1 / 16

A REVOLU O CIENT FICA

A Revolu??o cient?fica: contexto. Ascens?o social da burguesia ? valoriza??o social dos artes?osDesenvolvimento do Capitalismo mercantil como principal modo de produ??oReforma Protestante (Lutero, Calvino, ~ 1517 - 1555) valoriza??o do trabalhoSagradas Escrituras s?o a ?nica fonte do saber (reje

sarila
Télécharger la présentation

A REVOLU O CIENT FICA

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author. Content is provided to you AS IS for your information and personal use only. Download presentation by click this link. While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server. During download, if you can't get a presentation, the file might be deleted by the publisher.

E N D

Presentation Transcript


    1. A REVOLUO CIENTFICA

    2. A Revoluo cientfica: contexto Ascenso social da burguesia ? valorizao social dos artesos Desenvolvimento do Capitalismo mercantil como principal modo de produo Reforma Protestante (Lutero, Calvino, ~ 1517 - 1555) valorizao do trabalho Sagradas Escrituras so a nica fonte do saber (rejeio tradio da Igreja) a Natureza espelha o Plano do Criador

    3. A Revoluo cientfica: contexto Contra-reforma Catlica (Tribunais da Inquisio; Jesutas e Dominicanos) Combate ao Animismo (= Paganismo) e Antropomorfismo (= simpatias) Legitimidade de investigao do Plano de Deus Separao progressiva entre Homem e Mundo natural

    4. A Revoluo cientfica todo o conhecimento e, especialmente, o da Filosofia Natural tende grandemente para o enaltecimento da glria de Deus no seu poder, providncia e benefcios, aparentes e gravados nas suas obras, as quais, sem esse conhecimento, s sero contempladas atravs de um vu. (Francis Bacon)

    5. A Revoluo cientfica: caractersticas EXPERINCIA supera a RAZO (a razo subordina-se experincia) (experimentalismo) Matematizao da natureza = atitude realista substitui atitude instrumentalista no uso das Matemticas (p/ Coprnico, a Terra deveria mover-se porque a Matemtica o exige; ensino ministrado pelos jesutas valorizava grandemente a Matemtica (ensinavam-na nos ltimos anos, em paralelo Fsica e Metafsica)

    6. A Revoluo cientfica: caractersticas Influncia importante da tradio da magia natural (= manipulao de propriedades/ poderes ocultos naturais dos objetos) ? casamento da filosofia natural e magia natural em nossa moderna viso cientfica do mundo. Filosofia mecnica e o Mecanicismo: primazia dos conceitos de forma, tamanho, quantidade e movimento (mensurveis) sobre conceitos qualitativos (odor, sabor, finalidade, etc.).

    7. A Revoluo cientfica: caractersticas

    8. Galileu Galilei (1564 - 1642) Nasceu em Pisa, filho de um compositor e musiclogo; estudos bsicos com os jesutas; estudou Medicina (sem entusiasmo) na Universidade de Pisa (no obteve o diploma); passa a dedicar-se mais intensamente Matemtica, Mecnica e Hidrosttica; 1588 ocupa a cadeira de Matemtica na Univ. de Pisa (35 anos); estudos s/ plano inclinado, atrito, queda livre;

    9. Galileu Galilei (1564 - 1642) 1591 consegue uma cadeira de Filosofia Natural na Univ. de Pdua (ambiente acadmico aberto - universidade estatal); faz pesquisas sobre balstica (projteis) e monta uma oficina de instrumentos cientficos em sua casa; constri um telescpio a partir de informaes de terceiros (1609); 1610 publica Siderius Nuncius, relatando observaes astronmicas feitas atravs do telescpio.

    10. Galileu Galilei (1564 - 1642) Em 1610 muda-se para Florena (filsofo e matemtico do gro-duque da Toscana, Cosimo de Medici); ambiente onde a Igreja exercia poderosa influncia; sermes (de dominicanos) condenam os matemticos e o copernicanismo; Galileu advertido; em 1623 publica O ensaiador, livro sarcstico dedicado ao novo Papa, atacando um livro sobre os cometas (escrito por um jesuta);

    11. Galileu Galilei (1564 - 1642) Galileu consegue permisso para escrever sobre o sistema ptolomaico e o copernicano, o que resulta no Dilogo sobre os dois principais sistemas do mundo, publicado em 1632; processo de Galileu em 1633: retratao, priso domiciliar; 1638 publica (Leiden) os Discursos referentes a duas novas cincias ...

    12. Francis Bacon (1561 - 1626) Nascido na Inglaterra, exerceu importante papel junto ao governo. fortssimo crtico de Aristteles, aprecia obras de filsofos gregos pr-socrticos (metfora com tesouros e madeira num naufrgio). em 1620 publica Novum Organum, em que lana as bases de uma nova Histria Natural [ formigas (exclusivamente empricos), aranhas (dogmticos) e abelhas (verdadeiros filsofos naturais)]. nfase no indutivismo, utilitarismo e empirismo.

    13. Francis Bacon (1561 - 1626) New Atlantis (1627): Casa de Salomo = Royal Society a induo leva a novos conhecimentos, mediante: coleo sistemtica de informaes s/ um fenmeno; eliminao de possibilidades no relacionadas ao fenmeno; inferncias (indutivas e dedutivas); objetivo final era o domnio completo da natureza pela descoberta de seus princpios e leis.

    14. Ren Descartes (1596 - 1650) Nascido na Frana, filho de advogado, fez os estudos bsicos numa escola jesuta e diplomou-se em Direito na Universidade de Poitiers; na Guerra dos 30 anos (1618 -1648) envolveu-se em negcios militares, mas em 1628 demitiu-se de seu posto e mudou-se para os Pases Baixos, onde permaneceu 21 anos formulando um novo esquema geral de conhecimentos e escrevendo suas obras;

    15. Ren Descartes (1596 - 1650) em 1637 publica O Discurso do Mtodo ; em 1644 publica Princpios de Filosofia: o Universo deve ser infinito; a matria divisvel; rejeita o vcuo; Deus sempre conserva a mesma quantidade de matria e de movimento (e se nenhuma fora agir sobre ele, um corpo se mover sempre na mesma direo, com a mesma velocidade, indefinidamente); em 1649 muda-se para a Sucia a convite da Rainha Cristina, e morre em 1650 de pneumonia.

    16. Outros cientistas importantes Johanes Kepler (1571 - 1630): rbitas elpticas (1609) e leis dos movimentos planetrios William Harvey (1578 - 1657): circulao do sangue (discpulos de Vessalius em Pdua) William Gilbert (1540 - 1603): bssolas e magnetismo terrestre (alma magntica)

More Related