Download
max weber n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
MAX WEBER PowerPoint Presentation

MAX WEBER

154 Views Download Presentation
Download Presentation

MAX WEBER

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. MAX WEBER O Individualismo Metodológico wikipedia

  2. O indivíduo “escolhe” ser o que é, em meio aos embates da vida social. • Essas escolhas são limitadas pelo seu grau de conhecimento e pelas oportunidades oferecidas pela sociedade. • A sociedade é um conjunto de esferas autônomas que dão sentido às ações individuais (valores morais, regras, normas, leis).

  3. Esferas sociais: analítico-teóricas – criadas pela divisão do trabalho, mas uma esfera não domina a outra, elas trocam influências e, cada esfera é autônoma, mas não independente. • Relação Social: é o sentido compartilhado da ação, ou seja, é a consciência do sentido da ação de ambas as esferas que estão em jogo. • Sentido da ação – quem determina é o indivíduo.

  4. AÇÃO SOCIAL • Ação cujo sentido é orientado para o outro, independente se ela é para o bem ou para o mal • A ação não implica uma reciprocidade de sentidos, o outro pode até não saber sobre a ação. Existem 4 tipos de ação: - Tradicional – Afetiva – Ação Racional com Relação aos Valores – Ação Racional com Relação aos Fins.

  5. Ação Tradicional - é aquela que o indivíduo toma de maneira automática, sem pensar para realizá-la. • Ação Afetiva - implica uma maior participação do agente, mas são respostas mais emocionais que racionais. Ex.: relações familiares. Segundo Weber, estas duas primeiras ações sociais não interessam à sociologia.

  6. Ação Racional com Relação aos Fins: A ação é estritamente racional. Toma-se um fim e este é, então, racionalmente buscado. Há a escolha dos melhores meios para se realizar um fim; * Ex.: Como posso entender sociologia e ir bem na prova para passar?

  7. Ação Racional com Relação aos Valores: Esta ação não é orientada por uma finalidade, mas o valor, seja este ético, religioso, político ou estético; • Ex.: não se alimentar de carne, orientado por valores éticos, políticos e ambientais.

  8. DOMINAÇÃO É uma condição da sociedade – todas as esferas estão marcadas por algum tipo de dominação: • LEGITIMAÇÃO TRADICIONAL: a autoridade é, pura e simplesmente, suportada pela existência de uma fidelidade tradicional; o governante é o patriarca ou senhor, os dominados são os súditos e o funcionário é o servidor. Ex.: O patriarcalismo é o tipo mais puro desta dominação. Presta-se obediência à pessoa por respeito, em virtude da tradição de uma dignidade pessoal que se julga sagrada. Todo o comando se prende intrinsecamente a normas tradicionais (não legais) ao meu ver seria um tipo de “lei moral”.

  9. LEGITIMAÇÃO CARISMÁTICA: a autoridade é suportada, graças a uma devoção afetiva por parte dos dominados. Ela assenta sobre as “crenças” transmitidas por profetas, o “reconhecimento” que pessoalmente alcançam os heróis. A obediência a uma pessoa se dá devido às suas qualidades pessoais. E.: A popularidade de um líder serve para convencer o povo.

  10. BUROCRACIA: crença na legalidade de uma ordem. A necessidade de um modelo de organização racional capaz de caracterizar todas as variáveis envolvidas, bem como, o comportamento dos membros dela participantes, é aplicável não somente à fábrica, mas a todas as formas de organização humana e principalmente às empresas;

  11. ESTAMENTO Está ligado à esfera social, que é capaz de gerar comunidade. • É um grupo social cuja característica principal é a consciência do sentido de pertencimento ao grupo. • A luta por uma identidade social é o que caracteriza um estamento. A luta na esfera social é para saber qual estamento vai dominar.

  12. galizacig.org