Download
slide1 n.
Skip this Video
Loading SlideShow in 5 Seconds..
ECONOMIA DA SAÚDE CURSO LIVRE OPTATIVO DE PowerPoint Presentation
Download Presentation
ECONOMIA DA SAÚDE CURSO LIVRE OPTATIVO DE

ECONOMIA DA SAÚDE CURSO LIVRE OPTATIVO DE

104 Vues Download Presentation
Télécharger la présentation

ECONOMIA DA SAÚDE CURSO LIVRE OPTATIVO DE

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

  1. ECONOMIA DA SAÚDE CURSO LIVRE OPTATIVO DE LICENCIATURA DE MEDICINA/CURSO DE MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Pedro Telhado Pereira

  2. Razões para estudar Economia: • Como eleitor défice orçamental impostos comércio livre inflação desemprego

  3. Como cidadão • escolha da profissão • como investir

  4. Mas o que é a Economia? • É o estudo da forma como as sociedades utilizam recursos escassos para produzir bens com valor e de como os distribuem entre os vários indivíduos.

  5. O conceito de escassez • O que é um recurso escasso? A quantidade desejada do recurso é superior à existente

  6. O conceito de eficiência • O bem estar económico de um indivíduo não pode aumentar sem diminuir o bem estar de outro indivíduo.

  7. Áreas da Economia • Microeconomia • Macroeconomia

  8. Os três problemas da organização económica • Que bens devem ser produzidos e em que quantidades? • Como devem os bens ser produzidos? • Para quem são os bens produzidos?

  9. Sistemas Económicos • Economia de Mercado • Economia de Direcção Central • Economia Mista

  10. Tecnologia Factores de produção Terra Trabalho Capital Capital humano Produção

  11. Nota importante: • Não confundir dinheiro (moeda) - meio de troca – com • capital - factor de produção produzido (durável).

  12. A fronteira de possibilidades de produção - FPP • Produção máxima dado o conhecimento tecnológico e a quantidade de factores de produção disponíveis.

  13. Custo de oportunidade • valor do melhor uso alternativo para um bem económico ou o valor da alternativa que é prejudicada. • Custo de oportunidade de estudar?

  14. 1 = valor da acção 2 = valor da alternativa que é prejudicada Se 1 > 2 deve tomar a acção. Se 2 > 1 não deve tomar a acção. Análise Custo-Benefício

  15. recurso escasso - tempo 1 - valor atribuído a assistir à aula 2 - valor do que se poderia fazer no tempo da aula, por exemplo, conversar com os colegas no café. Para os alunos que estão na aula 1 > 2. Aplicar ao caso da decisão de assistir à aula

  16. Será que já ter vindo até à Universidade influencia a sua decisão de assistir à aula? Pense no seguinte exemplo: Um amigo seu, à entrada da aula, diz-lhe que tem uma história muito interessante para lhe contar e que você deve ir com ele para o café para conversarem. • Segue-se a pergunta acima.

  17. Os benefícios (o valor de conhecer a história) são independentes de estar ou não na Universidade. • O custo (o valor de perder uma aula) não depende de já estar na Universidade • Logo … por estranho que pareça, na Economia pensamos que esta decisão não depende de já ter chegado à Universidade.

  18. O Comportamento do Consumidor • O indivíduo consome bens que lhe trazem satisfação. • Este indivíduo é designado de consumidor. • Este indivíduo tem um certo montante para gastar • Vamos supor que é possível medir o nível de satisfação do indivíduo.

  19. Deste modo • Vamos supor que existe uma unidade de medida da satisfação – o útil. • Seria possível medir a satisfação, sendo esta expressa em útis. • Por exemplo: a sua satisfação hoje seria, por exemplo, 12 útis e ontem 10 útis. Ou seja hoje estava mais satisfeito que ontem.

  20. A utilidade • Utilidade é outro modo de dizer satisfação. • Podemos pensar que se pode medir a utilidade – constructo científico dos economistas. • A utilidade aumenta quando o consumidor aumenta a quantidade consumida de um bem

  21. Utilidade marginal (UM) • Ao aumento de utilidade resultante do consumo de mais uma unidade de um bem chamamos de utilidade marginal (adicional) • A utilidade marginal é decrescente com o aumento do consumo do bem.

  22. Relembre a análise custo/benefício • Ao tomar uma decisão custo benefício

  23. Como gastar o último €? • Será que vou gastar em sumo de laranja? • Preço por litro - pl • Será que vou gastar em sumo de manga? • Preço por litro - pm • Será que vou gastar em sumo de uva? • Preço por litro - pu

  24. Quanto é que posso comprar de cada sumo? • Se gastar em sumo de laranja • Quantidade 1/pl • Se gastar em sumo de manga? • Quantidade 1/pm • Se gastar em sumo de uva? • Quantidade 1/pu

  25. Logo temos que • Se decidir beber 1/pl de sumo de laranja e ter a satisfação de o fazer (benefício) • Terei o custo da • Satisfação de beber 1/pm de sumo de manga ou • Satisfação de beber 1/pu de sumo de uva

  26. Para sabermos a decisão • Só falta saber a satisfação de beber cada um dos sumos • Vamos chamar essa satisfação (utilidade) de • Sl – para um litro de sumo de laranjas • Sm – para um litro de sumo de manga • Su – para um litro de sumo de uvas

  27. Logo tenho que comparar • Sl/pl • Sm/pm • Su/pu • Porquê? • Como será a decisão?

  28. Exemplo: • Vamos supor que os indivíduos retiram a utilidade do consumo de bens (X) e da saúde (S), sendo a Utilidade dada por • Se o rendimento do indivíduo for R, qual o consumo óptimo de S?

  29. Como varia esse consumo com: • O rendimento? • O preço da saúde? • Discussão: alteração do desconto à colecta das despesas de saúde propostas no PEC.

  30. Estudo do mercado • No nosso exemplo os consumidores para comprar “saúde” dirigem-se ao mercado. São o lado da procura nesse mercado. • Quem é que está do lado da oferta? • Vamos agora ver como funciona o mercado

  31. O mercado de concorrência perfeita • Mercado - Mecanismo através do qual os compradores e os vendedores podem determinar preços e trocar bens e serviços. • Mercado de concorrência perfeita – existem muitos compradores e vendedores logo nenhum individualmente tem influência sobre o preço.

  32. A Curva da Procura Variáveis que afectam a quantidade procurada por um consumidor. • O preço do produto • O rendimento do consumidor • O preço dos bens substitutos • O preço dos bens complementares • Os gostos dos consumidor e a publicidade • As expectativas sobre os preços futuros • …..

  33. A Procura individual e a Lei da Procura • Lei da procura – o preço e a quantidade procurada variam em sentidos opostos, ceteris paribus (tudo o resto constante).

  34. A procura individual e a sua representação gráfica • A procura individual é normalmente representada por uma recta de inclinação negativa.

  35. Como a quantidade procurada se comporta quando variamos os preços • No exemplo ao lado vemos variações na quantidade procurada quando o preço varia .

  36. Existem dois efeitos • O efeito substituição – devido à variação do preço. • O efeito rendimento – devido à variação do rendimento real resultante da variação do preço.

  37. Da procura individual à procura no mercado • A procura de mercado mostra a relação entre o preço e a quantidade procurada no mercado, ceteris paribus (tudo resto constante).

  38. Passagem da procura individual à procura de mercado

  39. A curva da oferta • Variáveis que afectam a quantidade oferecida: • O preço do produto • O preço dos factores de produção usados, como os salários, o preço da electricidade, entre outros. • O estado da tecnologia. • Impostos e subsídios • Expectativas • ….

  40. A análise custo-benefício em acção • A decisão de produzir de mais uma unidade está baseada no raciocínio marginal Raciocínio marginal Aumento a produção se o benefício marginal é superior ao custo marginal. Diminuo no caso contrário. Se possível escolho um nível de produção onde o benefício marginal é igual ao custo marginal.

  41. Análise gráfica • O benefício marginal é igual ao preço. • A escolha é onde o benefício marginal é igual ao custo marginal.

  42. O que acontece quando o preço aumenta? • A quantidade oferecida aumenta.

  43. Oferta individual e lei da oferta • A quantidade oferecida e o preço variam no mesmo sentido, ceteris paribus (tudo o resto constante).

  44. A oferta individual e a sua representação gráfica • A procura individual é normalmente representada por uma recta de inclinação positiva.

  45. Como a quantidade procurada se comporta quando variamos os preços • O que acontece à quantidade oferecida quando o preço aumenta, aparece na figura

  46. Da oferta individual à oferta no mercado • A oferta de mercado mostra a relação entre o preço e a quantidade oferecida no mercado, ceteris paribus (tudo resto constante).

  47. Da oferta individual à oferta de mercado • Se houver 100 firmas idênticas, a quantidade oferecida no mercado é 100 a quantidade individual.

  48. O Equilíbrio de Mercado • O equilíbrio no mercado é uma situação em que a quantidade procurada é igual à oferecida não se alterando o preço.

  49. Excesso da Procura • O preço tende a subir. • As variações das quantidades são ao longo das curvas.