Informática Instrumental 2014.1 - PowerPoint PPT Presentation

inform tica instrumental 2014 1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Informática Instrumental 2014.1 PowerPoint Presentation
Download Presentation
Informática Instrumental 2014.1

play fullscreen
1 / 125
Informática Instrumental 2014.1
115 Views
Download Presentation
amora
Download Presentation

Informática Instrumental 2014.1

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. AULA 01 [ Prof. Klever Cavalcanti] Informática Instrumental2014.1 Prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  2. Currículo do professor • 8anos de experiêncianaárea de Informática(TI) e 10 anosnaárea de logística. • MestrandoemInformáticaAplicada- UFRPE. • Atulamenteparticipante do (CIN) Centro de informática da UFPE, naárea de redes de computadores. • CursandoEspecialização em Filosofia Clínica • CursoO Mundo como Representação em Filosofia Clínica • EspecializaçãoemFilosofiapelaFudançãoGetúlio Vargas. prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  3. Cont. • Graduando em Filosofia (Universidade Metodista de São Paulo). • Graduado em Internet e Redes de computadores, • Especialização em Redes de computadores • E Especialização em segurança da informação( Pela Universidade de Mogi das Cruzes, SP). prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  4. Currículo do professor • Experiência em gestão de pessoas, Adminsitração de processos, adminstração de serviços e em adminstração em Geral. • Terminal Burro (Thin Client) e Virtualização. prof.klevercavalcanti@ig.com.br Prof. Klever Cavalcanti

  5. Certificados e cursos na área de Informática(TI) e administração • Curso de Administração de Negócios • CertificadosITIL, COBIT, Gerenciamento de Projetosemênfase no PMI. • InglêsIntermediário, Delphi, Linux, PacoteOffice completoavançado, SQL, CorelDraw, Photoshop, Java, Manutenção de Micro. Prof. Klever Cavalcanti prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  6. Certificados e cursos na área de Informática(TI) e administração • MCP-Microsoft Certified Professional(Profissional Certificado Microsoft) • Certificado de TI e Design • Certificado Implementação e Gerenciamento do Windows 7 prof.klevercavalcanti@ig.com.br Prof. Klever Cavalcanti

  7. Na área de Logística • Softwares: SAP, JIVA, WMS, TMS, ERP e MRP. • Curso de Operador de Empilhadeira, Transpaleteira- Escola SENAI • Curso de Prevenção e Combate a Incêndio • Certificado ISO 9001 Prof. Klever Cavalcanti Prof. Klever Cavalcanti prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  8. Experiência Profissional • Empresas: • Alcoa Alumínio, • Tim do Brasil, • Instituto Materno Infantil(IMIP) • Águia Transportes, • Valtra do Brasil, • NSK do Brasil, • Megabyte informática, • Atualmente professor da Faculdade IBGM e SENAC. Prof. Klever Cavalcanti prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  9. FACULDADE IBGM • 2 anos e meio como professor da faculdadeIBGM, nos cursos de: • Logística: Ti aplicada à Logística,Estratégia de Serviço em Logísticae E-commerce • Recursos Humanos: Sistema de Informação Gerencial e Ferramentas Estratégicas de gestão. • Marketing: Ferramentas Estratégicas, PIM e MKT Digital • Sistema para Internet: Web Design: Algoritmo e Estrutura de Dados, Redes de computadores e Sistema Operacional. • Processos Gerencias: Seminários de Comunicação, Gestão da Inovação e Criatividade e Gestão de projetos. • Segurança do Trabalho: Informática Instrumental prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  10. Experiência Acadêmica • 3 anos como professor e coordenador de cursos livre e técnico na área de informática, administração e idiomas (Escola Megabyte) • 2 anos como Professor na Fatec-SP: Faculdade de tecnologia de São Paulo- Cursos Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Processos de Produção. prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  11. Metodologia das aulas • Dinâmicas • Práticas • Discussões • Trabalhos • Participações • Presenças • Entrega das discussões. • Para todos os alunos que participarem dos itens acima, ganharão pontos que serão fundamentais no final de cada avaliação. prof.klevercavalcanti@ig.com.br Prof. Klever Cavalcanti

  12. Sala de aula • Conversas • Celulares • Provas • Trabalhos Prof. Klever Cavalcanti prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  13. Sala de aula prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  14. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: • 1. História: Evolução histórica e aplicações. • 2. Hardware: Componentes Funcionais do Computador. • 3. Software: Linguagens de Programação, Sistemas Operacionais, (Utilitários) e Aplicativos: Editor de Textos (cabeçalhos, tabelas, frames, figuras, equações), Softwares gráficos. Preparador de Apresentações em Power Point, Planilha e Banco de Dados. Principais comandos do DOS (listar, criar e deletar diretórios; deletar, copiar, imprimir e renomear arquivos; data e time; editar e mover). • 4. Windows e Linux: Uso, impressão, arquivos, diretórios, associação, execução de programas. prof. Klever Cavalcanti

  15. 5. Internet e Redes de Computadores: Tipos e características. HTML (títulos, listas, tabelas, figuras, fundo, links, som, cores). Navegação e sistemas de Busca. E-mail (Webmail, pop3, attach, cc, múltiplos destinatários). prof. Klever Cavalcanti

  16. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: • BALDAM, Roquemar de Lima; COSTA, Lourenço. AutoCAD 2006: utilizando totalmente. 5. ed. São Paulo: Érica, 2008. 2 reimp. 2008. • MCFEDRIES, Paul; Fórmulas e funções com Microsoft Excel. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2005. prof. Klever Cavalcanti

  17. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: CAVALCANTI, Klever. Internet para todos. São Paulo: Bookess, 2010. MANZANO, André Luiz N. G; MANZANO, Maria Izabel N. G. Estudo dirigido de informática básica. 7. ed. São Paulo: Érica, 2007. 2 reimp. 2008. prof. Klever Cavalcanti

  18. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: • Kraynak, Joe. Microsoft Office 2000 para Leigos Passo a Passo. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 1999. • VELLOSO, Fernando de Castro. Informática: conceitos básicos. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. 11ª tiragem 2004. • MATTAR, João. Metodologia científica na era da informática. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2008. 2 tir. 2008. • Marquis, Annette; Courter, Gini. Microsoft Office 2000 Prático e Fácil: Passos Rápidos para o Sucesso. São Paulo: Makron Books, 2000. • Mink, Carlos. Microsoft Office 2000. São Paulo: Makron Books, 1999. • Manzano, Jose Augusto Navarro Garcia. Estudo Dirigido de Excel 2000. São Paulo: Érica, 2001. prof. Klever Cavalcanti

  19. História da Informática Blaise Pascal (1623-1662) • Filósofo, físico, matemático e escritor francês; • Aos 17 anos descobriu e publicou uma série de teoremas; • Em 1642 inventou a primeira calculadora, chamada “Pascaline”. Uma espécie de ábaco mecânico que consistia de um conjunto de engrenagens perfeitamente coordenadas, em que cada roda acionava a seguinte sem que dava uma volta completa, marcando 9 unidades. prof. Klever Cavalcanti

  20. História da Computação Samuel Morse (1791-1872) Código Morse Samuel Morse 4:21 min, Inglês prof. Klever Cavalcanti

  21. História da Informática Charles Babbage (1791-1871) • Considerado o “Pai da Computação”. • Em 1822, começou a construir a Máquina Diferencial. O projeto foi abandonado em 1833. • Projetou a Máquina Analítica. Precursora do computador digital, ela foi concebida para executar uma ampla gama de tarefas de cálculo, de acordo com instruções fornecidas por seu operador através de cartões perfurados: uma “máquina de natureza geral”. • Essa máquina nunca foi construída, mas as idéias que nela seriam utilizadas são semelhantes aos computadores atuais. Máquina Diferencial Construída a partir dos desenhos do projeto original por ocasião da comemoração de 200 anos de nascimento de Charles Babbage. Máquina de Babbage 1:57 min, ------ prof. Klever Cavalcanti

  22. História da Informática Herman Hollerith (1860-1929) • Estatístico, inventor e empresário americano; • Em 1880, o censo americano demorava sete anos e meio para calcular e divulgar o número de habitantes dos Estados Unidos. Com a “Máquina de Tabular” (elétrica) o resultado foi divulgado e dois anos e meio em 1890; • Em 1896 Hollerith fundou a empresa Tabulating Machine Company, posteriormente chamada International Business Machines Corporation, a IBM. Máquina de Tabular Utilizava cartões perfurados para armazenar dados Hollerith 1:18 min, ---- prof. Klever Cavalcanti

  23. História da Informática John L. von Neumann (1903-1957) • Matemático e engenheiro químico de origem húngara e naturalizado americano; • Criador do conceito de “Programa Armazenado” • Deu origem a um conceito de máquina que constitui o fundamento dos computadores atuais: “Arquitetura de von Neumann” • Divisão do computador em unidades de controle, aritmética, memória, entrada e saída; • Constitui o princípio de funcionamento de computadores digitais até hoje, apesar do progresso tecnológico. prof. Klever Cavalcanti

  24. Evolução dos computadores 1ª Geração • Computadores grandes que utilizavam válvulas; • Consumiam grande quantidade de energia e eram de difícil manutenção, além de problemas de superaquecimento; • Programação em linguagem de máquina; Esquema de uma válvula ENIAC 1 2:55 min, Português COLOSSUS (1943) Criado para quebrar códigos alemãs 2.000 válvulas ENIAC (1946) 17.468 válvulas, 30 toneladas ENIAC 2 1:27 min, Inglês prof. Klever Cavalcanti

  25. Evolução dos computadores 1ª Geração EDVAC (1947) Primeiro computador a utilizar a Arquitetura de von Neumann ESAC (1949) Inventor: Maurice Wilkes LEO (1951) Primeiro computador comercial prof. Klever Cavalcanti

  26. Evolução dos computadores 2ª Geração • Aquecimento mínimo • Pequeno consumo de energia • Mais confiável e veloz do que as válvulas Esquema de um transistor IBM 1401 - 1952 IBM 650 - 1954 IBM 650 - 1955 História 5:12 min; Espanhol prof. Klever Cavalcanti

  27. Evolução dos computadores 3ª Geração 4004 Primeiro chip da Intel, com 2.300 transistors Circuito Integrado – CI Também conhecido como CHIP PDP-8 O primeiro minicomputador Borroughs B2500 O primeiro computador a utilizar circuitos integrados IBM S/360 prof. Klever Cavalcanti

  28. Evolução dos computadores 3ª Geração Intel 4004 - 1971 2250 componentes Soma 2 números em11 milionésimos de segundo Intel 8080 - 1974 4500 componentes Soma 2 números em2,5 milionésimos de segundo 6502 – 1975 4300 componentes Soma 2 números em1 milionésimo de segundo Construção de Microprocessador 5:46 min; Legendado prof. Klever Cavalcanti

  29. Evolução dos computadores 3ª Geração Apple I Apple II ALTAIR Primeiro microcomputador Do ENIAC ao Micro 1:13 min, Inglês MacIntosh prof. Klever Cavalcanti

  30. Evolução dos computadores 3ª Geração SINCLAIR IBM PC MMX Placa de circuito do Apple I batizado de "Nosso Fundador" emoldurada e pendurada noprimeiro escritório da empresa em 1977 prof. Klever Cavalcanti

  31. Evolução dos computadores 4ª Geração • CI LSI - Integratede Circuit - Large Scale Integration ( Circuito Integrado em Larga Escala de Integração ) • IC VLSI - Integrated Circuit - Very Large Scale Integration (Circuito Integrado em uma Escala Muito Maior de Integração ) Motorola 68000 1979 HP SuperCHIP 1981 Intel 386 e Intel 486 Mother Board (Placa Mãe)de um 486 DX 100 prof. Klever Cavalcanti

  32. Evolução dos computadores 5ª Geração ? • CI ULSI - Integrated Circuit Ultra Large Scale Integration (Escala “ultra” de Integração) Processadores: Celeron / Cyrix / AMD K6 / Pentium MMX Viagem pelo Computador 5:21 mim, Legendado Processadores: Pentium 2 e AMD K6-2 Top de linha até 1998 Mother Board (Placa Mãe)Pentium II prof. Klever Cavalcanti

  33. Evolução dos computadores Gerações História do Computador 4:52 min; Português Quadro resumo – Gerações de Computadores prof. Klever Cavalcanti

  34. Hardware, Software e Peopleware (usuário/pessoas) prof. Klever Cavalcanti

  35. Binários • É um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades se representam com base em dois números, com o que se dispõe das cifras: zero e um (0 e 1). • Em computação, chama-se um dígito binário (0 ou 1) de bit, que vem do inglês BinaryDigit. Um agrupamento de 8 bits corresponde a um byte (BinaryTerm). Um agrupamento de 4 bits é chamado de nibble. prof. Klever Cavalcanti

  36. Memória: tipos e funcionamento • Sem memória não há computador. prof. Klever Cavalcanti

  37. Divide-se em dois tipos – RAM e a ROM. • RAM (Random Access Memory ou Memória de Acesso Randónia): divide-se em DRAM e SRAM. É a memória principal do computador. • ROM (ReadOnlyMemory ou Memória Apenas Leitura): é uma memória fixa, onde não há variação dos dados. É responsável por armazenar pequenas rotinas e instruções essenciais ao computador. • Memória auxiliar: geralmente o HD prof. Klever Cavalcanti

  38. Dispositivos: Periféricos de Entrada / Saída • Entrada: • Teclado, mouse e scanner. • Saída: • monitor, som e vídeo. prof. Klever Cavalcanti

  39. AULA 02 [ Prof. Klever Cavalcanti] Informática Instrumental2014.1 Prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  40. EXTENSÃO DE ARQUIVO • Extensão de Um conjunto de informações armazenadas em meios físicos que aceitam informações digitais - como disquetes, CDs, discos rígidos, pen-drives e outros - é chamado genericamente de arquivo. • Estes arquivos costumam conter textos, dados ou programas. Para que possam ser armazenados e posteriormente recuperados ou executados, possuem um formato padrão e recebem uma identificação. prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  41. Algumas extensões • .asf - arquivo de áudio ou vídeo executável com o Windows Media Player. .asp - Active Server Pages. Formato de páginas Web, capazes de gerar conteúdo de forma dinâmica. .avi - arquivo de vídeo. É o formato dos arquivos DivX. Windows Media Player, Real Player One e The Playa são os mais usados para vêlos. .bmp - arquivo de imagem, pode ser aberto em qualquer visualizador ou editor de imagens. Sua desvantagem é o grande tamanho dos arquivos em relação a outros formatos otimizados. Provém do ambiente Windows.  prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  42. Cont. • bat - é uma das extensões que junto a .com e .exe indica que esse é um arquivo executável em Windows. Costuma executar comandos de DOS.  • .doc - arquivo de texto capaz de armazenar dados referentes ao formato do texto que contém. Para editá-lo é preciso ter o Microsoft Word ou a ferramenta de sistema Wordpad (bloco de notas), entre outros editores de texto.  prof.klevercavalcanti@ig.com.br

  43. Peças de um ComputadorHardware prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.05

  44. Hardware de Entrada MOUSE Dispositivo usado para apontar e selecionar itens na tela do computador. O nome se dá pois os modelos mais comuns se assemelham com um rato. Geralmente possuem 2 botões: Um principal, geralmente o da esquerda, e um botão secundário, normalmente utilizado para atalhos de determinados programas. Muitos mouses também têm uma roda entre os dois botões, que permite percorrer as telas de informações. A medida que você move o mouse com a mão, um ponteiro na tela se move na mesma direção. Para selecionar um objeto, basta clicar com o botão principal, ou seja, apertar e soltar. prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.08

  45. Hardware de Entrada TECLADO prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.09

  46. Hardware de Entrada TECLADO prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.09

  47. Hardware de Saída MONITOR Exibe informações em forma visual, usando texto e elementos gráficos. A parte do monitor que exibe estas informações são chamadas de tela. De acordo com o aplicativo, pode mostrar imagens paradas ou em movimento. Monitor LCDVídeo de Cristal Líquido Monitor CRTTubo de raios catódicos prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.09

  48. Hardware de Saída (Opcional) IMPRESSORA Transfere dados de um computador para o papel. Mesmo sem ela, é possível utilizar o computador. Impressoras virtuais são largamente utilizadas atualmente, pois pode-se imprimir em um modo eletrônico sem desperdício de papel. Impressora Jato de Tinta Impressora Laser prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.10

  49. Hardware de Saída (Opcional) ALTO FALANTES Usados para tocar som. Podem vir embutidos na unidade de sistema ou ser conectados com cabos. prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.10

  50. Hardware de Conexão (Opcional) MODEM Para conectar o computador à Internet, você precisa de um modem. Modem é um dispositivo que envia e recebe informações do computador por linha telefônica ou cabo de alta velocidade. Pode ser embutidos na unidade de sistema, mas os de alta velocidade normalmente são componentes separados. prof.klevercavalcanti@ig.com.br Pág.11