante dcadas um trabalho simples, repetitivo e montono , resultante das pressuposies errneas a respeito da natureza humana.

    9. Fundamentos da ort 6 - Conceito de homo economicus toda pessoa concebida como influenciada exclusivamente por recompensas salariais, econmicas e materiais. No h prazer pelo trabalho, este um meio de ganhar a vida. Essa concepo via no operrio da poca um indivduo limitado e mesquinho, preguioso e culpado pela vadiagem e desperdcio nas empresas. 7 Condies de trabalho garantia do bem estar fsico para a diminuio da fadiga. A melhoria do ambiente fsico objetivava apenas a eficincia do trabalhador, no o seu merecimento.

    10. FUNDAMENTOS DA ORT 8 Padronizao - de mquinas, equipamentos, ferramentas e instrumentos de trabalho, matrias primas e componentes - conduz simplificao na medida em que a uniformidade reduz a variabilidade e as excees que complicam o processo. 9 Superviso funcional x centralizao da autoridade existncia de diversos supervisores especializados em determinada rea com autoridade funcional sobre os mesmos subordinados; ex.: produo, manuteno e qualidade.

    11. Princpios da adm cientfica 1 - Princpio do planejamento substituir a improvisao pela cincia atravs do planejamento do mtodo de trabalho. 2 - Princpio do preparo selecionar cientificamente os trabalhadores de acordo com suas aptides, prepar-los, trein-los para produzirem mais. Preparar tambm mquinas, equipamentos e ambiente fsico de trabalho. 3 - Princpio do controle Controlar o trabalho para se certificar de que este est sendo executado de acordo com os mtodos estabelecidos e segundo o plano previsto. Cooperao da gerncia. 4 - Princpio da execuo - Distribuir distintamente atribuies e responsabilidades para que a execuo do trabalho seja disciplinada.