Download
a viol ncia e o processo ensino aprendizagem n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
A VIOLÊNCIA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM PowerPoint Presentation
Download Presentation
A VIOLÊNCIA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

A VIOLÊNCIA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

201 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

A VIOLÊNCIA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. A VIOLÊNCIA E O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM UMUARAMA 2012 ANGELA MENDONÇA

  2. Escritos Milenares

  3. “A mulher deve adorar o homem como a um deus. Toda manhã, por nove vezes consecutivas, deve ajoelhar-se aos pés do marido e, de braços cruzados, perguntar-lhe: Senhor, que desejais que eu faça?” Zaratustra (filósofo persa, século VII a.C)

  4. "Quando um homem for repreendido em público por uma mulher, cabe-lhe o direito de derrubá-la com um soco, desferir-lhe um pontapé e quebrar-lhe o nariz para que assim, desfigurada, não se deixe ver, envergonhada de sua face. E é bem merecido, por dirigir-se ao homem com maldade de linguajar ousado." Le Ménagier de Paris (Tratado de conduta moral e costumes da França, século XIV)

  5. "As crianças, os idiotas, os lunáticos e as mulheres não podem e não têm capacidade para efetuar negócios.“ Henrique VII (rei da Inglaterra, chefe da Igreja Anglicana, século XVI)

  6. A violência e seus contornos  Sempre existiu, assume formas específicas de acordo com o momento histórico.  Deixou/deixa cicatrizes em toda a história da humanidade, afetou/afeta particularmente a população mais pobre.  No Brasil: • final da década de 60 início de 70  ditadura militar, ação do esquadrão da morte e crescimento do tráfico de drogas. • anos 80  o cotidiano nos bairros da periferia transformou-se com o aparecimento das gangues de jovens e adolescentes. • anos 90  desmistificação da crença de que atos violentos são comuns em determinada camada da população. 7

  7. A investigação sobre a violência no Brasil:  Alguns aspectos se assemelham aos de outras partes do mundo, outros ganham o colorido da nossa cultura e realidade social.  Em cada época, os estudos ressaltam diferentes aspectos da violência na escola: • -Década de 70: os castigos físicos/morais infligidos pelos professores aos estudantes. • -Anos 80 e 90: a violência que envolve alunos contra alunos, as depredações, a ligação entre a escola e o narcotráfico. Violência como impedimento à aprendizagem • -Atualmente: episódios truculentos associados aos estudantes e professores.  A violência simbólica: •  Nos discursos sobre a incompetência do educador, apontado injusta e cruelmente, como responsável pela crise da escola pública. •  Nas promessas, não cumpridas, de investimentos na educação pública. PNE 7% 8

  8. O PROFESSOR ESTÁ AUTORIZADO

  9. SE PODES VER, REPARA...

  10. A Organização Mundial da Saúde classifica a violência nas seguintes categorias - violência contra si mesmo (Intrapessoal); - violência interpessoal; - violência coletiva; - violência institucional.

  11. Violência e Cotidiano EscolarPropostas: • QUESTÃO DE SEGURANÇA • QUESTÃO POLÍTICO-PEDAGÓGICA

  12. Violência e Cotidiano EscolarSegurança: • Patrulha Escolar • Alarmes Ligados à Distritos Policiais • Grades, correntes e cadeados • Detectores de Metal • Revista Policial dos Alunos

  13. Violência na Escola

  14. Violência na Escola

  15. Violência e Cotidiano EscolarPerspectiva Político-Pedagógica: • Resgate do Aluno • Participação e Diálogo • Reflexão Coletiva • Relação Família-Escola • Atividade Extra-Classe • Integração Escola-Comunidade • Educação em/para os Direitos Humanos

  16. Três Afirmações Básicas: 1ª)Violência social e violência escolar estão relacionadas, mas esta relação não pode ser vista de modo mecanicista e simplista; 2ª) Violência: - Complexidade - Multicausalidade - Dimensões: Estrutural e Cultural 3ª) A escola também produz violência

  17. ÉTICA EDUCAÇÃO E CONSUMO

  18. SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA - Sociedade marca: individualização, realização, liberdade, democracia Utiliza mensagens: sedutoras, atraentes, apelativas, erotizadas, baseadas: signos reais(ícones) Metas: a curto prazo -> interesse pessoal; - Propõe: flexibilidade de interesses e de costume

  19. Fases do Consumo - Compras Por que comprar ? Será que eu preciso mesmo consumir isto? Anúncio na capa do “Saturday Evening Post” Agosto de 1959 Imagem cedida por Fátima Milnitzky

  20. AS BABÁS

  21. OBJETIVO DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA eficiência = - tempo e + dinheiro rapidez = facilitar a vida --------- mudança de comportamentos, valores e crenças elevação do nível de vida = consumo

  22. CONSUMO: É o mito fundante Principal eixo de construção de identidade Forma de pertencimento e visibilidade. Meio de gestão dos desejos

  23. Os papéis dos pais e mães com os filhos e filhas Quem educa quem??? MÍDIA / ADOLESCÊNCIA Distribuição do Tempo dos Adolescentes Escola -11.000 horas instrução formal (Ginásio) TV - 15.000 horas assistindo à TV (mesmo período) Convívio com pais - 12 horas semanais TV - 23 a 24 horas por semana Fonte: Strasburger V, EUA, 1989.

  24. CONSUMO: Mudança dos valores culturais: individualismo, idéia de tirar vantagem, competir e, especialmente, ganhar. Busca pela felicidade a qualquer custo -> tolerância zero e a frustração insuportável. Transgressão dos limites morais e éticos. Escolha de alternativas que apresentam resultados imediatos: consumo e comércio de drogas

  25. GlobalizaçãoUma breve contemplação do “artificial”...

  26. A sociedade de consumo Ter dinheiro=busca de felicidade e status? Qual é o comportamento que o mundo capitalista impõe? Sempre há um produto melhor do que o que acabamos de consumir? Antes = necessidade Hoje = impulso e compulsão

  27. CONSUMO: Sociedade de risco e vulnerabilidade: incerteza e imprevisibilidade Definição de estilos de vida: trajetória ou hábitos adquiridos por motivação externa (criação de desejos e necessidades) e interna (pertencimento, proteção e prestígio). Consumo de qualquer mercadoria: drogas

  28. A Cultura do Consumo Relações Afetivas mediadas pelas Relações de Consumo Produtos e Serviços sãoingressos sociais

  29. A ESCOLA. QUE LUGAR É ESSE? É um espaço de construção da identidade dos jovens, lugar de sociabilidade, de lazer, estabelecer vínculos. Lugar para estudar e aprender

  30. ETICA NA ESCOLA E NA FAMILIA

  31. A ESCOLA. QUE LUGAR É ESSE? pouco atrativa: construções descuidadas (escuras, sem proteção), instalações precárias, excesso de burocracia, não garante a inserção no mercado de trabalho, adoção de projetos pedagógicos que engessam a criatividade, a interação e o relaxamento = propício à hostilidade.

  32. ESCOLA. QUE LUGAR É ESSE? É o lugar da proteção: Quanto mais violento é o entorno, mais tranqüilo é considerado a escola É lugar de entretenimento: interações e experiências Espaço de pertencimento e visibilidade

  33. O que nos falta?

  34. TEMPO ?

  35. OU ESCOLHAS?

  36. Família e Escola “ A responsabilidade pela educação Será sempre trabalho conjunto entre pais e escola.” Uma Parceria Imprescindível

  37. Definições preliminares • Violência em meio escolar situa fenômenos distintos: • violência contra a escola - violência da escola - violência na escola