1 / 90

Gest o de Equipes de EAD

2. Sons do Sil?ncio. Apresentamos nossa concep??o pedag?gica e psicol?gica da modalidade de Educa??o a Dist?ncia: Sons do Sil?ncio. 3. Tem?ticas. Analisando o cen?rio de atua??o da equipe de EAD;Gest?o da equipe de EAD: desafios, metas e qualidade em EAD sob o aspecto de gest?o empresarial;Desenh

abram
Télécharger la présentation

Gest o de Equipes de EAD

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    1. Gesto de Equipes de EAD Como montar uma equipe eficaz para atuao em Educao a Distncia Odlia Silva da Silva Ricardo Melo Dal Santo

    2. 2 Sons do Silncio Apresentamos nossa concepo pedaggica e psicolgica da modalidade de Educao a Distncia: Sons do Silncio

    3. 3 Temticas Analisando o cenrio de atuao da equipe de EAD; Gesto da equipe de EAD: desafios, metas e qualidade em EAD sob o aspecto de gesto empresarial; Desenhando o perfil dos profissionais de EAD; Ambiente saudvel e qualidade de vida para a equipe.

    4. Analisando o cenrio de atuao da Equipe de EAD O SENACEAD/RS Cenrio da Educao a Distncia Gesto da Equipe Ecograma novo

    5. 1. O SenacEAD/RS Ver Apresentao SenacEAD/RS

    6. 2. O Cenrio da Educao a Distncia

    7. 7 O sculo XX ... Foi definido pela informtica - poca de grandes desafios e avanos tecnolgicos - na sociedade em geral, nas organizaes, na educao.

    8. 8 O Professor De detentor do saber e de informaes, passa a ser: mediador, mobilizador, facilitador na construo de propostas e situaes desafiadoras no processo de ensino e de aprendizagens.

    9. 9 Paulo Freire (2002) ensinar no transferir conhecimentos e sim instigar, desafiar e questionar Despertar no aluno e no professor, o interesse e ao mesmo tempo o estmulo para desvendar as novas tecnologias e sua repercusso na aprendizagem.

    10. 10 Essa metodologia objetiva envolver e responsabilizar o aluno a construir seu prprio saber Rossano Sartoti Dal`Molin (2004) O docente o responsvel pelos desafios ao grupo

    11. 11 A mediao em ambientes de educao, via computador, pode ser efetivada a partir de muitas ferramentas disponibilizadas, em momentos sncronos ou assncronos, tais como: e-mails, lista de discusses, bate-papo, programas de comunicao instantneos (ICQ, MSN), videoconferncia, entre outras.

    12. 12 As interaes ocorrem de tal forma que podemos afirmar que as pessoas esto se modificando individualmente e coletivamente.

    13. 13 O Papel de Professor/Tutor Interagir e mediar geram um compartilhamento dialgico com seu interlocutor, o aluno. Explorar vivncias e experincias de cada um pondo prova e o conhecimento do assunto em questo sendo visto sob diferentes ngulos, de acordo com as colocaes dos diferentes educandos.

    14. 14 Gestores e Professores seriedade de propsitos, responsabilidade, capacidade tcnica comprometimento na oferta de cursos/disciplinas na modalidade a distncia so necessrias para que a educao brasileira possa se beneficiar da tecnologia e da informtica na educao.

    15. 15 Questionamento 1 - Vrios so os papis do professor-tutor, entre eles, como mediador, mobilizador, facilitador na construo de propostas e situaes desafiadoras no processo de ensino e de aprendizagens. Como so sinalizados estes papis no processo educativo?

    16. 16 Questionamento 2 - ... atingindo grande parcela da populao que procura atualizao e formao profissional, tecnolgica e acadmica. De que maneira podemos ajudar a populao de classes menos favorecidas?

    17. 17 Questionamento 3 - Demo afirma, ensinar no transferir conhecimentos e sim instigar, desafiar e questionar O professor na modalidade presencial e a distncia o fazem, podemos afirmar que so processos semelhantes? Mas qual a diferena?

    18. 18 Questionamento 4 - comunicao/interatividade entre professor e aluno um dos requisitos constantes nos indicadores importantes nos cursos de educao a distncia. Como ela se estabelece em um curso/disciplina?

    19. 19 Questionamento 5 - Sendo a avaliao na modalidade presencial difcil, muitas vezes criando animosidades entre professores e alunos... ...que critrios vamos determinar para que, na Educao a Distncia, ela seja de qualidade contnua e abrangente?

    20. 20 Mas a boa pesquisa da possibilidade de um mercado vivel para um novo servio educacional atravs de EAD, o bom planejamento do negcio, a formao de uma equipe no apenas adequada, mas um verdadeiro dream team (time dos sonhos), e o bom apoio ao aluno antes, durante e depois do curso, garantiro o sucesso do empreendimento. (Fredric Michael Litto in 13 Congresso Internacional da ABED)

    21. 3. Gesto de Equipe Equipe de Trabalho X Equipe Virtual

    22. 22 Equipe de Trabalho O processo de ensino e aprendizagem, na modalidade presencial de responsabilidade dos professores, que so os organizadores e decisores pela elaborao e construo dos planos de ensino e de aulas,

    23. 23 Na modalidade a distncia as responsabilidades so das Instituies, que organizam as Equipes Multidisciplinares para definirem suas propostas pedaggicas de acordo com sua filosofia e misso, pressupostos didticos pedaggicos vigentes.

    24. 24 Esses pressupostos amparados nos referenciais cientficos e na tecnologia atendendo a legislao vigente, necessidade social e educacional, devidamente contextualizada do o suporte necessrio a formulao das estratgias educacionais pela Equipe Multidisciplinar.

    25. 25 A EAD tem como desafio superar as distncias. A sua relao espao fsico e temporal, mas apiam-se fundamentalmente nos meios de comunicao e na tecnologia para construir a aprendizagem de forma individual e coletiva ao mesmo tempo em que socializa e democratiza a educao,

    26. 26 H necessidade de uma reordenao do processo educativo desde o PLANEJAMENTO, A EXECUO, O ACOMPANHAMENTO E A AVALIAO, os quais ficam subordinados a uma equipe de educadores, com diferentes atribuies e responsabilidades.

    27. 27 Numa primeira fase h a construo de textos, definies de imagens, de atividades, diferentes propostas didticas e jogos pedaggicos, para abastecerem os webdesigners na estruturao e modelagens do curso antes da divulgao do mesmo.

    28. 28 Esta fase estratificada em diferentes momentos tcnicos onde especialistas congregam seus esforos no sentido de harmonizar as temticas e assuntos a serem abordados, em seqncia lgica, ou no, para cativarem e estimularem os alunos de diferentes e variadas formas.

    29. 29 Servimo-nos dos dez os itens bsicos dos Referenciais de Qualidade da Educao a Distncia/MEC) para definio prpria: 1. integrao com polticas, diretrizes e padres de qualidade definidos para o curso como um todo e para o curso especfico;

    30. 30 2. desenho do projeto: a identidade da educao a distncia; 3. equipe profissional multidisciplinar; 4. comunicao/interatividade entre professor e aluno; 5. qualidade dos recursos educacionais; 6. infra-estrutura de apoio;

    31. 31 7. avaliao de qualidade contnua e abrangente; 8. convnios e parcerias; 9. edital e informaes sobre o curso na modalidade a distncia; 10. custos de implementao e manuteno do curso.

    32. 32 Para atender aos requisitos tcnicos, didticos e legais, a Equipe Multidisciplinar de Educao a Distncia, formada por especialistas, das mais diferentes reas renem-se para participarem desde o planejamento, execuo, acompanhamento e avaliao at a concluso do curso.

    33. 33 So imprescindveis nesta Equipe: Diretor, Coordenador Pedaggico, Pedagogo, Especialistas na rea especfica, Webdesigner, Analista de Sistemas, Secretrio, Coordenador Administrativo-Financeiro, Especialista em Marketing, Atendente e Professores/ Tutores amparados pelo equipamento tecnolgico adequado.

    34. 34 Cada um destes especialistas com atribuies definidas e conhecedores das demais atividades desenvolvidas pela Equipe formam a Equipe Multidisciplinar.

    35. 35 A Equipe Multidisciplinar diferencia-se da Equipe Virtual no s pelas atividades de cada especialista mas sim pela distncia e forma de convvio e interao.

    36. 36 Equipe Virtual um grupo de pessoas que desenvolve seus trabalhos de forma interrelacionada mesmo estando separadas pelo espao, tempo e fronteiras organizacionais. Eom e Lee (1999) in Nakayama (2006)

    37. 37 Equipes Virtuais - Em rede; - De desenvolvimento de projeto ou produto; - De trabalho ou produo; - De consultorias, entre outras. Trabalho a distncia mas focados em objetivos claros e definidos.

    38. 2. Gesto da equipe de EAD: desafios, metas e qualidade em EAD sob o aspecto de gesto empresarial Gesto/ Princpios de gesto/O Gestor/ Trabalho em Equipe/ Planejamento Estratgico e qualidade.

    39. 39 Gesto X Administrao A Administrao no existe por si s, est presente em todos os cargos. O cargo composto pela administrao, al das reas financeira, contbil, vendas, marketing entre outras. Gesto em algo e administrao em algo.

    40. 40 A Gesto incorpora a Administrao e faz dela mais uma das funes necessrias para seu desempenho. Administrar planejar, organizar, dirigir e controlar pessoas para atingir de forma eficiente e eficaz os objetivos de uma organizao.

    41. 41 Gesto lanar mo de todas as funes* e conhecimentos** necessrios para, atravs de pessoas, atingir os objetivos de uma organizao de forma eficiente e eficaz. *Funes: tcnica, contbil, financeira, comercial, segurana e administrao; **Conhecimentos: psicologia, antropologia, estatstica, mercadologia, ambiental,etc... Revista Eletrnica de Administrao.Facef.Vol.01. Ed. 01.Julho-Dezembro 2002

    42. 42 Na gerncia horizontal, o trabalho organizado ao longo dos vrios grupo funcionais que trabalham em interao permanente. Isto permite uma melhoria na coordenao e comunicao entre os colaboradores e gerentes/direo. (Kerzner. 2006.Artmed.2006) Propicia a interface de trabalho entre os diversos grupos de trabalho.

    43. 43 Entre as funes de sistema de EAD destacamos: administrao, coordenao pedaggica, planejamento, marketing, organizao de contedos, construo de textos e hipertextos, atividades, estudos de casos, elaborao de instrumentos de avaliao, reviso de bibliografias, modelagem de pginas e de curso, produo visual, diagramao e ilustrao, definio de formas de comunicao, materiais didticos e de apoio, impressos ou CDs, inscrio, matrcula, financeiro, registros de escriturao escolar, certificao, acompanhamento e avaliao, entre outros.

    44. 44 Estas funes devem estar integradas e em sintonia, construdas de forma participativa pois o trabalho de cada um depende do trabalho dos demais. Este trabalho conjunto deve espargir sobre a capacitao dos docentes para atingir o alunado verificando-se o processo de mudana de atitudes e de competncias, individual e coletiva.

    45. 45 Desafios 1- Liderana 2- Disposio para enfrentar mudanas 3- Valorizao do trabalho em equipe 4- Comprometimento da equipe 5- Aceitar feedbacks e crticas 6- Plano estratgico, metas e prazos 7- Remover barreiras 8- Esprito empreendedor e proatividade. (Adaptao -Stephen Covey, Os sete hbitos das pessoas altamente eficazes)

    46. 46 Estar pronto a mudana; Acreditar em seu potencial e no da equipe; Acreditar no grupo como potenciais colaboradores (cooperao/positividade); Comprometer a equipe acreditando que sem assessoramento e acompanhamento a tendncia a desmotivao e a acomodao; Proporcionar um ambiente de harmonia e de comprometimento.

    47. 47 Criar condies para que a inovao acontea - atualizao constante Clima tranqilo e bem organizado; Oportunizar novas aes e polticas organizacionais, sendo as mesmas apresentadas a todos os colaboradores; Proporcionar o conhecimento da misso, viso e valores institucionais, sendo os mesmos colocados em ao por todos;

    48. 48 Metas Identificar o que quer. Aplicar as tcnicas existentes para desenvolver uma meta. No basta apenas expressar um sonho ou um desejo. importante que possamos transform-los em metas.

    49. 49 "Administradores so seguidos porque so chefes; Lderes so seguidos porque acreditamos neles. Renato Requio Munhoz da Rocha

    50. 50 Questionamentos Podemos confundir competncia em administrar com competncia em liderar? Qual a diferena entre um administrador e um gestor? Liderana um dom?

    51. 51 O Gestor Reflexo, significa a tomada de conscincia de seu prprio pensamento em vista de uma ao livre, cada vez mais adaptada. (Moraes, 2004:212) o conhecimento humano , na sua origem e nos seus desenvolvimentos, inseparvel da ao (Morin in Moraes, 2004:212) Prprio processo de construo de conhecimento

    52. 52 HBITO 1 SEJA PROATIVO Para Covey, extremamente importante responsabilizar-se por seus prprios atos. A partir do momento em que o ser humano proativo, ele age sobre o ambiente, no apenas vive nele. Os reativos so levados por sentimentos, circunstncias, condies e ambiente. Os proativos so guiados por seus valores, cuidadosamente pensados, selecionados e interiorizados, diz.

    53. 53 HBITO 2 COMECE COM O OBJETIVO NA MENTE As aes tomadas no dia-a-dia sempre so pensadas em dois nveis: da criao mental e da criao fsica. Quando se inicia qualquer uma dessas aes, essencial ter em mente qual o real objetivo a ser alcanado. Segundo o autor, isso assemelha-se a ter uma misso pessoal. A autoconscincia nos leva a examinar os prprios pensamentos. Esse caso particularmente til para a criao de uma declarao de misso pessoal.

    54. 54 HBITO 3 PRIMEIRO O MAIS IMPORTANTE Entre algo urgente e importante, o que voc resolve antes? Covey diz que administrar eficazmente significa no deixar que a urgncia nos tire do foco da importncia. As coisas urgentes se impem a ns. Elas nos pressionam, insistem para que alguma providncia seja tomada. A importncia, por outro lado, tem a ver com resultados.

    55. 55 HBITO 4 PENSE VENCER - VENCER No existe opo para quem quer ser altamente eficaz; vencer ou vencer. Buscar benefcio mtuo em todo tipo de relao humana deve ser o combustvel de quem est na liderana de grandes companhias. Vencer-vencer se baseia no paradigma de que h bastante para todos, que o sucesso de uma pessoa no se conquista com o sacrifcio ou excluso da outra.

    56. 56 HBITO 5 PRIMEIRO COMPREENDA PARA DEPOIS SER COMPREENDIDO To importante quanto falar tambm ouvir seu interlocutor, com objetivo de entend-lo, no apenas responder-lhe algo. O poder desse hbito que cria a empatia necessria entre gestores e colaboradores. Antes que os problemas apaream, antes de avaliar e receitar, antes de mostrar as prprias idias procure compreender. - comunicao interpessoal eficaz -

    57. 57 HBITO 6 PROMOVA SINERGIA Buscar sinergia nada mais do que buscar interao. E ningum melhor do que o lder para propor que o pensamento seja um s, ou seja, que o todo maior do que a soma das partes. De todos os hbitos, esse o que mais depende dos outros para realmente se concretizar. Ao se habituar a trabalhar em equipe, criar em conjunto e desenvolver-se de maneira uniforme com quem interage, o ser humano realmente alcana a sinergia necessria para fazer qualquer engrenagem funcionar, uma metfora que pode ser usada para qualquer tipo ou tamanho de empresa. Quando tiver s duas alternativas, a sua e a do outro, pode-se procurar uma terceira, a sinrgica.

    58. 58 HBITO 7 MANTENHA-SE AFIADO Todos os seis hbitos foram seguidos e agora no h mais o que aprimorar. Ser? sempre fundamental rever conceitos, fazer avaliaes constantes e promover uma renovao. Este o hbito que faz com que todos os outros sejam possveis. Cultivar esse stimo ensinamento significa preservar e melhorar o bem mais precioso voc mesmo. Ele renova as quatro dimenses de sua natureza fsica, espiritual, mental e social/emocional. Stephen Covey

    59. 59 Trabalho em Equipe importante entender o comportamento humano dentro e fora do ambiente de trabalho; A maioria das pessoas querem cooperar, identifique-as; Solicite feedback dos colaboradores; Flexibilidade no trabalho; Acompanhamento sistemtico; Desafios constantes.

    60. 60 Planejamento Estratgico Pessoal e da Equipe, participativamente Estabelecimento de estratgias claras para alcanar metas definidas; Reavaliar metas e planos; Manter o foco; Avaliar resultados participativamente; Profissionalismo/comprometimento; Buscar parcerias; tica / Respeito / Pacincia / Aprendizado!

    61. 61 ISO9001:2000 Sistemas de Gesto da Qualidade International Organization for Standardization (Organizao Internacional de Normalizao) Normal Internacional da Qualidade Procedimentos Regionais PR Auditores e auditorias internas Indicadores SA Strategic Adviser Poltica Ambiental

    62. 62 Programa Gacho da Qualidade e Produtividade Critrios: Liderana Estratgias e planos Clientes Sociedade Informaes e Conhecimento Pessoas Processos Resultados

    63. 3 . Desenhando o perfil dos profissionais de EAD

    64. 64 Quando se quer saber o que uma pessoa faz em uma empresa se pergunta qual o cargo que ela ocupa? Nem sempre o cargo significa a funo. Conceito de cargo: a composio de todas as atividades desempenhadas por uma pessoa - o ocupante - que podem ser englobadas em um todo unificado e que figura em certa posio formal do organograma da empresa.

    65. 65 O cargo define o seu nvel hierrquico, a subordinao (a quem presta responsabilidade), os subordinados ( sobre quem exerce autoridade) e o departamento ou diviso onde est localizado. O Desenho de cargos envolve as seguintes especificaes: Funes; Mtodos de trabalho; Requisitos para ocupar o cargo; Competncias necessrias; Relaes com os demais cargos;

    66. 66 Parada para pensar: Qual o meu trabalho? O que realmente importa nele? Estou fazendo meu trabalho da melhor forma? A empresa oferece os recursos necessrios para desenvolver meu trabalho da melhor forma? Como o estou desempenhando?

    67. 67 Ecograma Senac EAD Ver ecograma SenacEAD

    68. 68 Descrio de funes Ver modelo de formulrio para descrio de funes

    69. 69 O que se ganha com o enriquecimento dos cargos Elevada motivao intrnseca do trabalho; Desempenho de alta qualidade; Elevada satisfao com o trabalho; Reduo de faltas (absentesmo) e de desligamentos (rotatividade)

    70. 70 Os resultados do trabalho aumentam quando esto presentes em trs estados psicolgicos crticos nas pessoas que o executam: Quando a pessoa encara o seu trabalho como significativo ou de valor. Quando a pessoa se sente responsvel pelos resultados do trabalho. Quando a pessoa conhece os resultados que obtm fazendo o trabalho.

    71. 71 Equipes de trabalho Um grupo um conjunto de pessoas que se renem em torno de um objetivo ou atividade comum. J o conceito de equipe vai muito alm. Falar de equipe, falar de unio, coeso, entrosamento, sinergia, sentido de coletividade, solidariedade. O verdadeiro trabalho em equipe participativo e colaborativo. Baseia-se no entendimento, no engajamento, na negociao, na troca e na ajuda mtua. Dinmica de trabalho em equipe.

    72. 72 Competncias para o trabalho em equipe Antigamente: QI e Conhecimento Tcnico Hoje: Competncias intrapessoais, interpessoais e competncias emocionais. Destacam-se: 1. tica, respeito mtuo e soliedariedade; 2. Esprito de cooperao e colaborao; 3. Sensibilidade para lidar com as diferenas individuais, respeitando a dimenso privada dos indivduos. 4. Respeito as divergncias de opinio, reconhecendo que a multiplicidade de vises enriquece uma discusso; 5. Capacidade de ouvir os companheiros e de considerar as suas contribuies; 6. Competncia para se comunicar e argumentar com lgica e boa fundamentao para expressar suas idias e ponto de vista com iseno, equilbrio e clareza.

    73. 73 Recrutamento e Seleo para profissionais de EAD Etapas do processo seletivo; Equipe participa da elaborao do perfil e das entrevistas; Processo seletivo diferenciado; Permite maior identificao com os membros da equipe; Melhor avaliao do conhecimento necessrio; Aplicao de testes no prprio ambiente de trabalho;

    74. 4. Ambiente saudvel e qualidade de vida para a equipe

    75. 75 Principais itens de higiene no trabalho: Ambiente Fsico Iluminao; Ventilao; Temperatura; Rudos; Ambiente psicolgico de trabalho: Relacionamento humano agradvel; tipo de atividade agradvel e motivadora; Estilo da gerncia democrtico e participativo; Eliminao de possveis fontes de estresse.

    76. 76 Higiene do trabalho Est relacionada com as condies ambientais de trabalho que assegurem a sade fsica e mental, com as condies de sade e bem-estar das pessoas.

    77. 77 Principais itens de higiene no trabalho: Aplicao de princpios de ergonomia: Mquinas e equipamentos adequados s caractersticas humanas; Mesas e instalaes ajustadas ao tamanho das pessoas; Ferramentas que reduzam a necessidade de esforo fsico humano.

    78. 78 Sade Ocupacional Uma maneira de definir sade a ausncia de doenas. O ambiente de trabalho pode provocar doenas. Estado fsico, mental e social. Estresse

    79. 79 Estresse no trabalho um conjunto de reaes fsicas, qumicas e mentais de uma pessoa decorrente de estmulos ou estressores que existem no ambiente. O estresse a soma de perturbaes orgnicas e psquicas provocadas por diversos agentes agressores, como: traumas, emoes fortes, fadiga, exposio a situaes conflitivas e problemticas, etc.

    80. 80 Dicas para reduzir o estresse no trabalho Permita que seus funcionrios conversem amigavelmente entre si e que desenvolvam laos de amizade. Reduza conflitos pessoais no trabalho. D aos funcionrios o controle sobre como devem fazer o seu trabalho. Assegure adequada assessoria e oramento de despesas. Fale abertamente com os funcionrios. Apie o esforo dos funcionrios.

    81. 81 Proporcione benefcios pessoais competitivos. Mantenha os nveis atuais de benefcios aos funcionrios. Reduza a quantidade de papelrio para os empregados. Reconhea e recompense os funcionrios.

    82. 82 Qualidade de Vida no Trabalho Pergunta: Para voc o que significa Qualidade de Vida no Trabalho?

    83. 83 So muitas as interpretaes para a Qualidade de Vida no Trabalho. Elas passam pelo foco mdico com o diagnstico de doenas do indivduo, pelo foco social, psicolgico, biolgico, entre outros, at a exigncia de elementos estruturais para o desenvolvimento de uma atividade produtiva. Embora tenha sido uma preocupao do ser humano muito remota, a idia "sempre esteve voltada para facilitar ou trazer satisfao e bem-estar ao trabalhador na execuo de sua tarefa" (Rodrigues, pg. 76).

    84. 84 De acordo com Frana (1997:80): Qualidade de vida no trabalho o conjunto das aes de uma empresa que envolvem a implantao de melhorias e inovaes gerenciais e tecnolgicas no ambiente de trabalho. A construo da qualidade de vida no trabalho ocorre a partir do momento em que se olha a empresa e as pessoas como um todo, o que chamamos de enfoque biopsicossocial. O posicionamento biopsicossocial representa o fator diferencial para a realizao de diagnstico, campanhas, criao de servios e implantao de projetos voltados para a preservao e desenvolvimento das pessoas, durante o trabalho na empresa.

    85. 85 A QVT, envolve uma constelao de fatores como: A satisfao com o trabalho executado; As possibilidades de futuro na organizao; O reconhecimento com os resultados alcanados; O salrio percebido; Os benefcios auferidos; O relacionamento humano dentro do grupo e da organizao; O ambiente psicolgico e fsico de trabalho; A liberdade e responsabilidade de tomar decises; As possibilidades de participar.

    86. 86 Modelo Walton de QVT Clique para ver o modelo

    87. 87 Programas de bem-estar aos funcionrios Geralmente so adotados por organizaes que procuram prevenir problemas de sade de seus funcionrios. Um programa de bem-estar tem geralmente trs componentes: Ajudar os funcionrios a identificar riscos potenciais de sade; Educar os funcionrios respeito de riscos de sade, como presso sangunea elevada, fumo, obesidade, dieta pobre e estresse; Encorajar os funcionrios a mudar seus estilos de vida atravs de exerccios, boa alimentao e monitoramento da sade.

    88. 88 Odlia Silva da Silva Mestrado: Administrao de Sistemas Educacionais - PUCRS Ps Graduao : Administrao Educacional - Educao de Adultos - Produo e Gesto em Turismo - Educao Ambiental Graduao: Curso de Cincias Sociais - Curso de Pedagogia - Administrao Escolar Atividades Profissionais: Professora Universitria - PUCRS/FACED Consultora Educacional Diretora SENACEAD/RS ossilva@senacrs.com.br osilva@pucrs.br

    89. 89 Ricardo Melo Dal Santo Administrador, especialista em Gesto de Recursos Humanos, Especialista em Educao a Distncia; Consultor em Recursos Humanos e Educao Corporativa; Consultor em Educao a Distncia nas reas de formao de equipes, gerenciamento, monitoramento, contruo de cursos, treinamento e gesto de equipes de EAD; Coordenador administrativo/RH de Unidade de Educao a Distncia do Senac EAD/RS; Professor e tutor em cursos de gesto a distncia. rmsanto@senacrs.com.br

    90. 90 Referncias Os Sete Hbitos das Pessoas Altamente Eficazes COVEY, Stephen

More Related