Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna. - PowerPoint PPT Presentation

sociologia e a expans o da sociedade industrial moderna n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna. PowerPoint Presentation
Download Presentation
Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna.

play fullscreen
1 / 16
Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna.
127 Views
Download Presentation
adin
Download Presentation

Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Sociologia e a expansão da sociedade industrial moderna. Professor: Bernardo Goytacazes de Araujo

  2. A Sociologia e a expansão do capitalismo • Sociologia do Desenvolvimento – a grande preocupação dos teóricos surgiu com o desenvolvimento do capitalismo industrial e da sua internacionalização. • O capitalismo toma proporções mundiais, e não se concentra mais, apenas na Europa. • Novos continentes assumem papéis fundamentais, tanto na produção de matérias primas como na produção de bens, e no consumo.

  3. I Guerra Mundial 1914 - 1918 • Mudanças sociais em escala mundial. • Surgimento de novas potências industriais. • Busca por novos mercados consumidores e produtores de matérias primas. • 1917 – Revolução Russa – Saída dos russos da guerra e início da Revolução Bolchevique. (ocorreu em duas etapas: 1ª derrubou o Czar Nicolau II e procurou estabelecer uma república liberal. 2ª etapa: Revolução de outubro, liderada por Lênin, derrubou o governo provisório e impôs uma nova ditadura.)

  4. Lênin em discurso, na Revolução de outubro.

  5. Período entre guerras • Com o fim da I Guerra o mundo entra numa certa calmaria e estabilidade. Os EUA saem fortalecidos com uma produção que irá abastecer o mundo. • O auge desta produção, leva os EUA a uma crise, justamente pela superprodução, que acarretará a quebra da bolsa de NY, em 29 de outubro de 1929. • A Europa retomava o ciclo de produção e de abastecimento do próprio continente.

  6. Novos eixos econômicos • Surge então, com grande força no cenário mundial, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), assumindo uma liderança na parte Oriental do mundo.

  7. O Pacífico como nova rota • O Oceano Atlântico deixa de ser o mais importante e passamos a ter um novo eixo comercial no Pacífico. • Os ideais de livre concorrência deram lugar ao capitalismo monopolista, com a crescente participação do Estado como patrocinador das economias nacionais. Novas nações despontam na Ásia e na África. • Todas estas idéias já estavam sendo gestadas desde a segunda metade do século XIX, com as revoluções nacionalistas européias, a unificação da Itália e da Alemanha, e o início da industrialização no Japão e nos EUA.

  8. Novas fronteiras • A capitalização de recursos. • Aumento no consumo. • Necessidade de barateamento na produção (matérias primas, forças de trabalho). • Todo este conjunto cria uma pressão sobre as potências industriais a expandirem sua estruturas econômicas, para além das fronteiras nacionais. • Inglaterra cria um vasto império colonial, e rompe com o equilíbrio europeu. • Independência dos países Latino Americanos de 1810 a 1830. (inclusive o Brasil)

  9. Século XX • Novo surto de modernização e formação de novos Estados independentes na Ásia e na África. • A constante internacionalização do processo de industrialização e a expansão do modo de produção capitalista, fizeram uma mudança no cenário mundial: transformaram as antigas colônias em parceiros de novos contratos econômicos.

  10. Novo pacto colonial • As nações que viraram “parceiras” tiveram que fazer um conjunto de implementações Estatais, ditadas pela civilização européia, adotando políticas voltadas para o desenvolvimento do capitalismo industrial. • As nações Latino Americanas, Asiáticas e Africanas, tiveram que implantar um conjunto de modificações, nos transportes e nas comunicações, para melhor atender os “clientes” do norte.

  11. Portugal e Espanha fora do jogo • Com a independência das colônias Latino-americanas, patrocinadas pela Inglaterra, Portugal e Espanha saem do cenário mundial, deixando de ser o entreposto comercial das Américas, deixando o mercado livre para os produtos Ingleses. • Portugal e Espanha, nada mais eram, do que metrópoles empobrecidas e não-industrializadas.

  12. Nova ordem mundial • As nações capitalistas centrais aprimoravam seus avanços técnicos e econômicos , tornando cada vez maior a distância que as separava das nações agrícolas emergentes. • O pacto colonial não era mais necessário. A divisão econômica internacional entre países industrializados e agrários forjara relações de dependência que substituíram com vantagem os pactos coloniais.

  13. O capitalismo no século XX • A crise de 1929 e a II Guerra afetaram a capacidade produtiva das nações centrais, dando ensejo a formação de alguns países periféricos, com industriais locais, a partir dos recursos acumulados com o agro-negócio. Um destes casos, foi São Paulo. • As multinacionais vieram em busca de atrativos financeiros, mão de obra barata, baixos custos na produção e benefícios fiscais.

  14. Fatores de influência • 1º Fortalecimento dos Estados; • 2º Incentivos às industriais nacionais, em subsidiar a bases necessárias para as multinacionais. • 3º Organização de uma ampla rede de estradas de rodagem e importação de combustíveis.

  15. Multinacionais

  16. “Resumo da ópera” • O endividamento crescente das nações subdesenvolvidas e a dependência tecnológica são os índices mais agudos dessa nova situação de dependência.