html5-img
1 / 36

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia. 5º Encontro Anual de Usuários – USUPORT Salvador/BA – 23 de novembro de 2009. Paulo Sérgio Oliveira Passos Secretário-Executivo. Ambiente Econômico e Desenvolvimento. 2. Brasil. Estados Unidos. China.

nedra
Télécharger la présentation

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


  1. Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia 5º Encontro Anual de Usuários – USUPORT Salvador/BA – 23 de novembro de 2009 Paulo Sérgio Oliveira Passos Secretário-Executivo

  2. Ambiente Econômico e Desenvolvimento 2

  3. Brasil Estados Unidos China Crescimento Positivo do PIB para o Brasil e China Dados atualizados trimestralmente * Previsões: EUA e China - JP Morgan e Brasil – Ministério da Fazenda 3 Fontes: BEA (EUA), JPMorgan (China) e IBGE (Brasil)Produzido por: Ministério da Fazenda

  4. Crescimento do PIB Componente da Demanda Doméstica PIB e Consumo Mudança nos últimos 12 meses - % Fonte: IBGE Produzido por: Ministério da Fazenda

  5. Exportações Importações Exportações Líquidas Redução da Vulnerabilidade Externa Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Produzido por: Ministério da Fazenda

  6. Dívida Externa Líquida Total % do PIB * Previsão – julho de 2009 Fonte: Banco Central do Brasil Produzido por: Ministério da Fazenda

  7. Reservas Internacionais Estoque em US$ bilhões Fonte: Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda

  8. Produção Industrial Índice com ajuste sazonal (Jan 07 = 100) Fonte: IBGE Elaboração: Ministério da Fazenda

  9. Taxas de Juros % ao ano *Swap pré-di 360 / Expectativas para o IPCA nos próximos 12 meses. **Em setembro, dados até o dia 25/Set. Fonte: BM& F e Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda

  10. Evolução da Composição do Crédito Saldo em Valores Nominais – R$ Bilhões e % PIB Fonte: Banco Central do Brasil Elaboração: Ministério da Fazenda 10

  11. Política e Planejamento de Transportes 11

  12. A matriz de transportes é desbalanceada, considerando as dimensões do Brasil, ANTT – 2005 12

  13. o que se comprova na comparação com países de porte equivalente. Rússia Canadá Austrália EUA China Brasil 81% 8% 11% 46% 43% 11% 43% 53% 4% 43% 32% 25% 37% 50% 13% 25% 58% 17% Ferroviário Rodoviário Aquaviário,outros

  14. A retomada do Planejamento em Transportes Plano Nacional de Logística e Transportes – PNLT • Instrumento para a organização estratégica, com visão integrada de território e desenvolvimento. • Transporte como agente indutor e facilitador do desenvolvimento. • Melhor equilíbrio na matriz de transportes do Brasil, com maior participação dos modos ferroviário e hidroviário, mais eficientes em termos econômicos, de consumo de energia e de sustentabilidade ambiental. • Prioridade para a elevação do patamar de investimento em infraestrutura, destinando pelo menos 1% do PIB a transportes no período 2008-2023 (excluída a recuperação de rodovias).

  15. O PNLT aponta caminhos para mudança da matriz. • Consolidação de uma nova malha ferroviária brasileira (lei 11772/2008), com implantação de 11,8 mil km de novos trechos ferroviários, dos quais cerca de 10,7 mil km em bitola larga. • As novas ferrovias vão atender às áreas de expansão da fronteira agrícola e de exploração mineral. • Essa nova malha ferroviária básica prepara o País para um novo ciclo de crescimento econômico, atendendo à expansão da demanda interna e à articulação com os portos exportadores.

  16. Desenvolvimento do Setor Hidroviário • O Brasil já desenvolve projeto de recuperação e estruturação da malha ferroviária • O desafio agora é estruturar um sistema hidroviário que contribua para o maior equilíbrio da matriz de transporte brasileira em termos energéticos e econômico, e de sustentabilidade • Esse equacionamento pressupõe uma articulação de governo, no que tange ao múltiplo aproveitamento dos recursos hídricos e ao adequado tratamento ambiental dessa questão 18

  17. 20

  18. Matriz de Transporte - Atual e Futura Revisada % Fonte: Processamento PNLT, considerando consumo de energia

  19. PAC Programa de Aceleração do Crescimento

  20. Antecedentes • O Brasil passou por extenso período de sub-investimento em infraestrutura logística • A melhoria das condições econômicas permitiu: • Recuperação da capacidade de investimento público • Clima favorável para parcerias com o setor privado • Concessões rodoviárias • Concessões ferroviárias

  21. PAC • Após duas décadas, é a primeira iniciativa de realização de programa robusto de investimentos em transportes • Investimentos públicos selecionados a partir do Plano Nacional de Logística e Transportes – PNLT • Projetos com forte potencial para gerar retorno econômico e social • Sinergia entre projetos • Recuperação da infraestrutura existente • Novos projetos e conclusão de projetos em andamento

  22. Dimensão do PAC – Ministério dos Transportes • Rodovias • 96 ações envolvendo pavimentação, duplicação, adequação de capacidade e construção de pontes • Manutenção rodoviária • Concessão de trechos à iniciativa privada • Ferrovias • 26 ações envolvendo construção, adequação, remodelação, estudos e subconcessão ferroviária • Hidrovias • 42 ações, envolvendo melhoramentos para navegação e construção de terminais hidroviários • Marinha mercante e construção naval • Financiamento de quase 400 empreendimentos para a construção de embarcações e implantação e modernização de estaleiros

  23. Destaques dos Projetos do PAC Rodovias • Construção de novas rodovias – 2.850 km • Ampliação de capacidade de rodovias existentes – 1.460 km • Recuperação da malha rodoviária atual – 50.000 km Ferrovias • Aumento de capacidade da malha ferroviária • Expansão da malha ferroviária – 4.577 km em obras e 5.759 km em estudos Hidrovias • Construção de Terminais Hidroviários na Amazônia – 21 terminais em obras e 15 terminais em licitação • Construção de Eclusas Incentivo à Construção Naval (Financiamento) • Construção de embarcações de longo curso, cabotagem, apoio marítimo e navegação fluvial (384 embarcações, 103 já concluídas) • Construção e Modernização de estaleiros ( 8 estaleiros)

  24. PAC RODOVIAS LEGENDA PAC ORIGINAL PAC INCLUSÕES CONCESSÕES BR-450/DF BR-156/AP BR-156/AP-Ponte BR-230/PA BR-163/MT/PA BR-230/PA - Ponte BR-242/TO Acesso ao Porto de Itaqui BR-158/MT BR-020/CE BR-020/DF BR-135/MA BR-222/CE BR-080/GO Acesso ao Porto de Pecém BR-135-PI/BA BR-304/CE - Ponte BR-319/AM/RO BR-304/RN BR-070/GO BR-226/RN BR-364/RO BR-116/BA - Construção de Ponte BR-104/PE BR-101/NE BR-242/MT BR-230/PB BR-408/PE BR-364/AC BR-030/BA Ponte BR-317/AM BR-020-135-242-BA BR-429/RO Concessão:BR-116-324/BA Via Portuária de Salvador BR-319/RO-Ponte BR-135/MG BR-364/MT BR-251/MG BR-163/MT BR-262/MG BR-163-364/MT BR-040/MG BR-060/GO BR-418/MG BR-153/GO BR-381/MG BR-262/MS BR-153-365/MG BR-040/BA - Viaduto BR-262/MS BR-365/050/MG – Anel Rodoviário BR-265/MG BR-364/MG BR-262/ES BR-050/MG BR-101/ES (Inclui Contorno de Vitória) BR-163/MS Concessões Rodoviárias BR-262/MG – Travessia Urbana Arco Rodoviário RJ Ponte BR-158-MS/SP Rodoanel de São Paulo – Trecho Sul BR-163/PR BR-146/MG BR-116/PR – Adequação Contorno Leste Curitiba BR-376/PR Via Expressa Porto de Itajaí 2ª Ponte Internacional Foz do Iguaçu-PR BR-280/SC BR-470/SC BR-153/PR BR-285/RS BR-282/SC BR-101 – Sul (SC-RS) BR-158/RS BR-116/RS BR-386/RS BR-290/RS BR-392/RS BR-116/RS

  25. 2ª Etapa 3.228 Km 3ª Etapa 3.675 Km PROGRAMA DE CONCESSÕES DE RODOVIAS FEDERAIS Na Bahia 2ª etapa – BR-116/324 – 680 km 3ª etapa – BR-101 - 790,7 km Niterói 1ª Etapa 1.482 Km 29

  26. RR AP AM MA PA CE RN PI PB PE AC AL TO RO SE BA MT DF GO MG PAC – Min Transportes ES MS SP na BAHIA RJ PR SC RS

  27. PAC Bahia – Rodovias e Ferrovias • TOTAL: R$ 1,09 (Rodovias) + 6,08 bilhões (Ferrovias) 2007-2010: R$ 0,76 + 1,68 bilhão Pós 2010: R$ 0,32 + 4,4 bilhões • Total de empreendimentos:9 • 11,0% concluídas • 44,5% em obras • 44,5% em ação preparatória

  28. PAC na Bahia– Investimentos

  29. PAC na Bahia Construção de Ponte BR-116/BA Adequação e Duplicação BR-101/BA 101 Variante Ferroviária Camaçari – Aratu 135 Construção de Contorno Rodoviário 101 Construção Via Expressa Portuária de Salvador 116 Contorno Ferroviário de São Félix e Cachoeira Ferrovia de Integração Oeste-Leste Alvorada/TO – Ilhéus/BA Pavimentação BR-135/BA Concessão Rodoviária3ª Etapa Construção de Ponte BR-030/BA Concessão Rodoviária2ª Etapa Obra Rodoviária – PAC Obra Ferroviária – PAC Programa de Concessões Outros Projetos Construção e Pavimentação BR-418/BA 418

  30. Programa de Manutenção de Rodovias - Bahia • CREMA 1ª ETAPA – extensão contratada em 2009: 3.662 km • Investimentos de R$ 653 milhões • À medida em que se encerram os contratos vigentes, os trechos correspondentes serão objetos de novos contratos: • CREMA – extensão a contratar até 28/04/2010: 2.748 km, com início das obras em 30/05/2010 • investimentos de R$ 1 bilhão • obras de manutenção rodoviária, substituindo os contratos de CREMA 1ª ETAPA e conserva • A empresa contratada deve garantir a manutenção por 5 anos de perfeitas condições no trecho

  31. 100% 2 4 5 1 90% OUTRAS 80% 38 41 CARVÃO 70% 60% HIDRÁULICA 85 12 50% 16 NUCLEAR 40% 23 15 30% GÁS 20% 20 20 PETRÓLEO 10% 3 3 6 4 3 0% BRASIL 2007 OECD2006 MUNDO 2006 % renováveis 483 TWh - 89% 10.460 TWh - 16% 18.930 TWh - 18% Fonte: MME A matriz de geração de eletricidade brasileira é limpa, com base em usinas hidrelétricas Matriz de Oferta de Eletricidade – Brasil e Mundo (%)

  32. A matriz energética do Brasil é fortemente renovável

  33. www.transportes.gov.br • F@le com o Ministério

More Related