Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A REVOLU O CIENT FICA PowerPoint Presentation
Download Presentation
A REVOLU O CIENT FICA

A REVOLU O CIENT FICA

231 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

A REVOLU O CIENT FICA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

    1. A REVOLUO CIENTFICA

    2. A Revoluo cientfica: contexto Ascenso social da burguesia ? valorizao social dos artesos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil como principal modo de produo Reforma Protestante (Lutero, Calvino, ~ 1517 - 1555) valorizao do trabalho Sagradas Escrituras so a nica fonte do saber (rejeio tradio da Igreja) a Natureza espelha o Plano do Criador

    3. A Revoluo cientfica: contexto Contra-reforma Catlica (Tribunais da Inquisio; Jesutas e Dominicanos) Combate ao Animismo (= Paganismo) e Antropomorfismo (= simpatias) Legitimidade de investigao do Plano de Deus Separao progressiva entre Homem e Mundo natural

    4. A Revoluo cientfica todo o conhecimento e, especialmente, o da Filosofia Natural tende grandemente para o enaltecimento da glria de Deus no seu poder, providncia e benefcios, aparentes e gravados nas suas obras, as quais, sem esse conhecimento, s sero contempladas atravs de um vu. (Francis Bacon)

    5. A Revoluo cientfica: caractersticas EXPERINCIA supera a RAZO (a razo subordina-se experincia) (experimentalismo) Matematizao da natureza = atitude realista substitui atitude instrumentalista no uso das Matemticas (p/ Coprnico, a Terra deveria mover-se porque a Matemtica o exige; ensino ministrado pelos jesutas valorizava grandemente a Matemtica (ensinavam-na nos ltimos anos, em paralelo Fsica e Metafsica)

    6. A Revoluo cientfica: caractersticas Influncia importante da tradio da magia natural (= manipulao de propriedades/ poderes ocultos naturais dos objetos) ? casamento da filosofia natural e magia natural em nossa moderna viso cientfica do mundo. Filosofia mecnica e o Mecanicismo: primazia dos conceitos de forma, tamanho, quantidade e movimento (mensurveis) sobre conceitos qualitativos (odor, sabor, finalidade, etc.).

    7. A Revoluo cientfica: caractersticas

    8. Galileu Galilei (1564 - 1642) Nasceu em Pisa, filho de um compositor e musiclogo; estudos bsicos com os jesutas; estudou Medicina (sem entusiasmo) na Universidade de Pisa (no obteve o diploma); passa a dedicar-se mais intensamente Matemtica, Mecnica e Hidrosttica; 1588 ocupa a cadeira de Matemtica na Univ. de Pisa (35 anos); estudos s/ plano inclinado, atrito, queda livre;

    9. Galileu Galilei (1564 - 1642) 1591 consegue uma cadeira de Filosofia Natural na Univ. de Pdua (ambiente acadmico aberto - universidade estatal); faz pesquisas sobre balstica (projteis) e monta uma oficina de instrumentos cientficos em sua casa; constri um telescpio a partir de informaes de terceiros (1609); 1610 publica Siderius Nuncius, relatando observaes astronmicas feitas atravs do telescpio.

    10. Galileu Galilei (1564 - 1642) Em 1610 muda-se para Florena (filsofo e matemtico do gro-duque da Toscana, Cosimo de Medici); ambiente onde a Igreja exercia poderosa influncia; sermes (de dominicanos) condenam os matemticos e o copernicanismo; Galileu advertido; em 1623 publica O ensaiador, livro sarcstico dedicado ao novo Papa, atacando um livro sobre os cometas (escrito por um jesuta);

    11. Galileu Galilei (1564 - 1642) Galileu consegue permisso para escrever sobre o sistema ptolomaico e o copernicano, o que resulta no Dilogo sobre os dois principais sistemas do mundo, publicado em 1632; processo de Galileu em 1633: retratao, priso domiciliar; 1638 publica (Leiden) os Discursos referentes a duas novas cincias ...

    12. Francis Bacon (1561 - 1626) Nascido na Inglaterra, exerceu importante papel junto ao governo. fortssimo crtico de Aristteles, aprecia obras de filsofos gregos pr-socrticos (metfora com tesouros e madeira num naufrgio). em 1620 publica Novum Organum, em que lana as bases de uma nova Histria Natural [ formigas (exclusivamente empricos), aranhas (dogmticos) e abelhas (verdadeiros filsofos naturais)]. nfase no indutivismo, utilitarismo e empirismo.

    13. Francis Bacon (1561 - 1626) New Atlantis (1627): Casa de Salomo = Royal Society a induo leva a novos conhecimentos, mediante: coleo sistemtica de informaes s/ um fenmeno; eliminao de possibilidades no relacionadas ao fenmeno; inferncias (indutivas e dedutivas); objetivo final era o domnio completo da natureza pela descoberta de seus princpios e leis.

    14. Ren Descartes (1596 - 1650) Nascido na Frana, filho de advogado, fez os estudos bsicos numa escola jesuta e diplomou-se em Direito na Universidade de Poitiers; na Guerra dos 30 anos (1618 -1648) envolveu-se em negcios militares, mas em 1628 demitiu-se de seu posto e mudou-se para os Pases Baixos, onde permaneceu 21 anos formulando um novo esquema geral de conhecimentos e escrevendo suas obras;

    15. Ren Descartes (1596 - 1650) em 1637 publica O Discurso do Mtodo ; em 1644 publica Princpios de Filosofia: o Universo deve ser infinito; a matria divisvel; rejeita o vcuo; Deus sempre conserva a mesma quantidade de matria e de movimento (e se nenhuma fora agir sobre ele, um corpo se mover sempre na mesma direo, com a mesma velocidade, indefinidamente); em 1649 muda-se para a Sucia a convite da Rainha Cristina, e morre em 1650 de pneumonia.

    16. Outros cientistas importantes Johanes Kepler (1571 - 1630): rbitas elpticas (1609) e leis dos movimentos planetrios William Harvey (1578 - 1657): circulao do sangue (discpulos de Vessalius em Pdua) William Gilbert (1540 - 1603): bssolas e magnetismo terrestre (alma magntica)