Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
INTRODUÇÃO À PSICOPEDAGOGIA Profa. Ms. Erika Bataglia PowerPoint Presentation
Download Presentation
INTRODUÇÃO À PSICOPEDAGOGIA Profa. Ms. Erika Bataglia

INTRODUÇÃO À PSICOPEDAGOGIA Profa. Ms. Erika Bataglia

521 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

INTRODUÇÃO À PSICOPEDAGOGIA Profa. Ms. Erika Bataglia

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. INTRODUÇÃO À PSICOPEDAGOGIA Profa. Ms. Erika Bataglia

  2. “Todo pensamento, todo comportamento humano, remete-nos à sua estruturação inconsciente, como produção inteligente e, simultaneamente, como produção simbólica” (Sara Paín, 1990)

  3. “ A Psicopedagogia é uma (nova) área de atuação profissional que tem, ou melhor, que busca uma identidade e que requer uma formação de nível interdisciplinar” (Lino de Macedo, 1992)

  4. Psicopedagogia “Área que estuda e lida com o processo de aprendizagem e suas dificuldades e que, numa ação profissional, deve englobar vários campos do conhecimento, integrando-os e sistematizando-os” ( Scoz, 1992)

  5. Posiciona-se para o compreender os processos do desenvolvimento e das aprendizagens humanas, recorrendo a várias áreas e estratégias pedagógicas.

  6. O Psicopedagogo É um pesquisador permanente, um sujeito que, a cada movimento, ação e conduta enquanto profissional, busca alternativas para os dilemas, tensões,limites que lhe surgem, vislumbrando sempre novas possibilidades.

  7. INTERESSE DA PSICOPEDAGOGIA Compreender como ocorreM os processos de aprendizagem e entender as possíveis dificuldades situadas neste movimento. Para tal, faz uso da integração e síntese de vários campos do conhecimento,tais como a Psicologia, a Psicanálise, a Filosofia, a Sociologia, a Pedagogia, a Neurologia, a Neuropedagogia, entre outros.

  8. Todas as nossas ações e produções, por serem humanas, estão sempre em processo de permanente abertura, colocadas num prisma próprio para novas interpretações e busca de significados e sentidos, situadas num movimento incessante de desconstrução e de re-construção.

  9. TRAÇOS HISTÓRICOS DA PSICOPEDAGOGIA • O interesse pelos problemas de aprendizagem pode ser verificado na Europa, séc. XIX. • O enfoque orgânico na definição dos problemas de aprendizagem. • Na literatura francesa trabalhos influenciam as ideias sobre a Psicopedagogia na Argentina, que por sua vez influencia a práxis no Brasil.

  10. TRAÇOS HISTÓRICOS • 1946: primeiros Centros Psicopedagógicos – buscavam unir conhecimentos da Psicologia, Psicanálise e Pedagogia para tratar comportamentos socialmente inadequados, de crianças; • 1948: MauriceDebesse define o termo Pedagogia Curativa como terapêutica para atender crianças e adolescentes desadaptados que, embora inteligentes tinham maus resultados escolares. • 1970: decide-se pelo uso do termo Pedagogia Terapêutica.

  11. Maurice Debesse – Psicólogo francês, nascido em 1903 e falecido em 1998, doutorou-se em Letras tendo ocupado o cargo de professor de Psicopedagogia na Faculdade de Letras de Estrasburgo e, mais tarde, na Faculdade de Letras e de Ciências Humanas de Paris. Dedicou o seu trabalho a investigar a adolescência, tendo escrito vários livros sobre este estádio etário: Commentétudierlesadolescents, L'Adolescence e La Psychologie de l'Enfant, de lanaissance à l'adolescence. Interessou-se particularmente sobre o comportamento revolucionário dos adolescentes que analisa na sua obra  La crise d'originalité juvenil.

  12. TRAÇOS HISTÓRICOS • Em 1980 o termo Psicopedagogia já é amplamente usado, definido como “ uma área que estuda e lida com o processo de aprendizagem e suas dificuldades e que, numa ação profissional, deve englobar vários campos do conhecimento, integrando-os e sistematizando-os”. (Beatriz Scoz)

  13. TRAÇOS HISTÓRICOS • A Universidade de El Salvador foi a primeira a criar uma Faculdade de Psicopedagogia, passou por três momentos: • Primeiro Momento: (1956,58-1961) • Os planos de estudo enfatizavam em sua formação as áreas de filosofia e psicologia, incluindo fundamentos de biologia e uma área específica que era a Psicopedagogia. Não se inclui pedagogia-didática, pois o ingresso era determinado por uma especialização prévia: título de docente - ter feito a Escola Normal.

  14. TRAÇOS HISTÓRICOS • A dinâmica histórico-social deste período determina a necessidade de um profissional que responda aos problemas que enfrenta a pedagogia: crises na escola, métodos inadequados, aumento de matrículas, evasão escolar, repetência e sérias dificuldades de aprendizagem sistemática. • A Psicopedagogia inscreve no âmbito pedagógico ante a necessidade de orientar o processo educativo, oferecendo um conhecimento mais profundo dos processos de desenvolvimento, maturidade e aprendizagem humana.

  15. TRAÇOS HISTÓRICOS • 2º Momento (1963,64 e 1969) • Evidencia-se a influência de Psicologia experimental na formação psicopedagógica; • Capacitação do Psicopedagogo na medição das funções cognitivas e afetivas; • Alteração curricular: inclusão de matérias básicas que exigem o acréscimo de um ano na formação para obtenção do título de Psicopedagogo; de 03 anos passa para 04 anos.

  16. TRAÇOS HISTÓRICOS • Em 1969 extingue-se o curso normal. Alunos secundaristas podiam ingressar na Faculdade de Psicopedagogia com pouco ou nenhum conhecimento de pedagogia e didática; • Isso leva a reformulação do currículo.

  17. TRAÇOS HISTÓRICOS • 3° Momento (1978) • Criação da licenciatura em Psicopedagogia com carreira de graduação, com a duração de 05 anos; • São incluídas disciplinas Clínica Psicopedagógica I e II; • Valorização do Psicopedagogia como terapeuta; • Profissão é resultante da dinâmica histórico-social: situações novas criam novos problemas e novas necessidades.

  18. TRAÇOS HISTÓRICOS Perspectiva Histórico-Social – Argentina: • A graduação em Psicopedagogia surgiu há mais de 35 anos na Argentina; • Iniciou fazendo a Reeducação com o objetivo de resolver os fracassos escolares; • Trabalhava as funções egóicas. *(funções egóicas são fundamentais para o bom desenvolvimento da personalidade. São elas: atenção, memória, controle voluntário das ações, consciência, ...);

  19. TRAÇOS HISTÓRICOS • Psicopedagogia cobre espaços na educação e na saúde; • Em 1970 cria-se em Buenos Aires Centros de saúde Mental onde atua equipes de Pp que fazem diagnósticos e tratamentos; • Esses profissionais observaram que após um ano de tratamento, tempo do retorno para controle, os problemas de aprendizagem estavam resolvidos, porém eram substituídos por graves problemas de personalidade: fobias, traços psicóticos, etc.

  20. TRAÇOS HISTÓRICOS • Tinham afogado o último grito desse paciente, deslocando o sintoma. • Iniciam a inclusão no trabalho do Psicopedagogo o olhar e a escuta clínica da psicanálise.

  21. TRAÇOS HISTÓRICOS NO BRASIL • Problemas de aprendizagem, inicialmente, diagnosticados e tratados por médicos – origem orgânica; • Final da década de 70 a Psicopedagogia chega ao sul do Brasil; • A PUC-SP oferecia cursos de extensão com enfoque Psicopedagógico, com temas relativos às solicitações das escolas, como:

  22. TRAÇOS HISTÓRICOS • A criança numa classe comum; • Dificuldades escolares; • Pedagogia terapêutica; • Problemas de aprendizagem escolar; • Em 1979 surgem os primeiros cursos de especialização no SEDES*; • Esses cursos voltavam-se para atuação clínica; Variavam a duração entre 30 a 180 horas; *O Instituto Sedes Sapientiae é uma instituição que em seus mais de 30 anos de existência, em SP, tem construído um trabalho sólido nas áreas da saúde mental, educação e filosofia caracterizando-se pelo compromisso em analisar e responder as exigências do contexto social para a construção de uma sociedade baseada nos princípios da solidariedade e da justiça social.

  23. TRAÇOS HISTÓRICOS • Posteriormente as escolas buscam essa formação, muda-se o enfoque inicial; • Em 1980 surge a ABPp, uma associação sem fins lucrativos – em São Paulo – a partir do trabalho de um grupo de psicopedagogos e consequentemente da necessidade de dar identidade à Psicopedagogia no Brasil; • Estudos em nível de especialização. Cursos abertos a pedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos e outros profissionais de áreas afins;

  24. TRAÇOS HISTÓRICOS • O tratamento dado aos problemas de aprendizagem varia conforme a proposta do curso; • Existem instrumentos para o diagnóstico, usados na Argentina, os quais no Brasil são exclusivamente de uso do psicólogo; • Esses instrumentos têm como objetivo verificar as hipóteses levantadas na análise do material escolar, das entrevistas , etc.

  25. TRAÇOS HISTÓRICOS • Um dos grandes projeto da ABPp é o da Regulamentação da profissão de Psicopedagogia. Projeto da autoria do Dep. Barbosa Neto, que encontra-se tramitando na Comissão da Justiça, agora com o apoio de vários parlamentares.

  26. RESGATE HISTÓRICO • O termo Psicopedagogia curativa foi adotado por Janine Mery para caracterizar a ação terapêutica dos aspectos Pedagógicos e Psicológicos no tratamento de crianças com fracasso escolar; • O séc. XIX marcou o interesse de vários estudiosos em compreender e atender os portadores de deficiências sensoriais, debilidade mental e outros problemas relacionados à aprendizagem. Os pioneiros no tratamento das dificuldades de aprendizagem.

  27. RESGATE HISTÓRICO • Itard: estudos do retardo mental; • Pestalozzi:Métodos do estudo das percepções; • Pereire: Educação dos sentidos, • Seguin: Fundou na França a primeira escola de reedução – Método Fisiológico da Educação; • Em 1898 Claparède – professor e Francois Neville –neurologista, introduziu nas escolas públicas francesas as “classes especiais” – Educação de crianças com retardo mental. • 1904 a 1908 iniciam-se as primeiras consultas médico-pedagógica para o encaminhamento às classes especiais.

  28. Maria Montessori- psiquiatra italiana criou um método de aprendizagem específico para crianças retardadas.Método sensorial, hoje amplamente utilizado para alfabetização de todas as crianças. • Decroly- criou os centros de interesses para estimular as situações de aprendizagem na criança com problemas mentais. • Em 1946 foram fundados os primeiros Centros Psicopedagógicos, por Boutonier e Mauco na França.

  29. TRÊS CONOTAÇÕES • Prática clínica: consultório individual-grupal –familiar,em instituições educativas e sanitárias; • Construção teórica: permeada pela prática de forma que, a partir desta, a teoria psicopedagógica possa ser tecida; • Tratamento psicopedagógico – didático: se constitui num espaço para a construção do olhar e da escuta clínica – a análise do próprio aprender –que configuram a atitude psicopedagógica.

  30. PSICOPEDAGOGIA • O  termo Psicopedagogia distingue-se em três conotações: • a-Como uma prática; • b-Um campo de investigação do ato de aprender e; • c-como um saber científico • A psicopedagogia não é sinônimo de psicologia Escolar. É uma área mais recente, resultante da articulação de conhecimentos dessa e de outras disciplinas, apontando com novos caminhos para a solução de problemas antigos.

  31. ETIOLOGIA

  32. PSICOPEDAGOGO CLÍNICO • Reelabora o processo de aprendizagem • Propicia a construção do saber • Devolve ao sujeito o prazer de aprender • Pp –testemunha- “insigth” • Resgate da autonomia • Cardápio individual- flexível • Há folga para trabalhar o desejo • Espaço para rastrear a meta • Objetivo – dirigido para a história do sujeito – rede situações familiares • Uso da metodologia clínica • Está dirigida à história do sujeito porque a demanda é a cura.

  33. PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL • Administra ansiedades • Cria clima harmonioso nos grupos de trabalho • Colabora com a construção do conhecimento • Identifica obstáculos no processo de aprendizagem e desenvolvimento • Implanta recursos preventivos,conscientizando os conflitos de fragmentação do conteúdo e da não formação de grupos • Se dirige ao aluno como aprendente e ao professor como ensinante • Clareia papéis e tarefas no grupo

  34. Uso da metodologia fenomenológica: observa-descreve-interpreta • Sintoma conflito: -desencontros e perda do aluno • Apropriar-se do conhecimento – escola Possibilita elaboração do conhecimento de si mesmo e do outro em clima de autonomia (capacidade para tomar iniciativa e obter progressiva independência) e cooperação (capacidade de de adotar estratégias de interação eficazes e solidárias com parcerias em seu ambiente).

  35. “O objeto da psicopedagogia não é então, no meu ponto de vista, o conteúdo ensinado ou o conteúdo apreendido ou não-aprendido. São os posicionamento ensinantes e aprendentes, e a intersecção problemática (nunca harmônica) mas necessária, entre o conhecer e o saber.”(Fernàndez, 2001, p.55)

  36. APRENDIZAGEM

  37. A APENDIZAGEMVisca APRENDIZAGEM

  38. Aprendizagem é o resultado de uma construção(princípio construtivista) dada em virtude de uma interação(princípio interacionista) que coloco em jogo a pessoa total (princípio estruturalista). (Visca, 1987) • POSTULADOS: • Esquema evolutivo - 4 grandes níveis: • Protoaprendizagem, • Dêutero-aprendizagem, • Aprendizagem assistemática, • Aprendizagem sistemática

  39. 2. Se dá em função de aspectos energéticos e estruturais e pela tematização dos esquemas de ação. 3. O processo geral e as aprendizagens particulares respondem a princípios estruturais, construtivistas e interacionistas

  40. PROTOAPENDIZAGEM • Proto-aprendizagem- (primeiro nível de aprendizagem) importante para o posterior desenvolvimento, • o aprendiz configura uma pré-condição para o nível seguinte. • Este nível de aprendizagem é construído em virtude da interação entre a organização biológica do bebê e a mãe ou quem cumpre este papel, vale dizer, o agente maternante • Passa para o próximo nível quando termina a conduta puramente motriz e começa a função simbólica ou semiótica, caracterizada pela capacidade de representação de objetos e eventos.

  41. DÊUTERO-APRENDIZAGEM • Caracterizado pela interação e trocas de experiências alcançadas no nível da protoaprendizagem e o meio familiar • Inicia-se no momento em começa a função simbólica caracterizada pelas cinco condutas descritas por Piaget: imitação diferida, jogo simbólico, desenho, imagem mental e linguagem falada • Vai até o momento que a criança começa a sofrer as influências da comunidade, quando estabelece um conceito de mundo.

  42. APRENDIZAGEM ASSISTEMÁTICA • É caracterizado pelas interações que o aprendiz alcançou na deuteroaprendizagem e a comunidade restrita a que está inserido, • Os contatos que mantém com a comunidade que lhe propiciam uma aprendizagem a partir da experiência vivida neste meio,

  43. APRENDIZAGEM SISTEMÁTICA • caracterizado pela capacidade em estabelecer trocas com as instituições educativas desde o 1º grau até o pós-doutorado, englobando as aprendizagens instrumentais, de conhecimentos fundamentais, de aquisições transculturais, de formação técnica e de aperfeiçoamento profissional, cada vez mais necessário nos dias atuais.

  44. A partir do conhecimento do processo de aquisição da aprendizagem, o especialista em psicopedagogia consegue detectar que situações podem estar influenciando negativamente este processo, ou  que mecanismos o aprendiz  está utilizando que podem estar dificultando  sua aprendizagem. • É importante observamos e analisarmos o sistema familiar, escolar e social em que está inserida, além do seu próprio processo de aprendizagem, para podermos detectar o que pode estar obstaculizando esta aquisição.

  45. Uma dificuldade de aprendizagem não é vista como patogenia e sim como um obstáculo que pode estar dificultando este processo • Estes obstáculos são classificados como epistêmico, epistemofílico, epistemológico e funcional.

  46. Obstáculo Epistêmico - refere-se a estrutura cognitiva do aprendiz, que deriva do nível de operatividade da estrutura cognitiva alcançada, ou seja ninguém pode aprender além do que sua estrutura cognitiva permite. • Obstáculo Epistemofílico - é utilizado para designar o vínculo afetivo que o aprendiz estabelece com os objetos e situações de aprendizagem.

  47. Obstáculo Epistemológico - está relacionado ao meio cultural em que o aprendiz está inserido. Quando uma criança de um meio cultural desfavorecido é inserida em outro com melhores condições, poderá apresentar o que denominamos de obstáculo epistemológico. • Crianças que acompanham os pais em países diferentes do seu de origem, poderão demonstrar uma dificuldade inicial de adaptação ao idioma e costumes

  48. Obstáculo Funcional • Corresponde às diferenças de funcionalidade da estrutura do pensamento, como as desigualdades entre os aspectos figurativos e operativos, as formas de oscilações deste pensamento, a impossibilidade de usar certas justificativas, ... enfim, de que maneira o pensamento do aprendiz acontece.

  49. PSICOPEDAGOGIA • Identificados os aspectos que poderão estar obstaculizando a aprendizagem, inicia-se o processo de modificação destes obstáculos, através da atuação do psicopedagogo.

  50. Atividade avaliativa I(poderá ser realizada em grupos de até quatro alunos) • 1- Em sua opinião, o olhar psicopedagógico traz avanços para a atuação de educadores? Por quê? • 2- Durante muito tempo adotamos uma postura medicalizante do fracasso escolar quando, na verdade, a aprendizagem não se processa somente no plano biológico, nem se resolve plenamente pela ajuda de profissionais vinculados à área da saúde.Quais são os outros aspectos e como eles interferem no ato de aprender? • 3- Quais são as áreas de atuação da Psicopedagogia no Brasil? Quais as características de cada uma delas? • 4- Na sua opinião,de que maneira as práticas pedagógicas podem interferir na aprendizagem dos alunos?