Eficiência Energética de Veículos Pesados no Brasil - PowerPoint PPT Presentation

slide1 n.
Download
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
Eficiência Energética de Veículos Pesados no Brasil PowerPoint Presentation
Download Presentation
Eficiência Energética de Veículos Pesados no Brasil

play fullscreen
1 / 16
Eficiência Energética de Veículos Pesados no Brasil
105 Views
Download Presentation
zarola
Download Presentation

Eficiência Energética de Veículos Pesados no Brasil

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. Eficiência Energética de • Veículos Pesados no Brasil • Avanços tecnológicos na indústria automotiva brasileira para melhoria da eficiência energética de veículos pesados Brasília 09 de abril de 2013

  2. INTRODUÇÃO PONTOS PRINCIPAIS REQUISITOS LEGAIS E DE MERCADO

  3. INTRODUÇÃO PONTOS PRINCIPAIS REQUISITOS LEGAIS E DE MERCADO PROCONVE (AMBIENTAL) SEGURANÇA VEICULAR CLIENTE

  4. INTRODUÇÃO PONTOS PRINCIPAIS • MOTOR • Tecnologia • Características de aplicação / combustível • VEÍCULO • Eficiência do conjunto veicular (equipamentos periféricos) • Resistência ao rolamento (pavimento) • Aerodinâmica • Tipos de veículos: Ônibus e caminhões • Aplicações veiculares

  5. MOTOR - EVOLUÇÃO PROCONVE : Requisito Ambiental 87% 81% 86% 95% CO HC NOx MP • atéP3 (E I)- Motores naturalmente aspirados • P4 (E II) - Turbo / Turbo Cooler • P5 (E III)- Injeção Eletrônica / Combustão do motor • P7(E V) - Pós-tratamento (SCR / EGR ) + OBD + diesel de baixo S REQUISITOS SIMILARES AOS EUROPEUS Nova etapa na EUROPA em 2014

  6. MOTOR - EVOLUÇÃO POTÊNCIA ( cv ) • Evolução importante das características do óleo diesel

  7. MOTOR - EVOLUÇÃO TENDÊNCIAS • Uso de energia / combustíveis renováveis ou alternativos • Biocombustíveis • biodiesel / biometano / etanol / diesel de cana / etc. • Híbridos; • Elétrico; • Célula de combustível (FuelCell); • Gás Natural, etc. • Requisitos Ambientais • Novas etapas do PROCONVE; • Harmonização de regulamentos. PARA ONDE VAMOS ?

  8. VEÍCULO - EVOLUÇÃO PBT / PBTC ( t ) GANHO EM CAPACIDADE DE CARGA GANHO EM CAPACIDADE DE CARGA GANHO EM EMISSÕES GANHO EM EMISSÃO

  9. FROTA - EVOLUÇÃO IDADE DA FROTA BRASILEIRA DE CAMINHÕES 1.700.000 unidades Média = 17,9 anos Até 5 anos (300.000) • Acima de 20 anos • (650.000) Cerca de 300.000 caminhões com idade acima de 30 anos De6 a 20 anos (750.000) 8 – 10 anos Renovação da frota: umanecessidade.

  10. VEÍCULO - EVOLUÇÃO Distribuição do Consumo de Energia Arrefecimento Alternador Compressor Ar Bomba Direção Compressor Ar Condicionado OBS: Veículo E5/P7 (28t) – (caminhão trator + carreta) / uso em rodovia Fonte: Reduction and Testing of Greenhouse Gas Emissions from Heavy Duty Vehicles - LOT 2

  11. VEÍCULO - EVOLUÇÃO RESISTÊNCIA AERODINÂMICA ~ 54% Fator importante para veículos de aplicação rodoviária (> velocidade) TRÁFEGO CONGESTIONADO x CONSUMO Litros/100km –Veículo de 40t a 50km/h 84 52 28 (Fonte VDA)

  12. VEÍCULO - EVOLUÇÃO RESISTÊNCIA DE ROLAGEM ~25% • tipos de pavimento; • tipo/marca/modelo de pneus; • pressão de enchimento dos pneus. 46% condições: regular, ruim ou péssimo OBSERVAÇÃO: Extensão total das rodovias ~ 1,6 milhões de quilômetros Pavimentadas: ~13,5% ( 214.414 km) Não Pavimentadas: ~ 86,5% ( 1.366.578 km) Rodovias pesquisadas abrangem toda a malha rodoviária federal pavimenta-da, os principais trechos de rodovias estaduais pavimentadas e concedidas. Fonte: Pesquisa CNT 2012

  13. VEÍCULO / INFRAESTRURA Logística, sistemas, BRT com vistas à eficiência energética BRT: Bus Rapid Transit

  14. VEÍCULO / INFRAESTRURA FATOR DE CARGA / REALIDADE BRASILEIRA • Composições maiores : • bitrem, rodotrem, • treminhão, bitrenzão.

  15. VEÍCULO / INFRAESTRURA APLICAÇÕES ADEQUADAS

  16. CONCLUSÃO INFRAESTRUTURA MOTOR VEÍCULO ESTRADAS COMBUSTÍVEIS AERODINÂMICA EMISSÕES ROLAGEM HÍBRIDOS / ELÉTRICO , etc. FRENAGEM / EQUIP. AUXILIARES, etc. APLICAÇÕES ADEQUADAS EFICIÊNCIA ENERGÉTICA GERENCIAMENTO DE FROTA TREINAMENTO OPERADOR RENOVAÇÃO DA FROTA CUSTOS CLIENTE