Download
introdu o ao sistema nervoso aut nomo n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
INTRODUÇÃO AO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO PowerPoint Presentation
Download Presentation
INTRODUÇÃO AO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO

INTRODUÇÃO AO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO

357 Views Download Presentation
Download Presentation

INTRODUÇÃO AO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. INTRODUÇÃO AO SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO Disciplina de Farmacologia Básica Curso de Medicina Veterinária Prof. Ms.Marcos Pires

  2. Sistema Nervoso Sistema Nervoso Periférico Sistema Nervoso Central Divisão Aferente Divisão Eferente Sistema Nervoso Autônomo Sistema Nervoso Somático Parassimpático Simpático Entérico

  3. Introdução ao SNA • Atua para manter as condições homeostáticas durante períodos de reduzida atividade física e emocional e, igualmente importante, para auxiliar as reações internas a circunstâncias importantes • Em relação a atividade farmacológica – fluxo eferente

  4. Introdução ao SNA • Complexo periférico de nervos, plexos e gânglios organizados para modular a atividade involuntária das glândulas secretoras, músculos lisos e órgãos viscerais. • HOMEOSTASIA

  5. Introdução ao SNA • SNP • Sinônimos (visceral, involuntário ou vegetativo) • Parâmetros fisiológicos (função visceral) • Alterações bruscas do meio x homeostase

  6. Introdução ao SNA • Subdivisão: I-sistema nervoso simpático II- sistema nervoso parassimpático • neurônio pré-ganglionar • Gânglio autonômico • neurônio pós-ganglionar

  7. Introdução ao SNA • Subdivisão: • Localização: • corpo celular → sinapse (junção) axônio-cc gânlio autônomico → órgão efetor (sinapse neuroefetora)

  8. Introdução ao SNA

  9. Introdução ao SNA

  10. Introdução ao SNA I-Sistema Nervoso Simpático (eferente toraco lombar) • Características e localização das fibras e gânglios • Descarga simpática → resposta diversos órgãos • Medula supra-renal (semelhante ao gânglio) - células cromafins

  11. Introdução ao SNA II-Sistema Nervoso Parassimpático (eferente crânio-sacral) • Origem: bulbo, mesencéfalo e medula espinhal sacral • Nervo vago (mais importante tronco parassimpático)→ desde a região faringeana caudal até porção cranial intestino grosso. • Características e localização das fibras e gânglios (próximo às estruturas inervadas) • Descarga discreta, pode afetar sistemas efetores individualmente.

  12. Introdução ao SNA Função Autonômica • Inter-relações: - praticamente todos os órgãos apresentam as duas inervações - ↓ parassimpática (hipoativa) - predomínio simpático Ex. TGI (secreção e tônus) - modulação da atividade (homeostase) X controle absoluto

  13. Introdução ao SNA • Resposta Visceral ao Estímulo Autonômico a) Resposta simpática • Estímulo → Descarga simpato-adrenal → resposta de luta ou fuga • Efeitos: (generalizados) b) Resposta parassimpática (alterações orgânicas localizadas) • Estímulo → Produzir e manter energia → resposta viva e deixe viver

  14. Introdução ao SNA Transmissão Neuro-humoral - nervos colinérgicos X simpático e parassimpático -nervos adrenérgicos • Loewi & cols (1921-1926) neurotransmissão química (estimulação n. vago) → perfusato

  15. Introdução ao SNA Transmissão Neuro-humoral • Eventos Fisiológicos 1- Condução axonal 2- Liberação do neurotransmissor 3- Eventos no receptor 4- Catabolismo

  16. Introdução ao SNA 1. Condução Axonal • Passagem do impulso (potencial de ação) - refratariedade

  17. Introdução ao SNA 2. Liberação do neurotransmissor • Chegada ao terminal nervoso

  18. Introdução ao SNA 3. Eventos no receptor • dois tipos: • excitatórios (aumenta permeabilidade aos íons) • Potencial Pós-sináptico excitatório (PPE) • inibitórios (aumento seletivo íons pequenos K+ e Cl-) - Potencial Pós-sináptico inibitório (PPI) → eleva o limiar aos estímulos

  19. Introdução ao SNA 4. Catabolismo dos neurotransmissores • metabolização, recaptação e difusão

  20. Introdução ao SNA • Neurotransmissão Colinérgica • ACh → sinapses neuroefetoras parassimpáticas, gânglios autonômicos, medula da supra-renal, nas sinapses mioneurais somáticas e certas regiões do SNC. - Sintetizada no interior dos nervos colinérgicos - Armazenada no interior das vesículas axonais - Liberação a partir da chegada do potencial de ação (influxo de Ca++) -Metabolizada (nervos colinérgicos, gânglios autonômicos, sinapses neuroefetoras e neuromusculares)

  21. Introdução ao SNA • Receptores colinérgicos • Nicotínicos - gânglios autonômicos, nas células cromafins e junção neuromuscular (receptores colinérgicos nicotínicos). • Muscarínicos - sinapses neuroefetoras colinérgicas (miocárdio, músculo liso e gls. secretoras) - resposta nicotínica → reação excitatória - resposta muscarínica → reação excitatória (TGI) • → reação inibitória (miocárdio)

  22. Introdução ao SNA • Locais receptores autonômicos nos terminais nervosos • Substâncias Neuro-humorais • Histamina - SNC (hipotálamo) e periférico • Serotonina - termorregulação, ciclo do sono, influências extrapiramidais sobre controle motor musculatura esquelética. • GABA (inibitório) SNC.

  23. Introdução ao SNA • Transmissão Neuro-humoral Adrenérgica - Catecolaminas endógenas Síntese (fenilalanina → Tirosina → Dopa → Dopamina → Noradrenalina → Adrenalina) - Duração de ação: 1. recaptação ativa para o interior do axônio (bomba de recaptação da amina) 2. difusão a partir da fenda sináptica 3. inativação metabólica por enzima extra neuronal (catecol-o-metiltransferase COMT)

  24. Introdução ao SNA • Receptores Adrenérgicos - Ahlquist (1948) α e β • Ativação α-receptores = resposta excitatória • Ativação β-receptores = resposta inibitória • Exceção coração (β excitatória e intestino α relaxamento) • Receptores α - adrenalina > noradrenalina > isoproterenol • Receptores β - isoproterenol > adrenalina > noradrenalina • Β1 - localizados no coração → resposta excitatória • β2 - músculo liso vascular e bronquiolar → resposta inibitória (relaxamento)