Download
metodologia cient fica n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
METODOLOGIA CIENTÍFICA PowerPoint Presentation
Download Presentation
METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA

233 Views Download Presentation
Download Presentation

METODOLOGIA CIENTÍFICA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. METODOLOGIA CIENTÍFICA TQ-729 60 HORAS 3 CRÉDITOS Professora Sônia Haracemiv Arte: Eduardo Ulysséa

  2. Ementa Ciência. Método. Conhecimento Científico. Teoria do Conhecimento e Teoria da Ciência. A Ciência e a Sociedade. Métodos de Pesquisa. Componentes de um projeto de pesquisa. Etapas da Pesquisa Científica. Publicações Científicas e Redação Científica. Arte: Eduardo Ulysséa

  3. Objetivos Proporcionar ao aluno o embasamento teórico e a vivência dos processos de aprendizagem e pesquisa, bem como a metodologia para a realização de trabalhos científicos. Pretende-se desenvolver hábitos de estudo, pesquisa, experimentação, comprovação, organização e raciocínio lógico. Arte: Eduardo Ulysséa

  4. Tema 1: Competências para a Pesquisa Tema 2: Ciência Tema 3: Método Tema 4: Teoria do Conhecimento Tema 5: Teoria da Ciência Tema 6: Conhecimento Científico Tema 7: A Ciência e a Sociedade Tema 8: Métodos de Pesquisa Tema 9: Etapas da Pesquisa Científica Tema 10: Componentes de um Projeto de Pesquisa Tema 11: Elaboração do Projeto de Pesquisa Tema 12: Publicações Científicas e Redação Científica Tema 13: Seminário de Apresentação do Projeto de Pesquisa Conteúdo Programático Arte: Eduardo Ulysséa

  5. No desenvolvimento das aulas, prevê-se o envolvimento dos alunos no processo ensino-aprendizagem, através do uso dos seguintes meios: • Aulas expositivas; • Discussões de trabalhos em grupo; • Apresentação de textos e artigos complementares; • Participação dos alunos na aula; • Utilização de multimídia e; • Utilização de aparelhos de TV e vídeo. Metodologia de Ensino Arte: Eduardo Ulysséa

  6. Para plena atividade didática são necessários os seguintes recursos e materiais didáticos: • Computador • Canhão multimídia • TV/Vídeo Recursos Necessários Arte: Eduardo Ulysséa

  7. A avaliação dos alunos se dará através de: • Participação nas aulas; • Trabalhos em equipe e/ou individuais; • Apresentação da redação científica do projeto de pesquisa; • Apresentação do projeto de pesquisa no seminário final Processo de Avaliação Arte: Eduardo Ulysséa

  8. Perfil do Pesquisador: • Predisposição à enfrentar e vencer vários desafios • Busca, testa ou cria novos conhecimentos, procedimentos e soluções de problemas Tema 1: Competências para a Pesquisa Arte: Eduardo Ulysséa

  9. Perfil do Pesquisador: • Predisposição à enfrentar e vencer vários desafios • Busca, testa ou cria novos conhecimentos, procedimentos e soluções de problemas Tema 1: Competências para a Pesquisa • Atitudes do Pesquisador: • Paciência • Autonomia intelectual • Criatividade • Espírito crítico e empreendedor • Raciocínio lógico • Persistência • Consciência e responsabilidade ética, social e política • Coragem para enfrentar desafios e romper paradigmas • Humildade Arte: Eduardo Ulysséa

  10. Princípio da Competência “Tudo aquilo que você fizer, seja na área pessoal ou profissional, faça da melhor maneira que for capaz. Estabeleça um tipo de relação tão boa com os outros, tanto no nível pessoal quanto social, que parta deles a iniciativa de associar-se a você.” (SECRETAN, Lance H. K. Os Passos do Tigre 1989. p.19-20). Tema 1: Competências para a Pesquisa Arte: Eduardo Ulysséa

  11. A Construção, criação ou transformação de conhecimentos: o grande desafio de pesquisa • Pesquisar é: • Exercício de hipotetizações • Predições • Transferências • Deduções • Argumentação criativa e segura • Buscar divergências, contradições, convergências, novas formas de explicar situações e relações Tema 1: Competências para a Pesquisa Arte: Eduardo Ulysséa

  12. Sentido da palavra “Ciência” Sentido amplo: conhecimento como na expressão “tomar ciência” disto ou daquilo. Sentido restrito: conhecimento apreendido, registro de fatos e demonstração das causas determinantes ou constitutivas. Sentido estrito e global: realidade una e total, não como especialidade em áreas delimitadas. Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  13. Definições de Ciência • “ Conhecimento certo do real pelas suas causas.” • “ Conjunto orgânico de conclusões certas e gerais metodicamente demonstradas e relacionadas com objeto determinado.” • “Atividade que se propõe demonstrar a verdade dos fatos experimentais e suas aplicações práticas.” • “Conhecimento sistemático dos fenômenos da natureza e das leis que os regem, obtido através da investigação, pelo raciocínio e pela experimentação intensiva.” • “Estudo de problemas solúveis, mediante método científico.” Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  14. Características da Ciência • Conhecimento pelas causas • Profundidades e generalidades de suas conclusões • Finalidade teórica e prática • Objetos: formais e factuais • Método e controle • Exatidão • Aspecto social Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  15. Classificação das Ciências FILOSOFIA (LÓGICA) FORMAIS (PURAS) Sintetiza e explica os MATEMÁTICA fatos e princípios descobertos Sobre o universo e seus habitantes Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  16. Classificação das Ciências FÍSICA NUCLEAR, MINERALOGIA, LOGÍSTICA MILITAR, PETROGRAFIA, GEOLOGIA, COMPUTAÇÃO, FACTUAIS ENGENHARIA, ASTRONOMIA (Aplicadas) NATURAIS Utiliza os fatos e princípios científicos QUÍMICA ORGÂNICA, INORGÂNIGA, FÍSICO-QUÍMICA, para fazer coisas FARMÁCIA E BIOQUÍMICA úteis aos homens BIOLOGIA BOTÂNICA, MEDICINA, ZOOLOGIA, VETERINÁRIA, AGRICULTURA, TEC. ALIMENTOS, ENFERMAGEM, ECOLOGIA SOCIAIS SOCIOLOGIA, PSICOLOGIA SOCIAL, ANTROPOLOGIA CULTURAL, GEOGRAFIA, DIREITO, ADMINISTRAÇÃO COMUNICAÇÃO SOCIAL, ECONOMIA, HISTÓRIA EDUCAÇÃO BUNGE, Mário. La Ciencia, Su Metodo y Su Filosofia. Buenos Aires: Sigioveinte, 1974. Cap. 1. Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  17. Espírito Científico ou Atitude Científica Disposição subjetiva adequada à sociedade do trabalho científico. Espírito Crítico ou Consenso Criticar é analisar, questionar, submeter a exame, julgar a validade e a fundamentação das soluções estabelecidas. Espírito de Confiança na Ciência O homem que cultiva o espírito científico de confiança na ciência caminha a igual distância entre dois extremos: do ceticismo e da docilidade ingênua à dogmatismos. Espírito de Análise Decomposição ou desdobramento de um todo complexo em elemntos ou componentes simples. Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  18. Espírito Positivo de apego à objetividade Ciência não é literatura de ficção. Espírito Criativo Criatividade Científica versa sobre a elaboração de hipóteses, de instrumentos e de processos de pesquisa. Espírito Indagador “Não aceitar nada como verdadeiro sem saber evidentemente o que é”. (DESCARTE) Tema 2: Ciência Arte: Eduardo Ulysséa

  19. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  20. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Francis Bacon (1561-1626) – fundador do método indutivo de investigação científica. • Preposições quanto à observação dos fenômenos, o uso de três tábuas: de presença, de ausência e de graus Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  21. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Francis Bacon (1561-1626) – fundador do método indutivo de investigação científica. • Preposições quanto à observação dos fenômenos, o uso de três tábuas: de presença, de ausência e de graus • Galileu Galilei (1564-1642) – interpretação quantitativa da natureza. Sustenta que a pesquisa científica acontece por dois momentos: • um analítico – consiste na observação do fenômeno e proposição das hipóteses. • e outro sintético – consiste na experimentação e se a hipótese for confirmada, transforma-se em lei. • Preposições quanto à liberdade do peso da autoridade do passado, seja no campo filosófico ou religioso. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  22. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Renê Descartes (1596-1650) – sustenta o método matemático dedutivo. Pensamento racionalista moderno. • Preposições: Sustenta que os elementos fundamentais do método matemático são expressos em quatro regras: Regra da evidência – “ Não acolher jamais como verdadeira uma coisa que não se reconheça evidentemente como tal, isto é, evitar a precipitação e o preconceito”. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  23. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Renê Descartes (1596-1650) – sustenta o método matemático dedutivo. Pensamento racionalista moderno. • Preposições: Sustenta que os elementos fundamentais do método matemático são expressos em quatro regras: Regra da evidência – “ Não acolher jamais como verdadeira uma coisa que não se reconheça evidentemente como tal, isto é, evitar a precipitação e o preconceito”. Regra da análise – “ Dividir cada uma das dificuldades em tantas partes necessárias para melhor resolvê-las”. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  24. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Renê Descartes (1596-1650) – sustenta o método matemático dedutivo. Pensamento racionalista moderno. • Preposições: Sustenta que os elementos fundamentais do método matemático são expressos em quatro regras: Regra da evidência – “ Não acolher jamais como verdadeira uma coisa que não se reconheça evidentemente como tal, isto é, evitar a precipitação e o preconceito”. Regra da análise – “ Dividir cada uma das dificuldades em tantas partes necessárias para melhor resolvê-las”. Regra da síntese – “ Ir do mais simples ao mais complexo”. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  25. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Renê Descartes (1596-1650) – sustenta o método matemático dedutivo. Pensamento racionalista moderno. • Preposições: Sustenta que os elementos fundamentais do método matemático são expressos em quatro regras: Regra da evidência – “ Não acolher jamais como verdadeira uma coisa que não se reconheça evidentemente como tal, isto é, evitar a precipitação e o preconceito”. Regra da análise – “ Dividir cada uma das dificuldades em tantas partes necessárias para melhor resolvê-las”. Regra da síntese – “ Ir do mais simples ao mais complexo”. Regra da enumeração – “ Realizar sempre enumerações tão cuidadas e revisões gerais que se possa ter certeza de nada haver omitido”. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  26. Desenvolvimento Histórico do Método Científico • Descartesfundamenta-se na razão humana, base deste sistema é o “Cogito, ergo sum” (=Penso, logo existo) Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  27. MÉTODO INDUTIVO A indução compreende um conjunto de procedimentos: empíricos, lógicos e intuitivos David Hume – (1711-1776) – demonstra que a indução se converte em princípio lógico independente. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  28. MÉTODO INDUTIVO A indução compreende um conjunto de procedimentos: empíricos, lógicos e intuitivos David Hume – (1711-1776) – demonstra que a indução se converte em princípio lógico independente. John Locke – (1632-1704) – ceticismo, irracionalismo e misticismo. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  29. MÉTODO INDUTIVO A indução compreende um conjunto de procedimentos: empíricos, lógicos e intuitivos David Hume – (1711-1776) – demonstra que a indução se converte em princípio lógico independente. John Locke – (1632-1704) – ceticismo, irracionalismo e misticismo. Karl Popper – a indução é um conceito dispensável. A teoria popperiana é sem dúvida uma explanação da lógica e da história da ciência. Positivismo. O conhecimento é de caráter provisório. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  30. MÉTODO INDUTIVO Indução Formal – lei que rege o ponto de chegada expressando realmente a totalidade dos fenômenos observados. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  31. MÉTODO INDUTIVO Indução Formal – lei que rege o ponto de chegada expressando realmente a totalidade dos fenômenos observados. Indução Científica ou Amplificadora – conclui de um ou mais fatos particulares para todos os fatos semelhantes, presentes e futuros. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  32. MÉTODO DEDUTIVO Procura transformar enunciados complexos, universais, em particulares. Fazem parte da ciência dedutiva a lógica e a matemática. A dedução apresenta duas formas: formal ou silogística e analítica Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  33. MÉTODO CARTESIANO O pensador Descartes identifica no intelecto, na razão humana duas faculdades essenciais: a intuição e a dedução. Rever as quatro regras de Descartes no método indutivo. Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  34. OUTROS MÉTODOS E APLICAÇÕES Aplicação direta de uma teoria Revisão de hipóteses Crítico ou dialético Renovação Transferência de conceitos Transferência por analogia Prolongação Fenomenológico Teratológico Dicotomia Matrizes de descoberta Morfológico “Brainstorming” Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  35. LEIS DA DIALÉTICA Cada coisa é um processo, isto é, uma marcha, um tornar-se Existe um encadeamento dos processos No movimento dialético, as coisas trazem em si as suas contradições Em várias oportunidades, um processo que se orienta em ritmo quantitativo de repente muda qualitativamente Tema 3: Método Arte: Eduardo Ulysséa

  36. Diferentes Modos de Conhecer Conhecer e Pensar O homem é “o ser verdadeiro, o olho que vê o mundo”. Vê e conhece, conhece o que vê e pensa no que viu e no que não viu, conhece e pensa, pensa e interpreta. Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  37. Os Três Elementos do Conhecimento: • Sujeito - a consciência cognoscente • Objeto – aquilo que o sujeito deseja conhecer • Imagem – representa o ponto de coincidência entre o objeto e o sujeito Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  38. Conhecimento Sensorial Tanto o homem como os animais irracionais entram na posse cognitiva das realidades sensoriais. É comum aos referidos seres aprender o fato, a coisa, o indivíduo na sua singularidade concreta, tais como: Cores Movimentos Configurações Dureza Paladar Temperatura Odor Som Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  39. Conhecimento Sensorial O homem conhece as realidades materiais na concretude fatual, na singularidade, porém ultrapassa os limites do singular, apreendido pelos sentidos corporais. É capaz de apreender através de relações formais, de comparação, análise, abstração e generalizações. Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  40. Conhecimento Intelectual Vai além da aparência, do fenômeno, da coisa em si, operando sobre as imagens sensoriais, e ultrapassando-as em fórmulas, conceitos gerais abstratos, definições universais e relações ideais. O homem é dotado da capacidade de abstrair, de generalizar, de definir e de elaborar idéias transcendentes. Conhecimento Intelectual atinge o real por dentro, intus: o pensamento, a intuição. Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  41. Conhecimento Científico • Privilégio de especialistas das diversas áreas das ciências • Programado, sistemático, metódico, orgânico • Crítico, rigoroso, objetivo • Nasce da dúvida e se consolida na certeza das leis demonstradas • Procura as relações entre os componentes do fenômeno para enunciar as leis gerais • Justifica e demonstra os motivos de sua certeza • Estabelece leis válidas para todos os casos da mesma espécie nas mesmas condições, menos sujeito ao erro nas deduções e prognósticos Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  42. Conhecimento Vulgar • Comum e possível à todo ser humano • Ocasional, assistemático, ametódico • Não questiona, não analisa, não procede com vigor do método ou de linguagem, não exige demonstração • Gera certeza desde seu nascimento, certezas ingênuas de um realismo pré-crítico • Atinge o fato, o fenômeno, o singular • Gera certezas intuitivas e pré-críticas • Associa analogias globais, sujeito ao erro nas deduções e nos prognósticos Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  43. Intuição Sensorial Existe com toda a evidência. Os sentidos não analisam, não comparam, não julgam O prazer ou a dor é um dado de experiência interna e externa Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  44. Intuição Intelectual Evidência lógico-metafísica. Princípios lógicos, éticos ou estéticos, apreendidas nas relações transcendentais do ser “ Conhecer pelas razões que a própria razão desconhece é uma espécie de conhecimento do coração e não da razão”, como dizia Pascal. Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  45. Confronto Entre o Conhecimento Intuitivo e o Conhecimento Científico • Intuitivo • Reduz o conhecimento em um ato simples e indivisível Científico Arte: Eduardo Ulysséa

  46. Confronto Entre o Conhecimento Intuitivo e o Conhecimento Científico Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico • Intuitivo • Reduz o conhecimento em um ato simples e indivisível • Científico • Resulta de um processo complexo de análise e de síntese Arte: Eduardo Ulysséa

  47. Confronto Entre o Conhecimento Intuitivo e o Conhecimento Científico Temas: 4, 5 e 6 - Teoria do Conhecimento/Ciência e Conhecimento Científico • Intuitivo • Reduz o conhecimento em um ato simples e indivisível • Consiste em um ato de experiência sensível ou espiritual • Científico • Resulta de um processo complexo de análise e de síntese Arte: Eduardo Ulysséa