Apresentação da disciplina e introdução - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Apresentação da disciplina e introdução PowerPoint Presentation
Download Presentation
Apresentação da disciplina e introdução

play fullscreen
1 / 17
Apresentação da disciplina e introdução
150 Views
Download Presentation
indiya
Download Presentation

Apresentação da disciplina e introdução

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. ProblemasMetodológicosemCiênciasSociais Apresentação da disciplina e introdução

  2. Objetivo da Disciplina - PMCS • A disciplina tem como objetivos: • Aprender a ler, de maneira crítica, pesquisas acadêmicas; • Aprender o básico sobre desenho de pesquisa (objeto, argumentos, hipóteses); • Entrar em contato com tópicos mais avançados de metodologia não-quantitativa (mecanismos causais, estudos de caso, análise histórica, técnicas de entrevista, construção de conceitos e tipologias etc).

  3. Tópicos do Programa da Disciplina - PMCS • Importância e o uso das pesquisas em ciências sociais • Pesquisa em Ciências Sociais: representações e conceitos • Desenho de pesquisas: construção de objeto e hipóteses e método • Métodos Quantitativos e Métodos Qualitativos • Técnicas de coleta de dados • Fontes primárias • observação, • entrevistas, • etnografia, etc • Instrumentos de pesquisa • Fontes secundárias • Construção de Amostras • Análise dos dados • Mecanismos Causais • Tipologias • Uso das pesquisas • Dilemas éticos dos pesquisadores • Como informar políticas públicas a partir das pesquisas • Disseminação e acesso às pesquisas

  4. Metodologia Didática e Avaliação • Didática • Aulas expositivas sobre os textos indicados para leitura; • Exibição de filmes; • Trabalhos em grupo – Avaliação do BCH; • O material da disciplina estará disponível em: gabrielaslotta.wordpress.com (Disciplinas – PMCS 2013) • Livro básico: Howard Becker – Segredos e Truques da Pesquisa, Editora Zahar, 2007. • Avaliação • 40% atividades em sala de aula • 30% atividade de avaliação do BCH • 30% atividade final de avaliação

  5. Avaliação do BCH • Grupos de 5 a 6 pessoas • Várias etapas ao longo do quadrimestre (presenciais ou à distância) • Coordenação do BCH nos subsidiam e nós damos feedback: • Discussão sobre como uma demanda se transforma num projeto; • Discussão sobre como um projeto se desdobra em instrumentos; • Opinar e discutir o conteúdo dos instrumentos; • Aplicar alguns dos instrumentos (entrevistas/formulários com alunos, professores, técnicos, coordenadores); • Participar do processo de sistematização das informações; • Participar do processo de análise e derivação de recomendações desde as informações obtidas.

  6. Pesquisa de Temas de Interesse • Você está fazendo alguma pesquisa? • Se sim, de que tipo (PDPD, IC)? • Apresente o tema de forma resumida • Qual seu tema de pesquisa de interesse para discussão em sala?

  7. Pesquisa de Temas de Interesse • Quais os pressupostos para realização dessa pesquisa? • De onde eles vem? • Quais as bases para construção dessas perguntas? • Poderiam ser feitas outras perguntas? • Haveria outras formas de levantar essas informações? Quais as vantagens e desvantagens delas? • Como esses dados deverão ser tabulados? • Como eles podem ser analisados?

  8. Usos e Importância das ciências (sociais) • O que é fazer pesquisa? • Por que fazemos pesquisa? • Há diferença entre fazer pesquisa em ciências sociais e pesquisas naturais? • Há neutralidade em fazer pesquisa?

  9. Uso das Ciências Sociais • Forma de produzir conhecimento sistemático – precisão e objetividade • Fundamentado num método que controla e legitima o conhecimento • Construído metodicamente (contraposição ao senso comum) • Baseado em hipóteses e teorias • Princípios: • Busca a causalidades (contesta o senso comum) • Busca enunciados • Enunciados são postos a testes (Popper) • Métodos, premissas e conclusões são provisórios 1. O que é fazer ciência?

  10. Uso das Ciências Sociais • Melhoria dos padrões de vida • Conhecimento = Poder • Para aprendermos outras “histórias” • Cientistas sociais transformam o mundo com os conceitos que constroem (GIDDENS, 2001) • Conhecimento e desenvolvimento/acesso (em 2003 95% do conhecimento é produzido em países com 20% da população - TILLY, 2005) Computadores e tecnologia 2. Por que fazemos ciência?

  11. Uso das Ciências Sociais • “Contestar” o senso comum: “Não há razão para que alguém queira ter um computador em casa“. Ken Olson, presidente e fundador da Digital EquipmentCorp (DEC), fabricante de computadores mainframe, discutindo os computadores pessoais, em 1977.“A transmissão de documentos por cabos de telefone é possível, em princípio, mas o aparato requerido é tão caro que nunca irá se tornar uma proposta prática“. Dennis Gabor, físico britânico e autor de Inventingthe Future, em 1962. “O telefone tem muitas desvantagens para ser considerado, seriamente, um meio de comunicação. O aparelho não tem valor para nós“. Memorando da Western Union, entre 1876 e 1878.“Tudo que pode ser inventado já foi inventado“. Charles H. Duell, oficial do escritório de patentes dos Estados Unidos, em 1899 2. Por que fazemos ciência?

  12. 3. Existe diferença entre fazer ciências naturais e ciências sociais?

  13. Fazer pesquisa em ciências sociais sempre envolve observar situações diferentes?

  14. Fazer pesquisa em ciências sociais sempre envolve pesquisar pessoas?

  15. Introdução às Ciências Sociais • Peculiaridades científicas • Relação de causalidade nem sempre é evidente • Conceituação imprecisa e sujeita a contestação (ex.: democracia) • Maior nível de incerteza, dificuldade de generalização • Deve ser contextualizada • Dificuldades no papel de pesquisador • Dificuldades práticas dos métodos • “Objeto” precisa ser conquistado • Fenômenos sociais difíceis de serem medidos • Os dados são construídos – bases teóricas e hipóteses são centrais 3. Existe diferença entre fazer ciências naturais e ciências sociais?

  16. Uso das Ciências Sociais • O observador é parte do objeto ou fenômeno a ser analisado ou interfere nele em sua pesquisa • Muitas vezes o observador tem interesses (pessoais, políticos, econômicos) no resultado da pesquisa • O senso comum pode influenciar a observação • Aspectos ideológicos x técnicos x científicos • Influência de crenças e valores • Seleção do objeto ou fenômeno com viés • Questões metodológicas 4. O Conhecimento científico é neutro?