Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Sistema Nervoso PowerPoint Presentation
Download Presentation
Sistema Nervoso

Sistema Nervoso

181 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Sistema Nervoso

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Sistema Nervoso

  2. Sistema Nervoso É o sistema mais complexo e mais organizado dos vários sistemas do corpo humano. Tem função de integrar os vários processos fisiológicos, reacionais e adaptacionais do organismo com o meio. Alem de tudo isso, uma estrutura bastante especial, o córtex cerebral, desempenha o papel que distingue o homem dos demais seres, a consciência a vida. Para o estudo anatômico o sistema nervoso pode ser dividido em duas partes: Central e Periférico.

  3. Composição do Sistema Nervoso Os tecidos nervosos são compostos por células nervosas e todos os seus processos, juntamente com o tecido de sustentação, chamado de neuroglia. Certos processos das células nervosas são de especial importância, são as fibras nervosas, que irão compor os nervos. Ao olho nu a diferença entre algumas partes do encéfalo e da medula é obvia. A cor é um exemplo. Podemos facilmente distinguir a substância cinzenta da substância branca. A substância cinzenta é composta de corpos de neurônios, enquanto que a branca é composta de axônios e a cor branca reflete a gordura, bainha de mielina que envolve o axônio.

  4. O sistema nervoso central (SNC) é composto pelo encéfalo, que está contido no interior do crânio e pela medula espinhal que está contida no interior do canal vertebral. O sistema nervos periférico(SNP) é basicamente uma série de nervos que se prolongaram do SNC para se distribuir para o resto do organismo. Poderíamos chamá-lo de "braços" do sistema nervoso central. Podemos também dividir os nervos periféricos em dois grupos: Cerebroespinhal e Autônomo. Os dois estão intimamente conectados e ambos possuem núcleos tanto de origem como de terminação.

  5. Os nervos cérebro espinhais são ao todo 43 pares, 12 pares cranianos + 31 pares de raízes espinhais. Possuem função motora e sensitiva. O nervos autônomos transmitem impulso que regulam o funcionamento das vísceras, o calibre dos vasos sanguíneos, o diâmetro da pupila, a salivação, ou seja, controlam todos os fenômenos inconsciente, não voluntários. Estão dispostos em duas colunas centrais situadas imediatamente ao lado dos corpos vertebrais, estendendo-se da base do crânio ao cóccix.

  6. Podemos dividir, com fins exclusivamente didático, o Sistema Nervoso conforme o esquema abaixo: Sistema nervoso central (SNC)- Encéfalo        - Cérebro        - Cerebelo        - Tronco Encefálico                          - Mesencéfalo                          - Ponte                          - Bulbo - Medula Espinhal

  7. Sistema nervoso periférico (SNP)- Nervos       - Espinhais       - Cranianos- Gânglios- Terminações Nervosas

  8. Sistema Nervoso periférico( SNP)

  9. Medula Espinhal É chamada assim porque está localizada no interior da coluna vertebral. O termo medula significa miolo, logo medula espinhal é o "miolo da espinha", medula óssea seria o "miolo do osso". Alguns autores ainda dizem que ela possui esse nome por ter o seguimento inferior semelhante a medula óssea.

  10. Medula Espinhal O que sabemos realmente é que a medula espinhal tem forma cilindróide, está situada no interior do canal vertebral, mede aproximadamente 45 cm de comprimento e se estende do limite inferior do bulbo à 2º vértebra lombar, onde termina formando um cone.

  11. O tecido do SNC é muito delicado. Por esse motivo, apresenta um elaborado sistema de proteção que consiste de quatro estruturas: Crânio; Meninges; líquido cerebrospinhal (líquor); Barreira hematoencefálica; Abordaremos as meninges e o líquido cerebrospinhal, estruturas que envolvem o SNC e são de extrema importância para a defesa do nosso corpo.

  12. Meninges O sistema nervoso é envolto por membranas conjuntivas denominadas meninges que são classificadas como três: Dura-máter, Aracnóide Pia-máter.

  13. Dura-Máter É a meninge mais superficial, espessa e resistente, formada por tecido conjuntivo muito rico em fibras colágenas, contendo nervos e vasos. A dura-máter, ao contrário das outras meninges, é ricamente inervada. Como o encéfalo não possui terminações nervosas sensitivas, toda ou qualquer sensibilidade intracraniana se localiza na dura-máter, que é responsável pela maioria das dores de cabeça.

  14. Aracnóide É uma membrana muito delgada, justaposta à dura-máter, da qual se separa por um espaço virtual, o espaço subdural, contendo uma pequena quantidade de líquido necessário á lubrificação das superfícies de contato das membranas. A aracnóide separa-se da pia-máter pelo espaço subaracnóideo que contem líquor, havendo grande comunicação entre os espaços subaracnóideos do encéfalo e da medula.

  15. Pia-Máter É a mais interna das meninges, aderindo intimamente à superfície do encéfalo e da medula, cujos relevos e depressões acompanham até o fundo dos sulcos cerebrais. A pia-máter dá resistência aos órgãos nervosos, pois o tecido nervoso é de consistência muito mole. A pia-máter acompanha os vasos que penetram no tecido nervoso a partir do espaço subaracnóideo, formando a parede externa dos espaços perivasculares.

  16. Pia-Máter Neste espaço existem prolongamentos do espaço subaracnóideo, contendo líquor, que forma um manguito protetor em torno dos vasos, muito importante para amortecer o efeito da pulsação das artérias sobre o tecido circunvizinho.

  17. Líquor • É um fluido aquoso e incolor que ocupa o espaço subaracnóideo e as cavidades ventriculares. A sua função primordial é proteção mecânica do sistema nervoso central.

  18. PROBLEMAS CARDIOVASCULARES Aspectos Anatômicos e Fisiológicos. O coração é um órgão constituído de músculo estriado especial e oco, situado no centro do tórax, entre os dois pulmões, no espaço denominado mediastino, ficando apoiado sobre o diafragma. Vasos que constituem o coração Artérias - vasos que transportam sangue no sentido centrífugo em relação ao coração (para fora); Veias - vasos que transportam sangue no sentido centrípeto em relação ao coração (em direção ao coração);

  19. Os vasos sanguíneos são: grande calibre • Artérias médio calibre pequeno calibre arteríola • Veias vênula (menor veia) pequena média grande • Capilares: menor vaso sangüíneo – faz a troca com o meio (artérias e veias) – transporte passivo (difusão)

  20. Paredes: As paredes do coração são formadas por três túnicas: Pericárdio - camada externa de serosa dupla que recobre o miocárdio; Miocárdio - camada média muscular, estriada e involuntária; Endocárdio - camada interna mucosa que forra o interior das câmaras, ficando em contato direto com o sangue.

  21. Cavidades O coração possui quatro câmaras distintas, separadas por membranas denominadas septos, sendo: Duas superiores, denominadas átrios(direito e esquerdo);recebem sangue das veias. Funcionam como reservatório para os ventrículos; Duas inferiores, denominadas ventrículos(direito e esquerdo). Ejetam sangue para as artérias; Válvulas atrioventriculares: são as válvulas que separam os átrios dos ventrículos;

  22. Válvula aórtica: alojada entre o ventrículo esquerdo e a aorta. • Artérias coronárias: são provenientes da aórta. A artéria coronariana esquerda irriga o coração pelo lado E e a artéria coronariana direita irriga pelo lado D. • Válvula mitral: alojada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo. VAVE- conhecida também como bicúspide. • Válvula tricúspides: está alojada entre o átrio direito e o ventrículo direito VAVD. • Válvula pulmonar: alojada entre o ventrículo D e a artéria pulmonar.

  23. Irrigação sangüínea O coração é irrigado pelas artérias coronárias direita e esquerda, que normalmente nascem dos seios aórticos ventral e esquerdo, respectivamente. As artérias coronárias e suas primeiras poucas ordens de ramos percorrem e suprem o epicárdio. Os ramos subsequentes penetram nos plexos coronários.

  24. CORAÇÃO

  25. CIRCULAÇÃO SISTÊMICA: o sangue sai do coração pelo ventrículo E através da aórta rico em O2. Esta, ramifica-se até a formação dos capilares onde acontece a difusão - transporte passivo, deixando sangue oxigenado e nutrientes para os diversos órgãos e capta CO2 das células. Retorna ao coração pelo átrio D através das veias cava superior e inferior. • CORAÇÃO – CORPO – CORAÇÃO • CIRCULAÇÃO PULMONAR: o sangue sai do coração pelo ventrículo D através da artéria pulmonar rico em CO2. Segue para os pulmões onde acontece a hematose. Já com o sangue oxigenado retorna ao coração pelo átrio E através das veias pulmonares (4). CORAÇÃO – PULMÃO - CORAÇÃO

  26. SISTEMA RESPIRTÓRIO Função: A função do sistema respiratório é trocar os gases envolvidos no processo de respiração Celular, logo, tem como função: Captar Oxigênio atmosférico. Liberar o CO2 produzido no organismo para o meio ambiente. Respiração : É o processo de entrada e saída de ar no sistema respiratório. INSPIRAÇÃO / EXPIRAÇÃO É feita com auxílio dos músculos respiratórios, em que o diafragma é o mais importante.

  27. SISTEMA RESPIRTÓRIO Hematose : Como os gases utilizados pelas células são transportados pelo sangue (Hemácias), seu objetivo é oxigenar o sangue e retirar o gás carbônico do sangue. Esse processo de troca gasosa entre o sistema respiratório e o sangue é denominado Hematose. Cavidade Nasal: Tem a função de aquecer e filtrar o ar que entra no sistema respiratório.

  28. SISTEMA RESPIRTÓRIO Faringe: É uma estrutura que conduz o ar e alimentos. O ar vai para a laringe. O alimento vai para o esôfago. A epiglote é uma estrutura que tapa a laringe, não permitindo a passagem de comida para os pulmões. Laringe: Conduz o ar. Local aonde ficam as cordas vocais, portanto, importante na fala.

  29. SISTEMA RESPIRTÓRIO Traqueia :Grande tubo constituído por pequenos anéis de cartilagem, que conduzem o ar por dentro do tórax até se bifurcarem, formando os brônquios. Brônquios :São formados pela divisão da traqueia. Entram nos pulmões e ali sofrem inúmeras bifurcações, formando os bronquíolos. Bronquíolos :São pequenos canais de ar, que vão se bifurcando sucessivamente em bronquíolos menores, terminando em pequenas dilatações denominadas alvéolos.

  30. SISTEMA RESPIRTÓRIO Alvéolos :São pequenos sacos que ficam no final dos menores bronquíolos. Os alvéolos são envolvidos por uma série de vasos sanguíneos. Como a parede dos alvéolos é fina, as trocas gasosas ocorrem nesse local. Pulmões :É o órgão principal do sistema respiratório. Localiza se dentro do tórax. Localiza- É aí que ocorre a hematose. É envolvido por uma camada de tecido denominado de pleura.

  31. O SANGUE O sangue é produzido na   medula óssea.  Éresponsável pelo:transporte de oxigênio absorvido dos pulmões e nutrientes do trato gastrointestinal para as células do corpo.  Transporte de produtos tóxicos (dióxico de carbono,resíduos)produzidos pelo metabolismo celular para pulmões, pele, fígado e rins onde são eliminados. COMPONENTES DO SANGUE Componente Líquida (55% do volume) Plasma Componente Celular  (45% do volume)  Eritrócitos (Hemácias) Leucócitos (células brancas) Trombócitos (plaquetas)

  32. O SANGUE PLASMA(90% é água) • Proteínas     albuminasglobulinaaglutininasfibrinogênio / protrombina • Outras substâncias orgânicas enzimasanticorposhormônios vitaminas. AS PLAQUETAS: São fragmentos de células sem núcleo. São os elementos mais pequenos do sangue. A sua principal função é a coagulação do sangue quando este sai dos vasos sanguíneos.

  33. O SANGUE AS HEMÁCIAS OU GLÓBULOS VERMELHOS: São Células sanguíneas sem núcleo que contém hemoglobina, que é a substância responsável pela cor vermelha. São as células mais numerosas do sangue. A principal função é o transporte do oxigênio. O sangue carregado de oxigênio tem cor vermelho-vivo e chama-se sangue arterial. Nas células é também a hemoglobina que fixa parte do dióxido de carbono libertado por estas e que o transporta até aos pulmões, para depois ser expulso para o exterior. O sangue, agora mais carregado de dióxido de carbono, tem cor vermelho-escura e chama-se sangue venoso.

  34. O SANGUE OS LEUCÓCITOS OU GLÓBULOS BRANCOS: São maiores que os glóbulos vermelhos e menos numerosos. A sua principal função é defender o organismo contra os micróbios. Têm núcleo de forma variada. O PLASMA – parte líquida do sangue e ocupa mais de metade do seu volume. Plasma É um líquido transparente e amarelado onde “flutuam” as células sanguíneas. É constituído por água, proteínas, glicídios, lipídios, vitaminas, minerais e substâncias nocivas, como o dióxido de carbono, a ureia, etc.

  35. Os grupos sanguíneos humanos ABO sabemos que as hemácias possuem dois tipos de antígenos, chamados de aglutinogênios, A e B; e o plasma pode conter dois anticorpos (aglutininas), anti-A e anti-B. Então existem quatro grupos sanguíneos para este sistema: A, B, AB e O.

  36. O sistema sanguíneo ABO e o fator Rh Os indivíduos A possuem os antígenos A e os anticorpos Anti-B.Os indivíduos B possuem os antígenos B e os anticorpos Anti-A

  37. O sistema sanguíneo ABO e o fator Rh O A B AB

  38. O sistema sanguíneo ABO e o fator Rh Os indivíduos AB possuem ambos os antígenos, A e B; e nenhum anticorpo.Os indivíduos O, não possuem nenhuma antígeno e possuem os dois anticorpos, anti-A e Anti-B.

  39. O sistema sanguíneo ABO e o fator Rh O sangue total: A cada doação são coletados 450 ml (+- 50 ) de sangue total. Cada coleta é desdobrada em: 1 unidade de Concentrado de Hemácias (300 ml). 1 unidade de Concentrado de Plaquetas. 1 unidade de Plasma. 1 unidade crio precipitada. Assim são beneficiados, potencialmente, pelo menos quatro pacientes.

  40. Cuidados de Enfermagem Os sinais vitais devem ser verificados antes e ao término dos 15 minutos iniciais e depois periodicamente durante a transfusão. ( principalmente a temperatura) A observância criteriosa do paciente durante e após a transfusão é necessária. Os pacientes devem ser instruídos a chamar se qualquer sintoma ou sensação estranha ocorrer durante a transfusão.

  41. Cuidados de Enfermagem Quando houver suspeita de reação transfusional, as seguintes ações deverão ser desencadeadas junto ao leito do paciente: Interromper imediatamente a transfusão Conservar o acesso venoso Notificar o médico do paciente e o banco de sangue Verificar sinais vitais, anotando no prontuário Examinar todas as etiquetas, registros, conferindo novamente os dados do paciente com os dados da unidade de sangue ou componente em uso. Encaminhar a bolsa utilizada ao banco de sangue.

  42. Sistema linfático

  43. Sistema Linfático Sistema Linfático é um Sistema paralelo ao circulatório, constituído por uma vasta rede de vasos semelhantes às veias (vasos linfáticos), que se distribuem por todo o corpo e recolhem o líquido intersticial que não retornou aos capilares sangüíneos, filtrando-o e reconduzindo-o à circulação sangüínea. É constituído pela linfa, vasos e órgãos linfáticos.

  44. Sistema Linfático Sistema Linfático: Funções Drenar o excedente intersticial, Absorver moléculas de gordura, Absorver substâncias com alto peso molecular e Defesa do organismo Sistema Linfático Linfa: líquido que circula pelos vasos linfáticos. Sua composição é semelhante ao plasma sanguíneo, apesar de conter glóbulos brancos dos quais 99% são linfócitos. No sangue os linfócitos representam cerca de 50% do total de glóbulos brancos. A linfa, corresponde ao líquido intersticial que circula dentro dos linfáticos.

  45. Sistema Linfático Os capilares linfáticos estão presentes em quase todos os tecidos do corpo. Capilares mais finos vão se unindo em vasos linfáticos maiores, que terminam em dois grandes dutos principais: o ducto torácico (recebe a linfa procedente da parte inferior do corpo, do lado esquerdo da cabeça, do braço esquerdo e de partes do tórax) e o ducto linfático (recebe a linfa procedente do lado direito da cabeça, do braço direito e de parte do tórax), que desembocam em veias próximas ao coração.

  46. Sistema Linfático O Capilar Linfático tem a estrutura semelhante ao capilar venoso, mas se diferencia do mesmo por que sua parede apresenta maior permeabilidade o que permite drenar substâncias que não conseguem entrar no capilar venoso. Órgãos Linfóides:Órgãos linfáticos: amígdalas (tonsilas), baço, linfonodos (nódulos linfáticos), timo (tecido conjuntivo reticular linfóide: rico em linfócitos) e medula óssea São órgãos que de forma primária ou secundária participam da produção de linfócitos consequentemente do sistema de defesa do organismo