Download
mesa redonda intelig ncia competitiva nas institui es p blicas no brasil relato de experi ncias n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Open Archives: interoperando repositórios digitais PowerPoint Presentation
Download Presentation
Open Archives: interoperando repositórios digitais

Open Archives: interoperando repositórios digitais

104 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

Open Archives: interoperando repositórios digitais

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Mesa redonda: Inteligência Competitiva nas Instituições Públicas no Brasil – relato de experiências Open Archives: interoperando repositórios digitais

  2. Sumário • Cenário Mundial da Comunicação Científica • O modelo Open Archives • O movimento do acesso livre • Ações do Ibict em direção ao acesso livre

  3. Cenário mundial da comunicação científica • Alto custo das assinaturas dos principais periódicos científicos; • Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica tradicional; • Exclusão científica; • Surgimento das NTIC - alternativas para facilitar o acesso aberto às IC; • Movimento de acesso aberto à IC.

  4. Modelo Open Archives • Experiência iniciada em 1991, no Laboratório de Los Alamos, com a implementação do repositório ArXiv; • Outros repositórios: • CogPrints - Psicologia, linguística e neurociências; • NCSTRL (Networked Computer Science Technical Reference Library); • NDLTD (Networked Digital Library of Thesis and Dissertations), 170 países • RePEc (Research Papers in Economics), 54 países • 1999 – Santa Fé – Criação do OAI – Open Archives Initiative; • The goal of the OAi is to contribute in a concrete manner to the transformation of scholarly communication. • Pacotes de software para construção de repositórios digitais (OJS, E-prints, OCS, Dspace, Fedora, CDSware...)

  5. Open Archives Initiative : algumas definições • Trata-se de uma iniciativa para desenvolver e promover padrões de interoperabilidade para facilitar a eficiente disseminação de conteúdos. • O termo "archive" no nome Open Archives Initiative reflete a origem da OAI, na comunidade e-prints onde esse termo é geralmente aceito como um sinônimo para repostiórios de papers científicos. A OAI usa o termo archive no seu sentido mais amplo: como um repositório para armazenar informação. • Protocolo para coleta de metadados (OAI-PMH) – Trata-se de um protocolo de comunicação para permitir a coleta de metadados entre dois serviços, portanto o compartilhamento de metados entre dois serviços de informação. • Protocolo é um conjunto de regras de comunicação entre dois sistemas. Exemplos: FTP, HTTP, Z39.50 etc. http://www.oaforum.org/tutorial/

  6. Open Archives Initiative : algumas definições • Coleta (harvesting) – trata-se de um procedimento de extração de metadados de um conjunto de repositórios distribuídos remotamente e de seu armazenamento consolidado em um banco de dados. • Metadados – esse termo designa um tipo de dado que descreve um determinado objeto. Exemplos: título, autor, editor, resumo etc. • Provedor de Dados (data provider) – Trata-se de um provedor que mantém um ou mais repositórios, que suportam o protocolo OAI-PMH, para expor os seus metadados. • Provedor de Serviços (service provider) – Trata-se de um tipo de provedor que faz a coleta de metadados para compor um serviço de informação com valor agregado. Portanto, o provedor de serviço faz o harvesting dos metadados expostos pelos provedores de dados.

  7. Ideais e princípios dos OA • Auto publicação • Sistema de armazenamento a longo prazo • Política de gestão observando normas de preservação de objetos digitais • Uso de padrões e protocolos com vista a solução de interoperabilidade entre as bibliotecas digitais • Uso de software open source

  8. Esquema Funcional do modelo OA Provedores de Dados (Data Providers) Coleta via OAI-PMH Agregador Provedor de Serviço (Service Provider)

  9. Vantagens no uso de OA • Maior rapidez na disseminação da literatura científica publicada nesses repositórios • Acesso aberto => Maior Rapidez na disseminação da IC • Maior visibilidade dos trabalhos publicados • Maior impacto • Acesso aberto => Maior Visibilidade => Maior possibilidade de ser citado • Maior interoperabilidade com outros repositórios • OAI-PMH (Open Archives Initiative Protocol of Metadata Harvesting)

  10. O movimento do acesso livre • Out//1999 => Lançamento da Open Archives Initiative, Convenção de Santa Fé • 2001 => Carta aberta da Public Library of Science (PLoS) • 14-02-2002 => Iniciativa de Budapeste para o Acesso Aberto • 30-10-2002 => Carta ECHO • 11-04-2003 => Declaração de Bethesda • 27-08-2003 => Association of Learned and Professional Society Publishers (ALPSP) • 22-10-2003 => Declaração de Berlim sobre o Livre Acesso ao Conhecimento • Nov/2003 => Declaração de princípios do Wellcome Trust em apoio à ed. em livre acesso • 4-12-2003 => Posicionamento do InterAcademy Panel sobre o acesso à IC • 5-12-2003 => Declaração do IFLA sobre o livre acesso à LC e aos documentos da pesquisa • 12-12-2003 => Declaração de princípios da Cúpula Mundial sobre a Soc. da Inf. (SMSI) • 15-01-2004 => Declaração de Valparaíso • 30-01-2004 => Declaração da OCDE s/ o acesso aos dados de pesq. Fin. fundos públicos • 16-03-2004 => Princípios de Washington D. C. para o livre acesso à ciência • 30-07-2004 => Publicação do relatório do com. do parlamento britânico s/ edição científica • 13-09-2005 => Manifesto Brasileiro de Apoio ao Acesso Livre à IC • 26-09-2005 => Declaração de Salvador s/ Acesso Aberto: A Persp. dos Países em Des. • Dez/2005 => Carta de São Paulo • Mai/2006 => Declaração de Florianópolis (Psicologia)

  11. Cenário mundial • Movimento em prol do acesso livre em vias de se consolidar; • Existência de diversos repositórios institucionais e temáticos em boa parte dos países do hemisfério norte; • Existência de diversas publicações eletrônicas de acesso livre; • Os EUA, o Reino Unido e a Alemanha são os países com maior quantidade de repositórios de aceso livre. O Brasil aparece em quarto lugar, segundo o ROAR – Registry of Open Access Repositories. • Implantação exitosa da BDTD, existe portanto uma competência instalada no Ibict quanto às ferramentas compatíveis com o modelo OA. • As publicações científicas brasileiras são basicamente mantidas pelas universidades, institutos de pesquisa, sociedades e associações científicas <=> modelo OA.

  12. Ações do Ibict em direção ao Acesso Livre á Informação • Lançamento do manifesto brasileiro em prol do acesso livre à IC; • Articulação com os diversos segmentos da comunidade científica visando sensibilizá-los quanto à importância das recomendações constantes do manifesto brasileiro; • Construção de um Portal de Repositórios e Publicações de Acesso Livre (Portal Oasis.Br); • Construção de repositórios institucionais, temáticos e publicações eletrônicas; • Discussão e estabelecimento de uma Política Nacional de Acesso Livre • Construção de uma incubadora de repositórios e publicações eletrônicas. • Absorção, customização e transferência de pacotes de software open source compatível com o modelo OA; • Estabelecimento de competência técnica quanto ao uso e desenvolvimento de ferramentas em conformidade com o modelo OA.

  13. Considerações finais • O modelo Open Archives, apesar de ser utilizado em aplicações relacionadas à IC, poderá ser utilizado para qualquer tipo de aplicação; • Da mesma forma, pacotes de software aplicativos como DSpace poderá ser utilizado para qualquer tipo de aplicação. • O Ibict possui uma competência técnica quanto ao uso e desenvolvimento de ferramentas compatíveis com o modelo Open Archives.

  14. Obrigado!!!! Hélio Kuramoto Coordenador Geral de Projetos Especiais SAS Quadra 05 Lote 06 Bloco H 70070-912 – Brasília, DF 61 3217-6350 kuramoto@ibict.br http://blogdokura.blogspot.com