Download
farmacologia do sistema nervoso central n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL PowerPoint Presentation
Download Presentation
FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL

2702 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL Farmacologia Prof. Carlos Eurico da Luz Pereira

  2. INTRODUÇÃO • Fármacos que atual no sistema nervoso central incluem: • Anestésicos Gerais; • Ansiolíticos; • Analgésicos; • Antipsicóticos; • Antidepressivos; • Anticonvulsivantes.

  3. O SISTEMA NERVOSO CENTRAL FUNCIONA COMO PROCESSADOR DE INFORMAÇÕES, MANTENDO A HEMOSTASIA DE VÁRIOS SISTEMAS, REGULANDO FUNÇÕES VEGETATIVAS E POSSIBILITANDO RACIOCÍNIO LÓGICO, JULGAMENTO E COMUNICAÇÃO SIMBÓLICA. RECEBE SINAIS DETECTADOS POR RECEPTORES PERIFÉRICOS E CONDUZIDOS POR VIAS AFERENTES SENSITIVAS. ANALISA, FILTRA, ARMAZENA E REELABORA ESSAS INFORMAÇÕES, PROGRAMANDO REAÇÕES MOTORAS, COMUNICADAS POR NERVOS EFERENTES A ÓRGÃOS EXECUTORES.

  4. O SISTEMA NERVOSO Sistema Nervoso Central Sistema Nervoso Periférico Nervos cranianos Encéfalo Medula Espinhal Nervos espinhais

  5. ENCÉFALO TELENCÉFALO CÉREBRO DIENCÉFALO CEREBELO TRONCO ENCEFÁLICO MESENCÉFALO PONTE BULBO

  6. TELENCÉFALO CÉREBRO DIENCÉFALO MESENCÉFALO PONTE TRONCO BULBO CEREBELO

  7. Mais de 100 bilhões (1011) de neurônios (células nervosas), estão integrados no tecido estrutural e funcional que é o encéfalo. O NEURÔNO É A UNIDADE BÁSICA DO SISTEMA NERVOSO DESTINA-SE A: Reagir aos estímulos Transmitir a excitação resultante com rapidez para outras partes da célula e para outros neurônios, céls musculares e glandulares.

  8. NEURÔNIO • CORPO • DENDRITOS • AXÔNIO

  9. NEURÔNIO DENDRITOS CORPO AXÔNIO

  10. NEURÔNIO TRANSMISSÃO NEURÔNIO SINAPSE

  11. SINAPSE É o local de contato de um neurônio com o outro.

  12. P O L A R I Z A D A SENTIDO DO INFLUXO NERVOSO

  13. No interior do neurônio gera-se um impulso elétrico, fruto de trocas iônicas transmembranas. O impulso nervoso é, na verdade, uma onda de despolarização propagada, causada pela passagem rápida de sódio do exterior para o interior da célula, com conseqüente diminuição da eletronegatividade da face interna da membrana. Descarga nervosa = potencial de ação, que se propaga até terminais nervosos.

  14. Chegando aos botões terminais, os impulsos nervosos promovem a liberação de substâncias químicas especiais denominadas NEUROTRANSMISSORES. Neurotransmissores são sintetizados em várias partes da célula nervosa e armazenam-se em vesículas localizadas nos terminais sinápticos, de onde são liberados mediante impulso adequado. Na fenda, ligam-se a receptores pré e pós sinápticos.

  15. Combinação com receptores pós-sinápticos resulta em excitação ou inibição neuronais. Interação com receptores pré-sinápticos causa alterações em velocidade de síntese e liberação do próprio neurotransmissor em seu terminal nervoso = auto-regulação.

  16. NEUROTRANSMISSORES DO SNC: • Colinérgicos : Acetilcolina • Monoaminas: Epinefrina, dopamina, histamina, norepinefrina e serotonina. • Aminoácidos: ác.glutâmico, ác. Aspártico, GABA, glicina e taurina. • Neuropeptídeos: Angiotensina II, glucagônio, neurotensina, opióides endógenos, substância P, ACTH, MSH,VIP. • Purinas: ATP, adenosina • Substâncias gasosas: NO, CO • Outras: Insulina, benzodiazepínicos.

  17. Existem fibras nervosas em que se verifica predomínio de determinado neurotransmissor e que, por isso, constituem alguns sistemas específicos do SNC: • Noradrenérgico – norepinefrina • Colinérgico – acetilcolina • Dopaminérgico – dopamina • Serotoninérgico – serotonina • Peptídeos opióides endógenos: encefalinas, endorfinas e dinorfinas.

  18. Drogas de ação central ou psicotrópicas podem influenciar de modo seletivo ou generalizado determinadas funções cerebrais. • Estimulam funções: Estimulantes ou excitadores cerebrais. • Inibem funções: depressores cerebrais. • Excitatório: aumento de atividade de sistemas excitatórios ou inibição de sistemas inibitórios. • Depressores: estimulam sistemas inibitórios.

  19. NEUROFÁRMACOS interferem no processo de síntese, armazenamento, recaptação intraneuronal e intravesicular, biotransformação e liberação de neurotransmissores. Podem também atuar em sítios receptores, acoplando-se e mimetizando a ação do neurotransmissor (agonistas) ou bloqueando-os (antagonistas).

  20. Classificação das drogas psicotrópicas: • Ansiolíticos e sedativos: • Sinônimos: hipnóticos, sedativos, tranquilizantes menores. • Definição: drogas que causam sono e reduzem a ansiedade. • Ex: barbitúricos, benzodiazepínicos e etanol. • Drogas antipsicóticas: • Sinônimos: neurolépticos, tranquilizantes maiores, antiesquizofrênicos. • Definição: drogas eficazes no alívio dos sintomas da esquizofrenia. • Exemplos:clozapina, clorpromazina, haloperidol.

  21. Agentes antidepressivos: • Sinônimos: timolépticos • Definição: que aliviam os sintomas depressivos. • Ex: inib. da monoamina oxidase e antidep. tricíclicos. • Estimulantes psicomotores: • Sinônimo: psicoestimulantes • Definição: drogas que produzem vigília e euforia • Ex: anfetamina, cocaína e cafeína. • Drogas psicomiméticas: • Sinônimos: alucinógenos, drogas psicodislépticas. • Definição: drogas que causam distúrbios da percepção (aluc. Visuais) e do comportamento. • Ex: dimetilamida do ác lisérgico (LSD), mescalina e fenciclidina.

  22. Potencializadores da cognição: • Sinônimos: drogas nootrópicas • Definição: drogas que melhoram a memória e o desempenho cognitivo • Ex: tacrina, donepezil, piracetam.