homil tica n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
HOMILÉTICA PowerPoint Presentation
Download Presentation
HOMILÉTICA

play fullscreen
1 / 25

HOMILÉTICA

673 Views Download Presentation
Download Presentation

HOMILÉTICA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. HOMILÉTICA • Considerações preliminares. • A importância da homilética. • Principais regras da homilética. • Exemplos de erros que os pregadores devem Evitar. • Vídeos sobre uma pregação eficaz. • Questionário. • Bibliografia.

  2. HOMILÉTICA [a arte de preparar e pregar sermões] • O termo “homilética” tem sua raízes etimológicas • em três palavras da cultura grega: • Homilos, que significa “multidão”, “turma”,” • assembléia do povo”(At. 18:17); • Homilia, que significa “associação”,”companhia” • ( Cor. 15:33); • Homileo, que significa “falar”, “conversar” • (Lc. 24:14;At. 20:11, 24:26).

  3. Relação entre Homilética e as outras disciplinas • A homilética pertence a teologia prática, comunicar o • evangelho à luz da pregação bíblica.As disciplinas que mais • se assemelham a ela são : • Hermenêutica – interpretar corretamente a palavra de • Deus à luz de seu contexto. • Exegese – expor as ideias bíblicas à luz da teologia bíblica . • A homilética depende da hermenêutica e da exegese.

  4. HomiléticaConsiderações preliminares • Definição: Homilética: Princípios e métodos de preparar e pregar sermões. • A origem da conversa: A conversa teve sua origem no convívio social iniciado no Édem por Adão e Eva. Eruditos acreditam que primeiro criaram palavras, depois frases e conseqüentemente a conversa.

  5. HomiléticaConsiderações preliminares • A origem do discurso: Com a multiplicação da humanidade, acredita-se que um dia, em um determinado momento alguém precisou conversar com várias pessoas ao mesmo tempo, surgindo com isso o discurso. • O aperfeiçoamento do discurso: Segundo alguns registros históricos, as 02 principais civilizações a se preocuparem com o estudo do ato de falar em público foram os Gregos e os Romanos.

  6. HomiléticaConsiderações preliminares • A retórica: Foi desenvolvida pelos Gregos devido o sistema político inventado pelos mesmos: “A democracia”, um sistema onde os cidadãos podiam participar diretamente nas deliberações sobre problemas urbanos comuns. Sendo assim o domínio na arte de discursar proporcionava ascensão, progresso, status, respeito e prosperidade. A retórica grega abrangia as esferas políticas e judiciais, nada havia na esfera religiosa. Entre aqueles que se destacaram no estudo e desenvolvimento da retórica grega podemos citar: Córax, Sócrates, Platão e Demóstenes.

  7. HomiléticaConsiderações preliminares • A oratória: Foi desenvolvida pelos Romanos a partir da retórica grega, devido a grande influência da cultura grega sobre esta civilização. Assim como a retórica Grega a oratória Romana não abrangia a esfera religiosa. Entre aqueles que se destacaram no estudo e desenvolvimento da oratória Romana podemos citar: Cícero e Quintiliano.

  8. HomiléticaConsiderações preliminares • A homilética: É a adoção de técnicas da retórica grega e da oratória romana na elaboração, pregação dos sermões. As religiões pagãs e o Judaísmo, por serem exclusivistas, quase não se interessaram em aprimorar a arte do discurso. O Cristianismo devido ao seu teor evangelístico universal foi a religião que mais adotou o discurso em sua liturgia. Na idade Média devido a expansão do Catolicismo Romano pelo mundo começou-se a desenvolver a homilética que em seguida foi aprimorada pelos reformadores.

  9. Desenvolvimento histórico da homilética • Período profético – palavra vinda diretamente • do Senhor ( anunciavam e ilustravam com suas • próprias vidas ) • Após o exílio – homilia primitiva – as escrituras • eram lidas em público e nas sinagogas. • 500 – 300 a.c., os gregos Córax, Sócrates, Platão e • Aritóteles – retórica – desenvolvida pelos romanos • (oratória). • - Jesus – simplicidade usava parábolas.

  10. HomiléticaA importância da homilética • Desenvolve a arte da expressão. • Desenvolve o raciocínio. • Contribui com a divulgação e assimilação do Evangelho. - Proporciona satisfação, admiração e simpatia aos ouvintes.

  11. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Inspiração • Inspiração. - Discernimento daquilo que Deus quer falar: • Através da revelação direta do Espírito Santo. • Através de um texto Bíblico. • Através de um acontecimento,uma notícia ou uma experiência. • Através do conhecimento da situação dos ouvintes. • Através de um tema pré- estabelecido.

  12. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Esboço / Conteúdo • Esboço. - Organização e desenvolvimento daquilo que foi inspirado: • Quanto ao conteúdo os esboços geralmente são organizados em mega-temas como: Vida cristã, batalha espiritual, evangelismo, milagres e maravilhas, etc... • Quanto a forma os esboços geralmente são formulados de modo: Temático, textual e expositivo.

  13. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Esboço / Forma . Esboços temáticos: Esboços centralizados em torno de um tema especifico, onde geralmente são utilizadas várias passagens que tratam do mesmo assunto. . Esboços textuais: Esboços centralizados em torno de um texto especifico, onde geralmente são extraídas de forma ordenada várias verdades do texto. . Esboços expositivos: Esboços centralizados em torno do propósito original do texto, onde é exigido um grande domínio da hermenêutica visando explicar o propósito principal do texto.

  14. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Esboço / Estrutura • Quanto a estrutura os esboços geralmente são estruturados dentro dos seguintes pilares: Título, texto, introdução, frase de transição, explanação e conclusão. . Título: É o nome dado ao sermão. Ele pode ser igual ou referente ao tema. Deve ser atraente e objetivo. . Texto: É a passagem bíblica que servirá com plataforma para a explanação do sermão. Todo sermão deve ter base e fundamentação Bíblica. . Introdução: É o momento em que preparamos a mente e os corações para receberam os princípios que serão revelados no sermão.

  15. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Esboço / Estrutura . Frase de transição: Uma palavra chave que estará presente no enunciado de cada tópico do sermão. Esta frase expressa a forma com que o preletor irá desenvolver seu raciocínio e tem um grande poder didático e pedagógico. . Explanação: É a maior parte do esboço, onde serão anotados os principais tópicos, sub-tópicos, comentários, exemplos e referencias. Levando sempre em consideração as regras hermenêuticas e dissertativas, conteúdo e forma do sermão. . Conclusão: É o momento de recapitularmos de forma sintetizada a idéia ou idéias centrais da mensagem de forma prática e objetiva.

  16. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Pregação / Espiritualidade • Pregação. - Exposição espiritual e retórica do esboço: • Quanto a espiritualidade, deve ser executada com: . Fé. Convicção do que esta sendo exposto. . Experiência. Praticar o que se prega. . Sensibilidade. Discernimento entre o que foi preparado e o que deve ser ministrado. . Amor. É o maior dom, tudo se resume no amor.

  17. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Pregação / Comportamento • Quanto ao comportamento, deve ser executada com: . Relevância. Escolha roupas e vocabulário relevantes aos seus ouvintes. . Modéstia. Evite roupas, acessórios e comportamento extravagantes. . Educação. Cuidado com palavras ou frases de baixo calão. . Boa verbalização. Boa leitura, dicção, entonação da voz, conter cacoetes, interação moderada, etc... . Boa postura. Movimentar-se com moderação, olhar para todos os ouvintes, conter cacoetes, interação moderada, etc...

  18. HomiléticaPrincipais regras da homilética / Pregação / Comportamento . Naturalidade. Transitar entre as anotações do esboço de forma imperceptível. . Boa administração do tempo. Manter uma distribuição nivelada quanto aos tópicos do esboço e o tempo concedido para pregação. . Equilíbrio entre a objetividade e a alegoria. Devemos utilizar comparações, frases e ilustrações com moderação.

  19. HomiléticaExemplos de erros que os pregadores devem evitar • Síndrome do papagaio: • - Mania de repetir “chavões” desprovidos de base • Bíblica: • Crente que tem promessa não morre! • . Geralmente as promessas são condicionais: Deuteronômio • 28:1-2, Lucas 24:49, Atos 2. • Só morremos quando chegar a hora! • . Atitudes imprudentes podem abreviar nosso período de vida • neste mundo. Eclesiastes 7:17, Provérbios 10:27, Mateus 4:7, • Thiago 4:13-15.

  20. HomiléticaExemplos de erros que os pregadores devem evitar • Crê no Senhor Jesus e será salvo, tu e a tua casa! • . Nem todas as promessas são doutrinas: Atos 16:31, 1 • Coríntios 7:12-16. • Como diz a Bíblia: Não cai uma folha de uma árvore, se não • for vontade de Deus! • . Nem todos “chavões” evangélicos, são versículos bíblicos.

  21. Homilética Exemplos de erros que os pregadores devem evitar • Síndrome da maritaca: • - Mania de pronunciar “chavões” de forma estridente, • visando manipular os ouvintes: • Quantos vieram buscar uma beençãoooo? • . Com raras exceções o objetivo maior do culto é a adoração a • Deus. • Tem fogo aí irmão! • . O culto cristão não deve ser transformado em uma espécie de • “show de talentos”. • Crente que não faz barulho esta com defeito! • . Segundo Paulo aos Coríntios, muito barulho num culto publico é • sinal de imaturidade.

  22. QuestionárioAssinale com "X" as alternativas corretas. 1. Umas das definições da homilética: a) [ ] Princípios e métodos de dança. b) [ ] Princípios e métodos de canto. c) [ ] Princípios e métodos de interpretação. d) [ ] Princípios e métodos de pregação. 2. Nasceu quando os pregadores cristãos começaram a aprimorar suas mensagens com as técnicas da retórica e da oratória: a) [ ] O discurso. b) [ ] A homilética. c) [ ] A hermenêutica. 3. As 02 civilizações que mais desenvolveram técnicas de discurso foram: a) [ ] Hebreus e os Persas. b) [ ] Egípcios e Babilônicos. c) [ ] Gregos e Romanos.

  23. QuestionárioAssinale com "X" as alternativas corretas. 4. Sermão onde são extraídos princípios de uma porção da Bíblia: a) [ ] Expositivo. b) [ ] Textual. d) [ ] Temático. 5. O maior elemento estrutural do sermão: a) [ ] Introdução. b) [ ] Texto. c) [ ] Explanação. 6. Não é uma das principais regras da homilética: a) [ ] Inspiração. b) [ ] Esboço. c) [ ] Abrir a Bíblia aleatoriamente e pregar. d) [ ] Pregação.

  24. QuestionárioMarque "C" para Certo e "E" para errado. 7.[ ] A homilética ajuda o pregador, proporcionando a satisfação, admiração e simpatia dos ouvintes. 8. [ ] A homilética tem sua raiz no “discurso”, que surgiu após a criação das palavras, que se transformaram em frases, proporcionando o dialogo e o discurso. 9.[ ] A retórica são técnicas de discurso Romanas. 10.[ ] A oratória são técnicas de discurso Gregas. 11. [ ] A “síndrome do papagaio” é a mania de repetir “chavões” desprovidos de base Bíblica. 12.[ ] A “síndrome da maritaca” é a mania de pronunciar “chavões” de forma estridente, visando manipular os ouvintes.

  25. BIBLIOGRAFIA • Bíblias de estudo: Pentecostal, Genebra e Aplic. pessoal. • Manual do curso básico de teologia do IBADEP. • Ouvindo Deus na tormenta, Max Lucado, CPAD. • A Bíblia é a maior, Laércio Pereira, Mepan. • Mais erros que os pregadores devem evitar, Ciro Sanches • Zibordi, CPAD. • Diversos sites da Internet.